PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Com piora da covid, Disney adia planos de novos programas e estúdios

Apresentadora Mariana Spinelli em novos estúdios da ESPN: novidades foram adiadas pela covid-19 - Divulgação/ESPN Brasil
Apresentadora Mariana Spinelli em novos estúdios da ESPN: novidades foram adiadas pela covid-19 Imagem: Divulgação/ESPN Brasil
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

09/03/2021 04h02

A Disney adiou novamente os planos para lançar novos programas e inaugurar novos estúdios para sua programação esportiva na ESPN Brasil. O motivo é o aumento do número de casos do novo coronavírus no Brasil —há dez dias, o país bate recordes na média móvel de óbitos, ontem (8) foram 1.540, e desde o fim de fevereiro tem média móvel acima de mil. A cidade de São Paulo, onde funciona a sede da emissora, ficará na fase vermelha durante todo mês de março.

A coluna apurou que a Disney tinha a intenção de colocar no ar novas atrações no horário da tarde e promover a volta do debate esportivo noturno "Linha de Passe" até o fim de abril, quando o programa ganharia um novo e moderno cenário, como já foi feito com o "SportsCenter". Mas com as restrições sendo intensificadas, a construção do cenário irá atrasar e ficou sem previsão de para ser terminada.

Mesmo assim, pelo menos por enquanto, a ESPN Brasil continua produzindo presencialmente as duas edições do "SportsCenter" —às 10h e às 20h— em seus estúdios. A edição da faixa das 15h permanece sendo feita da casa dos participantes. Outras atrações como o "Futebol no Mundo" e o próprio "Linha de Passe" também continuam com produção totalmente remota. Se as restrições governamentais funcionarem e os números da pandemia melhorarem, a expectativa é que a emissora coloque suas novidades no ar no meio do ano.

A Disney decidiu pelo adiamento para evitar ao máximo a presença de profissionais no prédio. Diariamente, menos de 10% de contratados precisam ir diariamente à sede do canal em São Paulo para produzir as atrações. Nos estúdios, entram menos de dez funcionários essenciais para colocar as atrações no ar diariamente, inclusive nos finais de semana.

Em relação às transmissões, apenas narradores continuam indo para a sede da ESPN para jogos e partidas importantes. Comentaristas trabalham em casa. Vale ressaltar que quem está no grupo de risco da covid-19 não vai fazer nada presencialmente em nenhuma hipótese e nem sequer trabalhar. É o caso, por exemplo, de Paulo Soares, o Amigão, que está fora do ar desde março do ano passado.

A Disney também dá prosseguimento burocrático à fusão entre ESPN e Fox Sports. Contratos ainda estão sendo renovados com profissionais e novos nomes devem ter seus futuros definidos nos próximos dias.