PUBLICIDADE
Topo

Clodoaldo Silva

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Clodoaldo Silva: Voltando ao normal

Prova de natação nos Jogos Escolares Brasileiros (JEBs) de 2021 - Divulgação/JEBs
Prova de natação nos Jogos Escolares Brasileiros (JEBs) de 2021 Imagem: Divulgação/JEBs
Conteúdo exclusivo para assinantes
Clodoaldo Silva

Clodoaldo Silva é o primeiro ídolo do esporte paralímpico brasileiro. Um dos maiores nadadores do mundo, é dono de 14 medalhas (6 ouros, 6 pratas e 2 bronze) paralímpicas. Também é palestrante, empresário, atuante na área de inclusão das pessoas com deficiência e comentarista do esporte paralímpico.

04/11/2021 15h49

Parece que o mundo está voltando ao normal. Estive, nesta quarta-feira (3) no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, para acompanhar o encerramento do Jogos Escolares Brasileiros (JEB's) 2021. Em emoção dupla, uma porque foi lá que vivi um dos momentos inesquecíveis da minha vida: a despedida da natação, durante os Jogos Paralímpicos de 2016. O outro motivo é que eu percebi que parece que as coisas estão mais normais do que antes. Nós sabemos que a pandemia ainda está em curso, mas a sensação que tive foi que tiramos um pouco a cabeça da água e estamos respirando um novo ar.

Em muitos estados as aulas estão voltando, já podemos sair nas ruas com mais tranquilidade, mas é lógico, de máscara, vemos pessoas um pouco mais alegres e, ontem, eu pude conferir essa grande competição sendo realizada. Além da novidade da volta da realização do JEB's, que não ocorria há 16 anos, em função de decreto editado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, a competição permitiu a presença de público no limite de 50% de capacidade das arenas, com apresentação, por parte dos torcedores, do esquema vacinal completo.

Outra questão interessante que presenciei foi a participação de atletas olímpicos e paralímpicos no evento. Mesmo sabendo que a competição é para pessoas sem deficiência, a organização teve o cuidado de convidar embaixadores com e sem deficiência para participarem desta edição. Então além das mudanças de rumos pandêmicos, também tivemos, com o passar do tempo, porque não foi de uma hora pra outra, a mudança de olhar para os ídolos esportivos com deficiência.

É importante para a sociedade termos atletas com e sem deficiência em pé de igualdade em eventos, pois isso ajuda as pessoas entenderem que não existe diferença entre um atleta olímpico e um paralímpico. Que os dois treinam para conquistar melhores marcas, abdicam de muitas coisas pessoais para serem atletas e que são campões do Brasil.

Sobre a volta dos JEB's, é de extrema importância por ser um evento escolar, é uma ação relevante para incentivar os jovens à prática esportiva, bem como para revelar novos atletas para o cenário nacional. Atualmente, é importante destacar, os estudantes com deficiência participam das Paralimpíadas Escolares, que neste ano irão ocorrer de 22 a 27 de novembro, em São Paulo.

O JEB's nos mostra que estamos voltando a respirar esporte e com essa possibilidade se abre portas para exercermos funções imprescindíveis como compartilhar emoções e histórias pessoalmente, sentir emoção, competir, se sentir ativo e vivo, exercer o papel social. Tantas coisas que a gente nem sequer enxergava antes de ocorrer a pandemia.

Se o esporte era importante, imagine agora depois que todos nos ficamos presos em casa e estamos enfrentando problemas de ordem psicológica, emocional, econômica e até, mesmo, existencial.

O esporte é capaz de transformar qualquer realidade ruim em algo muito positivo. Bem-vindo ao mundo do esporte novamente e que a gente lembre sempre das limitações que tivemos durante o isolamento para dar mais valor aos novos momentos que viveremos a partir de agora. Temos que ter esperança em dias melhores.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL