PUBLICIDADE
Topo

Ford Ka

Versões e tudo o que você precisa saber sobre o hatch

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

18/07/2020 04h00

Poucos carros mudaram tanto ao longo das gerações como o Ka. Do primeiro modelo ao hatch atual, o carro cresceu, ganhou duas portas extras e motorizações mais potentes. Tudo para se adequar às vontades do mercado no Brasil.

A primeira geração do Ka estreou no Brasil em 1997. As linhas ousadas assinadas por Claude Lobo causaram espanto em um tempo no qual as formas arredondadas ainda não estavam tão presentes em nossas ruas. Feito para ser um subcompacto ao gosto dos europeus, o Ka sofreu para ganhar o coração do brasileiro. Para nós, aquele carrinho diferente era apertado demais. Mesmo assim, ele conquistou uma boa parcela de admiradores, principalmente na versão esportiva XR, que tinha um motor 1.6 de bons 95 cv.

Ciente disso, a Ford "esticou" o Ka na segunda geração. Lançado em 2007, o compacto era 21 centímetros mais comprido do que seu antecessor. Assim, o hatch finalmente podia levar cinco passageiros (com certo aperto, como é de praxe na categoria) e mais bagagem. Várias peças vinham do antigo Ka, como as portas e algumas peças de acabamento.

A outra geração do Ka surgiu em 2014 e chegou a ser o terceiro carro mais vendido do país, atrás apenas de Hyundai HB20 e do líder absoluto Chevrolet Onix. Agora com status de projeto global, o hatch cresceu um pouco mais e ganhou carroceria de quatro portas.

Bastante procurado por motoristas de aplicativo e frotistas no geral, o hatch também atrai motoristas que buscam um carro ágil, bem equipado e econômico.

Junto com ele vieram outras novidades na linha Ka, como as versões aventureiras (Trail e depois Freestyle) e até a opção de câmbio automático.

Em janeiro de 2021, o modelo teve seu fim decretado com o fechamento das fábricas da Ford no Brasil ao lado do EcoSport. Na sequência, ele também foi descontinuado na Índia, onde as fábricas também foram encerradas.

Como UOL Carros avaliou

Mesmo com alguns anos de mercado, o Ka ainda é uma opção muito interessante entre os hatches compactos. A reestilização de 2019 atualizou o estilo do compacto, que ainda traz boa dirigibilidade.

O motor 1.0 TiVCT entrega até 85 cv e é um dos mais eficientes do segmento. Ele dá conta do recado na maioria das situações (inclusive na estrada) e não apresenta as vibrações excessivas típicas dos motores com três cilindros. Mesmo em subidas íngrimes o Ka não perde fôlego tão facilmente assim, embora às vezes exija reduções de marcha - como acontece em todo carro 1.0, é bom lembrar.

Boa surpresa é o consumo. Na vida real conseguimos médias superiores aos números do Inmetro com gasolina, e sem dirigir de forma mais comedida para poupar combustível.

A central multimídia Sync agora é da geração 2.5, identificada pela tela menor de sete polegadas - o Sync 3 tem um monitor de oito polegadas. Apesar disso, ela traz muitas funções, incluindo suporte a Android Auto e Apple CarPlay. É fácil navegar pelos menus e a tela é bem responsiva ao toque dos dedos.

O hatch é um dos modelos mais bem equipados da categoria, sobretudo na versão Freestyle. Ponto positivo é o investimento em segurança, já que ele vem com controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas.

Dimensões: comprimento, 3,94 m; largura, 1,69 m; altura, 1,52 m; entre-eixos, 2,49 m

Porta-malas: 257 litros

Tanque: 51 litros

Versões:

S 1.0

Motor: 1.0, 3 cilindros, flex

Câmbio: manual de 5 marchas

Potência: 85 cv / 80 cv a 6.500 rpm

Torque: 10,7 kgfm / 10,2 kgfm a 3.500 rpm

Consumo (urb./rod.): 9,3 km/l / 10,8 km/l (etanol) - 13,3 km/l /15,6 km/l (gas.)

Itens de série: direção elétrica, ar-condicionado, banco traseiro bipartido, coluna de direção com regulagem de altura, vidros dianteiros elétricos, rodas de aço de 14 polegadas com calotas, ganchos para fixação de cadeirinha Isofix, travas elétricas, limpador e desembaçador traseiro e banco do motorista com regulagem de altura.

SE 1.0

Motor: 1.0, 3 cilindros, flex

Câmbio: manual de 5 marchas

Potência: 85 cv / 80 cv a 6.500 rpm

Torque: 10,7 kgfm / 10,2 kgfm a 3.500 rpm

Consumo (urb./rod.): 9,3 km/l / 10,8 km/l (etanol) - 13,3 km/l /15,6 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão S mais abertura elétrica do porta-malas, computador de bordo, rádio MyConnection com reconhecimento de comandos de voz e espelhos retrovisores e maçanetas externas na cor do carro.

