PUBLICIDADE
Topo

Honda de papelão? Artesão faz réplicas de motos usando caixas e PVC

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

12/06/2021 04h00

A paixão por motos e a habilidade de fazer trabalhos manuais fizeram com que o pintor Henry Gonçalves Martins dos Santos, de 20 anos, tivesse a ideia de juntar os dois hobbies e começasse a construir motos usando basicamente dois itens: papelão e cano de PVC.

O morador da Vila Elmaz, em São José do Rio Preto, lembra que a ideia surgiu em 2018, depois que ele criou uma página nas redes sociais para falar de assuntos relacionados a motocicletas.

No ano seguinte surgiu a ideia de fazer o seu próprio exemplar. O primeiro modelo escolhido para ser reproduzido foi de uma Honda CB600F Hornet. Sem experiência na confecção do veículo, o exemplar levou 10 meses para ser finalizado, ficando pronto em 2020.

A motocicleta tem as mesmas dimensões do veículo original. Para construí-la, Henry explica que usou canos de PVC para fazer a sustentação e papelão para os bancos, lataria, guidão e em todos os detalhes como lanternas, faróis, retrovisores, corrente, amortecedor, manetes e até a tampinha do "tanque" e a placa.

"Passei a procurar fotos na internet e me inspirar. Como a Hornet foi a primeira, não tinha noção das medidas da moto e ia fazendo tudo só de olhar. Por isso cometi alguns erros e diversas vezes tive que desmanchar e começar novamente", lembra o jovem.

Motos feitas com papelão e PVC - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Depois da confecção do primeiro exemplar, Henry pegou ainda mais gosto pelo trabalho manual e deixou o emprego de pintor ao lado do pai para investir seu tempo na construção de mais exemplares.

Com um pouco mais de experiência na confecção das motocicletas, o jovem ousou no segundo modelo e confeccionou uma BMW R 1200, que ficou pronta em quatro meses. Utilizando mais canos na estrutura do veículo e fibra de vidro para deixar o pneu resistente, esse modelo chegou a circular na rua.

"Eu fiz ela mais revestida com canos para ter uma sustentação melhor e um dia desci uma parte da rua aqui do bairro nela. Foi só um teste, pois como são feitas basicamente só com papelão, elas são muito frágeis", recorda Henry.

Na sequência, mais uma moto, uma POP 110 também foi feita pelo jovem. Ele afirma que o custo para produzir os exemplares é baixo, variando de R$ 200 a R$ 500, já incluindo o valor da tinta para a pintura.

Além das motos, Henry também confecciona capacetes usando papelão. Todo o processo de produção dos veículos e acessórios - desde o desenho até a pintura e acabamento final - é postado em seu canal no Youtube.

"Os vídeos começaram a ter um pouco mais de repercussão e por isso passei a investir mais no meu canal. Mas tudo que faço é sozinho, ainda não tenho a ajuda de ninguém", lembra o jovem youtuber.

Artesão desde criança

As réplicas de motocicletas não são o primeiro projeto de Henry utilizando papelão. Ele conta que começou a fazer os próprios brinquedos ainda criança e foi desenvolvendo seu próprio método de confecção.

"Eu fui uma criança muito curiosa, gostava de inventar e construir minhas coisas. Às vezes via um brinquedo e, em vez de pedir para os meus pais comprarem, eu ia e tentava fazer de papelão. Nunca fiz nenhum curso de artesanato ou de criação, é tudo fruto da minha imaginação mesmo", recorda.

"Sempre vou ao mercado perto de casa buscar caixas de papelão. Saio de lá carregando várias delas e as pessoas ficam se perguntando o que faço com tantas caixas. Essa é a minha diversão", finaliza.