PUBLICIDADE
Topo

Como brasileiro dobrou preço e potência da 'pior Ferrari do mundo'

Brasileiro Anderson Dick transformou nos EUA Ferrari F355 problemática em 30 dias; carro recebeu turbo e agora tem 800 cv - Arquivo pessoal
Brasileiro Anderson Dick transformou nos EUA Ferrari F355 problemática em 30 dias; carro recebeu turbo e agora tem 800 cv Imagem: Arquivo pessoal

28/01/2021 04h00Atualizada em 28/01/2021 09h59

Morador de Atlanta (EUA), o brasileiro Anderson Dick garimpou uma Ferrari F355 Spider 1998 que estava largada havia dez anos a céu aberto no pátio de uma oficina perto de casa.

O empresário diz que fechou negócio em dezembro do ano passado por US$ 31 mil (R$ 167,2 mil), menos da metade do preço de um exemplar em bom estado. Não era o caso do esportivo italiano com pintura amarela: trazia registro de sinistro, problemas hidráulicos no câmbio automatizado, capota de lona rasgada e até fezes de rato no compartimento do motor.

Com a ajuda de amigos e o gasto de aproximadamente US$ 30 mil (R$ 162,1 mil) em novas peças, Dick não apenas devolveu o conversível à velha forma, como também aumentou, e muito, a performance original: a potência saltou de 380 cv para 800 cv e o preço subiu para US$ 80 mil (R$ 432,6 mil) - de acordo com sua avaliação.

Anderson Dick ferrari F355 Spider 1998 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Dick logo após comprar a Ferrari em dezembro do ano passado; carro ficou 10 anos sob sol e chuva
Imagem: Arquivo pessoal

Tudo isso durante apenas 30 dias, aproveitando as horas vagas.

Não bastasse o "lucro" estimado em quase US$ 20 mil (R$ 108 mil), Anderson conta que ainda pode faturar mais US$ 10 mil (R$ 54 mil) com a venda de peças originais Ferrari que retirou do veículo durante a reforma e a preparação.

Ele diz que não tem a intenção de vendê-lo, mas pode mudar de ideia se aparecer uma "proposta irrecusável".

"Que os puristas me perdoem, mas essa F355 era o que eu estava procurando. Uma Ferrari estragada que fosse barata para consertar e customizar. Não faria todas as modificações que fiz em uma que estivesse perfeita".

'Pior F355'

Anderson Dick Ferrari F355 Spider 1998 Pior Ferrari do Mundo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
F355 já praticamente pronta; carro custou US$ 31 mil e dono hoje não vende por menos de US$ 80 mil
Imagem: Arquivo pessoal

Os problemas e os desafios do projeto eram muitos, a ponto do youtuber Ed Bolian, que tem mais de 1,3 milhão de seguidores no canal VINwiki, referir-se ao carro como "a pior F355".

Na verdade, Bolian estava interessado na Ferrari, mas acabou perdendo a disputa para o brasileiro. Em publicação feita no Instagram há cerca de duas semanas, ele chegou a colocar em dúvida a capacidade do novo dono de trazer o bólido de volta à velha forma e deixá-lo ainda melhor.

Anderson Dick Ferrari F355 Spider 1998 Pior Ferrari do Mundo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Reforma e customização foram realizadas na garagem da empresa de brasileiro em Atlanta (EUA)
Imagem: Arquivo pessoal

"Estou na busca para comprar a pior F355 que seja ao menos parcialmente funcional. Achei o exemplar perfeito algumas semanas atrás, mas, infelizmente, alguém que não sabe no que está se metendo fez oferta melhor", disse.

Mais tarde, Bolian editou a publicação, parabenizando o novo proprietário e dizendo que Dick teve "as ideias certas" para aquele exemplar.

Ele até convidou o brasileiro para falar a respeito da sua jornada com a Ferrari no VINwiki.

Provavelmente, antes de se retratar ele assistiu ao primeiro vídeo que Anderson postou no YouTube sobre o projeto.