SE Plus 1.0

Motor: 1.0, 3 cilindros, flex

Câmbio: manual de 5 marchas

Potência: 85 cv / 80 cv a 6.500 rpm

Torque: 10,7 kgfm / 10,2 kgfm a 3.500 rpm

Consumo (urb./rod.): 9,3 km/l / 10,8 km/l (etanol) - 13,3 km/l /15,6 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão SE mais entrada USB, faróis de neblina, central multimídia SYNC 2,5 com suporte a Android Auto e Apple CarPlay, sensores de estacionamento traseiros e vidros elétricos traseiros.

SE Plus 1.5

Motor: 1.5, 3 cilindros, flex

Câmbio: manual de 5 marchas ou automático de 6 marchas

Potência: 136 cv / 128 cv a 6.500 rpm

Torque: 15,3 kgfm a 4;750 rpm

Consumo (urb./rod.): 8,4 km/l / 9,9 km/l (etanol) - 11,7 km/l /14,5 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão SE Plus 1.0 mais pneus 195/55 R15 e rodas de aço de 15 polegadas com calotas.

Freestyle 1.0

Motor: 1.0, 3 cilindros, flex

Câmbio: manual de 5 marchas

Potência: 85 cv / 80 cv a 6.500 rpm

Torque: 10,7 kgfm / 10,2 kgfm a 3.500 rpm

Consumo (urb./rod.): 9,3 km/l / 10,8 km/l (etanol) - 13,3 km/l /15,6 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão SE Plus mais controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampas, bancos com revestimento premium, computador de bordo, espelhos retrovisores elétricos com luzes de seta, rack de teto funcional, rodas de liga leve de 15 polegadas e suspensão elevada.

Freestyle 1.5 AT

Motor: 1.5, 3 cilindros, flex

Câmbio: automático de 6 marchas

Potência: 136 cv / 128 cv a 6.500 rpm

Torque: 15,3 kgfm a 4;750 rpm

Consumo (urb./rod.): 7,5 km/l / 9,4 km/l (etanol) - 10,7 km/l /13,5 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão Freestyle 1.0 mais piloto automático.

Titanium 1.5 AT

Motor: 1.5, 3 cilindros, flex

Câmbio: automático de 6 marchas

Potência: 136 cv / 128 cv a 6.500 rpm

Torque: 15,3 kgfm a 4;750 rpm

Consumo (urb./rod.): 8,4 km/l / 9,9 km/l (etanol) - 11,7 km/l /14,5 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão SE Plus 1.5 mais airbags laterais, controles de estabilidade e de tração, alarme, assistente de partida em rampas, espelhos retrovisores elétricos com luzes de seta, partida do motor por botão e rodas de liga leve de 15 polegadas.

Valores de revisão:

Versões com motor 1.0:

10 mil km: R$ 449,00

20 mil km: R$ 549,00

30 mil km: R$ 449,00

40 mil km: R$ 699,00

50 mil km: R$ 499,00

60 mil km: R$ 899,00

Versões com motor 1.5:

10 mil km: R$ 449,00

20 mil km: R$ 549,00

30 mil km: R$ 449,00

40 mil km: R$ 799,00

50 mil km: R$ 499,00

60 mil km: R$ 599,00

Garantia:

3 anos

Concorrentes:

Chevrolet Onix

Motores: 1.0 12V aspirado (82 cv / 78 cv) e 1.0 turbo (116 cv)

Versões: 1.0 MT, 1.0 turbo AT, LT, LTZ e Premier

Pontos positivos: lista de itens de série e design

Pontos negativos: preço

Hyundai HB20

Motores: 1.0 12V aspirado (80 cv / 75 cv), 1.0 turbo (120 cv) e 1.6 16V (130 cv)

Versões: Sense (1.0), Vision (1.0 e 1.6), Evolution (1.0 e 1.0 turbo), Diamond (1.0 turbo), Diamond Plus (1.0 turbo) e HB20X (1.6)

Pontos positivos: lista de itens de série e desempenho do motor turbo

Pontos negativos: preço e design

Renault Sandero

Motores: 1.0 12V aspirado (82 cv / 79 cv)

Versões: Life, Zen

Pontos positivos: espaço interno e desempenho

Pontos negativos: acabamento e itens de série

Fiat Argo

Motores: 1.0 6V aspirado (77 cv / 72 cv), 1.3 16V (109 cv / 101 cv)

Versões: 1.0, Drive, Precision, Trekking

Pontos positivos: design e conectividade

Pontos negativos: desempenho do motor 1.8 e preço