PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Com 208 mais barato, Peugeot tira o foco do motor fraco e vende mais em 2021

Conteúdo exclusivo para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

09/01/2022 04h00

Hoje volto a falar sobre o Peugeot 208, modelo linha de frente da marca no Brasil e que, você deve lembrar, em 2020 foi bem reformulado. Sua mais recente novidade veio com a apresentação da linha 2022, no início do segundo semestre do ano passado, em que a principal alteração envolveu a redução do número de versões do modelo e dos preços.

Um movimento que certamente contribuiu para que a Peugeot fechasse 2021 com um considerável crescimento de vendas - ainda bem distante dos líderes - mas bastante significativo para uma marca que vinha sofrendo para se manter forte em nosso mercado, mesmo com bons produtos na vitrine. Pelos números contabilizados pela Fenabrave - Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - a Peugeot comercializou 29.531 unidades, um salto de 120% sobre as vendas de 2020. Volume que lhe garantiu ainda a fatia de 1,5% do mercado (o dobro do período anterior, quando ficou com apenas 0,7%).

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Com a alteração da linha 2022, agora o 208 conta com quatro versões de acabamento: Like, com câmbio manual, e as automáticas Active, Allure e Griffe.

Para falar do 208, andei com a versão intermediária, antiga Active Pack, e que passou a ser chamada somente de Active. Como ficou mais barata, esta versão perdeu mais alguns itens, como a câmera de ré e o teto panorâmico de vidro, e seguiu com a maior simplicidade em relação às versões superiores.

Ou seja, nada de recursos de direção semiautônoma ou o invocado painel digital com efeito 3D, o volante não tem revestimento em couro e os bancos são revestidos em tecido. Mas o ar-condicionado é digital e a central multimídia é a mesma das demais versões, com a tela de 7 polegadas.

Por fora, a proposta do 208 Active foi menos comprometida, pois manteve a luz diurna de LED - o DRL - com aquele desenho de simula os dentes de sabre no para-choque. A grade também não perdeu os detalhes cromados, e as rodas seguem de liga leve aro 16 sem acabamento diamantado.

Interessante também é que a versão Active assumiu a condição de a mais barata equipada com o bom câmbio automático de seis marchas. Não por acaso, é a segunda versão mais vendida do 208, ficando atrás apenas da Griffe, a topo de linha e que traz todos os recursos disponíveis para o hatch compacto.

Mas o que não dá pra esquecer é aquele ponto ainda muito discutido e que enfraquece a personalidade desse hatch compacto: a estratégia adotada pela Peugeot de equipar o novo 208 só com o motor 1.6 flex aspirado de 118 cavalos de potência e torque de 15,5 Kgfm. Como já comentei aqui em outra ocasião, na rotina padrão de uso ele resolve bem a situação, mas consegue provocar empolgação com as respostas do acelerador, ainda mais se você lembra do desempenho oferecido pelos concorrentes turbinados. Observando a aceleração de 0 a 100 km/h do 208, que é feita em 12 segundos, fica fácil entender essa condição desfavorável.

Ao menos ele oferece modos de condução, entre eles o Sport, o que ajuda a aliviar a situação. Mas nesse quesito, o melhor consolo são as boas médias de consumo: 10,9 km/l na cidade e 13,1 km/l na estrada (com gasolina).

Segue legal também a proposta do i-cokpit - uma exclusividade da Peugeot - com o volante pequeno e que dever ficar alinhado abaixo do painel de instrumentos. Para quem valoriza as boas sensações ao volante, pode gostar bastante da sensibilidade diferenciada oferecida por este hatch compacto bem equilibrado.

Agora, gostando ou não da estratégia da Peugeot de utilizar um motor menos empolgante no 208, neste momento a fabricante quer mais é comemorar a recuperação do fôlego de vendas no ano passado, e com a importante ajuda do 208 e seus preços reduzidos.

Para um modelo que iniciou 2021 vendendo menos de 800 unidades por mês, fechar o ano com vendas mensais próximas das 2 mil unidades é motivo de festa sim. Mas a gente sabe que ainda falta aquele tempero proporcionado por um motor mais empolgante e alinhado com a boa proposta aerodinâmica desse carro. Aí sim a conta pode fechar muito mais positiva.

Preço Peugeot 208 Active: R$ 92.990,00 (SP)

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL