PUBLICIDADE
Topo

Não atole como Lulu Santos e Leonardo: 5 erros ao volante de carros 4x4

Lulu Santos e o marido Clebson Teixeira precisaram da ajuda de terceiros para tirar seu Jeep Compass 4x4 do atoleiro - Reprodução/Instagram
Lulu Santos e o marido Clebson Teixeira precisaram da ajuda de terceiros para tirar seu Jeep Compass 4x4 do atoleiro Imagem: Reprodução/Instagram

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

24/02/2021 04h00Atualizada em 24/02/2021 12h11

Há poucos dias, Lulu Santos e o marido, Clebson Teixeira, passaram sufoco durante passeio em uma estrada de terra.

Mesmo dirigindo um veículo com tração 4x4, o casal acabou atolando. A bordo de um Jeep Compass a diesel, os dois precisaram da ajuda de terceiros para tirar o veículo da lama e seguir viagem.

Vídeos do perrengue foram publicados nos stories de Teixeira no Instagram.

Na mesma rede social, outro vídeo, também recente, exibe o cantor sertanejo Leonardo ao lado de uma RAM 2500 com tração nas quatro rodas.

Dono de fazenda e acostumado a rodar longe do asfalto, o artista atolou e recorreu a um trator para tirar a picape dali, em plena escuridão.

Os casos envolvendo famosos são apenas dois exemplos de que não basta ter um automóvel 4x4 para encarar qualquer tipo de terreno: é preciso saber usá-lo, ciente das respectivas capacidades e limitações, para a diversão não virar pesadelo.

UOL Carros consultou o instrutor especializado em off-road Luis Fernando Carqueijo para apontar os cinco erros mais frequentes, sobretudo entre novatos, longe do asfalto. Confira.

1 - Viajar sozinho e sem mantimentos

Jeep Renegade no off-road - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Ao encarar uma aventura fora do asfalto, procure viajar acompanhado de pelo menos outro veículo, para ajudá-lo em qualquer eventualidade.

Além disso, não se esqueça de levar mantimentos para o caso de atolamento e necessidade de resgate.

Também não deixe de levar celular, se for necessário pedir ajuda e houver sinal. Caso seja possível, leve alguma ferramenta, como pá e tira de reboque, e evite rodar durante a noite.

"Sempre que que sair para qualquer situação off-road, leve água e comida. Tudo pode acontecer e você não deve correr o risco de ficar em apuros", ensina Luis Fernando.

2 - Não se inteirar sobre terreno

Troller T4 2020 na lama - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Uma atitude básica antes de encarar um trecho de terra é se inteirar a respeito da características do terreno a ser vencido.

Dependendo das condições, destaca Carqueijo, qualquer veículo poderá ter problemas, inclusive modelos 4x4 "raiz".

"Analise antes o piso para ter uma ideia se vale a pena o correr o risco. Se você tiver dificuldades para se manter em pé, como em um aclive íngreme e escorregadio, é sinal de que o carro também irá afundar ou perder tração".

O especialista pontua que trechos de pouca aderência, como lama e areia, pedem redução na pressão dos pneus para ampliar a respectiva área de contato com o solo - de volta ao asfalto, estes devem receber novamente a pressão indicada no manual.

"Em média, ao diminuir a pressão em 25%, amplia-se em 75% a área de contato".

3 - Desconhecer as características do carro

Troller T4 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Tão importante quanto se inteirar a respeito das condições da estrada ou da trilha é conhecer a capacidade real do seu carro e saber usar as funções fora de estrada.

Alguns modelos, mesmo equipados com tração nas quatro rodas, têm pouco vão livre em relação ao solo e as chances de atolamento crescem.

Outros têm o duto de admissão de ar do motor em posição baixa, o que eleva o risco de calço hidráulico na travessia de córregos e trechos alagados.

"Verifique no manual a velocidade e a altura máximas recomendadas para atravessar a água. Também se informe onde fica o duto de admissão", alerta Carqueijo.

Especificamente em relação aos modelos Renegade e Compass, da Jeep, e Toro, da Fiat, o instrutor adverte que a entrada de ar fica em posição relativamente baixa no cofre do motor, frontal e logo abaixo do farol no lado do passageiro.

Por conta disso, é necessário redobrar o cuidado para que a água não chegue ao nível da admissão, o que aumenta bastante a possibilidade de danos severos ao propulsor.

4 - Acelerar ao cruzar trecho com água

Mitsubishi L200 Triton Sport 2019 lama - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Ao encarar a travessia de água, vale a pena não ignorar os cuidados descritos no item 3.

Além disso, o especialista orienta a descer do veículo e verificar pessoalmente, se for possível e não houver risco causado por correnteza, a profundidade do trecho a ser transposto.

Ao cruzar um alagamento, rio ou córrego, a orientação de Carqueijo é acelerar pouco e de forma constante, em primeira ou segunda marcha, buscando passar sempre pelos locais com menor profundidade.

"Mantenha a velocidade baixa e constante para criar uma onda pequena na dianteira do veículo, de forma que não atinja o duto de admissão de ar, e utilize a reduzida, se estiver disponível, para ter maior controle".

5 -Usar pneus inadequados

Extreme E, nova competição off-road de carros elétricos, será transmitida pela Globo em 2021 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Esse é um dos erros mais comuns. Muitos têm a falsa crença de que ter carro 4x4 com reduzida já basta para enfrentar lama, pedras e buracos.

No entanto, os pneus são itens que não podem ser ignorados.

Utilizar pneus de asfalto em uma "pirambeira" com terra molhada, por exemplo, vai diminuir e muito a capacidade off-road do automóvel.

"Os pneus são fundamentais. Se o equipamento for inadequado para o tipo de terreno, você perde aderência. Por mais recursos eletrônicos que o carro tenha, não dá para fazer milagres", esclarece Luis Fernando Carqueijo.

Se o perfil for muito baixo, destaca, o risco de os pneus rasgarem ou de haver danos nas rodas causados por pedras cresce consideravelmente.

Unidades de uso misto são as mais versáteis, porém, dependendo das condições do solo, é necessário recorrer a exemplares apropriados para a lama.