Ferrari vira vitrine

Anderson Dick Ferrari F355 Spider 1998 Pior Ferrari do Mundo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Alem do turbo, motor V8 ganhou novo sistema de injeção eletrônica para dobrar potência
Imagem: Arquivo pessoal

Conforme UOL Carros contou há cerca de duas semanas, em apenas quatro dias o empresário e amigos conseguiram fazer a F355 Spider voltar a rodar e já subir de valor.

Todo o trabalho foi realizado na oficina que a FuelTech mantém em Atlanta, o que economizou uma boa soma de dólares em mão de obra.

Uma das primeiras modificações foi a que talvez mais valorizou o conversível: a troca do câmbio automatizado defeituoso por uma transmissão mecânica, bastante cobiçada nessa Ferrari.

Pesquisando em fóruns na internet, Anderson encontrou um kit de conversão para manual, que conseguiu trocar pau a pau pelas peças originais. A embreagem, por sua vez, veio do Brasil.

Anderson Dick Ferrari F355 Spider 1998 Pior Ferrari do Mundo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Ferrari ganhou polimento na pintura e alguns reparos na dianteira, que sofreu colisão e registro de sinistro
Imagem: Arquivo pessoal

Quanto à capota, cujo mecanismo de abertura também estava avariado, a saída que encontrou foi simplesmente deixar a operação 100% manual, reduzindo o peso do veículo em aproximadamente 20 kg. Também encaminhou o conserto da parte rasgada.

"Somente a conversão para transmissão mecânica valorizou a Spider em uns US$ 10 mil. Já as peças da abertura da capota eu irei vender por cerca de US$ 2 mil [R$ 10,8 mil]".

O trabalho incluiu higienização completa, polimento da pintura e reforma do interior. Após a remoção do cocô de rato, o motor 3.5 V8 recebeu novos fluidos e correias - serviço que sai por cerca de US$ 10 mil em uma oficina autorizada e custou US$ 1,4 mil (R$ 7,6 mil).

A partir desse ponto, começou a transformação para deixar a Spider mais funcional e com 800 cv.

Anderson Dick Ferrari F355 Spider 1998 Pior Ferrari do Mundo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Troca do câmbio automatizado original por transmissão mecânica foi um dos principais upgrades
Imagem: Arquivo pessoal

Dick aproveitou a empreitada pessoal para converter a Ferrari em uma vitrine da sua empresa.

Todo o sistema original de injeção foi trocado por kit da FuelTech.

"Além do ganho de performance, o carro ficou mais confiável e agora é flex, abastecido com o etanol E85 utilizado nos EUA. Se for preciso fazer algum diagnóstico, agora não dependo mais de uma autorizada Ferrari. Além disso, a nova ECU viabilizou "remapear" o motor para instalar turbo", relata.

Anderson Dick instalou uma turbina Garrett "de última geração" na sua F355, com direito a válvula de alívio de pressão eletrônica e intercooler.

Para completar, o escapamento original foi substituído por outro de titânio e itens de acabamento interno e do compartimento do motor passaram a ser de fibra de carbono - alguns com logotipo da empresa do brasileiro.

Agora, faltam só os acabamentos finais e a entrega das novas rodas, inspiradas nas peças da Ferrari F40 - já encomendadas.

Anderson Dick Ferrari F355 Spider 1998 Pior Ferrari do Mundo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Interior foi higienizado e bancos receberam restauração; novo dono não pensa em vender carrão
Imagem: Arquivo pessoal

"Todo o processo foi de aprendizado, muitos macetes eu aprendi pesquisando vídeos do YouTube e fóruns especializados. Se eu fosse encomendar a customização aqui, não sairia por menos de US$ 60 mil [R$ 325 mil]".

A empreitada já está repercutindo nas redes, mas a "prova de fogo" será no mês que vem, quando Dick levará sua F355 pronta a um tradicional evento de carros exóticos clássicos em Atlanta.

"A participação foi aprovada com menção de honra. Vou até instalar umas câmeras dentro do carro só para ver a reação dos fãs de Ferrari ao meu projeto".