PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Com covid em alta, Globo vê indefinição em equipe dos Jogos de Tóquio

Jogos Olímpicos de Tóquio: Globo vê indefinição por envio de pessoal para o Japão - GettyImages
Jogos Olímpicos de Tóquio: Globo vê indefinição por envio de pessoal para o Japão Imagem: GettyImages
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

02/04/2021 18h06

Faltando pouco mais de três meses para a abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, a Globo ainda tem dúvidas em relação à cobertura que fará. Agora, a emissora não sabe quantas pessoas vai enviar para o país asiático, devido ao aumento do número de casos por covid-19 no Brasil e às restrições de voos feitas por diversos países no mundo.

A coluna apurou que este assunto é o que mais tem sido discutido em reuniões para falar da Olimpíada de Tóquio. A Globo já tem avançado nas questões sobre o assunto. Credenciou alguns profissionais que têm a intenção de enviar para a cobertura. Também houve a medição para a confecção dos uniformes oficiais da equipe que vai para Tóquio, mesmo que seja bem menos do que imaginava inicialmente.

O blog apurou que pelo menos quatro profissionais já foram credenciados. Um deles é o apresentador Tiago Medeiros, do "Globo Esporte Pernambuco", uma das grandes apostas da emissora para essa cobertura. Mas quem estava na ideia inicial ainda não foi comunicado de como está a situação. A ideia dos chefes na Globo é definir isto neste mês de abril por uma questão de logística.

A Globo já reduziu bastante a sua cobertura dos Jogos de Tóquio. Antes da pandemia, em fevereiro de 2020, a Globo fechou uma lista de 102 profissionais para enviar ao Japão. Entre executivos e narradores, estavam nomes como Galvão Bueno. O narrador e outros profissionais do grupo de risco foram vetados até da cobertura total.

Ainda no ano passado, a Globo definiu que fará tudo do Brasil, com narradores e comentaristas participando de seus estúdios. A equipe de reportagem e produção não passariam de 25 pessoas - pouco menos de um quarto do número inicial projetado. A lista fechada e divulgada internamente só deve ocorrer semanas antes do início dos Jogos.

A Globo não conta com um cancelamento do maior evento esportivo do mundo, até pelas informações que recebe dos organizadores. Neste fim de semana, por exemplo, a emissora estreará um projeto no intervalo da novela das 21h onde conta grandes histórias olímpicas do esporte brasileiro.

Além da TV Globo, o SporTV, canal esportivo do grupo na TV paga, e o BandSports, vão exibir os Jogos Olímpicos de Tóquio em julho. Procurada para falar da situação durante a semana, a Globo não comentou o fato.