PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Em dia eletrônico, Carnaval dos Sonhos leva 15 mil pessoas ao Maracanã

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio

10/02/2018 06h51

Nem só de samba se fez o primeiro dia da maior festa do Brasil. A música eletrônica deu o tom no primeiro dia do Carnaval dos Sonhos, festival que levou mais de 15 mil pessoas ao estádio Maracanã na madrugada deste sábado (10), no Rio de Janeiro.

O que começou tímido  virou um evento grandioso em um instante: por volta de 1h o estádio lotou. Em clima pacifico, o público contemplava o palco emoldurado com múltiplos telões de LED, uma experiência visual por si só. Impecável, o sistema de som impressionou os foliões com quem o UOL conversou.

Os drinques da pista premium e as bebidinhas leves da pista open bar (cerveja, água e refrigerante), os acessos ao banheiro e a alimentação --fornecida por alguns dos melhores food trucks do Rio-- fizeram com que ninguém passasse perrengue. O gramado foi coberto com um tapume de concreto. Conforto, inclusive em termos de lotação, deram o tom da noite.

O clima de flertes e beijos apaixonados, com um público descontraído, fez com que não se registrasse nenhum incidente no evento. A noite começou com o DJ RDT fazendo um "esquenta" para o público que, aos poucos, chegava e se acomodava na pista de dança.

As batidas da noite eram o EDM (eletric dance music, uma mistura de diversos estilos de música eletrônica, incorporando, muitas vezes, outros gêneros musicais).

Os DJs Bruno Be e Manimal fizeram a sequência da pista, que, em seguida, ganhou a apresentação da dupla Chemical Surf, um dos novos queridinhos da cena eletrônica pop. Os irmãos Lucas e Hugo Sanches botaram a pista para dançar com toda a experiência com turnês internacionais nos últimos anos.

Mas todos aguardavam ele: foi um êxtase quando Vintage Culture, um dos DJs e produtores mais badalados do momento, pisou nas cabines. Fãs que cruzaram oceano ou o país todo só para ver a sua apresentação, conforme o UOL registrou. Faixas com o seu nome foram levantadas. Felizes e emocionados, os fãs se apinhavam no gargarejo do palco para interagir com o artista, que foi considerado um dos brasileiros mais influentes do mundo, segundo a revista "Forbes".

A euforia foi, enfim, correspondida com a energética faixa "Losing", um dos seus hits máximos cantados em coro por um Maracanã lotado.

Fazendo jus ao nome artístico, o DJ desfilou uma releitura de "Personal Jesus", do Depeche  Mode, que fez o público ir ao delírio.

Foram os hits, aliás, que incendiaram a pista de dança: seu "bootleg" de Sweet Dreams foi cantado em voz alta pelo público.

Alternando momentos de techno pesado, house, samples de Lulu Santos e Legião Urbana, Vintage Culture não deixou o povo parado --e provavelmente não decepcionou quem viajou muitas horas apenas para ver o ídolo tocar.