PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Fora do "Encontro do Samba", Neguinho da Beija-Flor diz que é "ignorado"

O cantor Neguinho da Beija-Flor criticou organização de evento - Reprodução/Facebook
O cantor Neguinho da Beija-Flor criticou organização de evento Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

05/01/2018 14h26

Integrantes de todas as agremiações do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro se reunirão neste sábado (6) nas areias de Copacabana para o "Encontro do Samba". Exceto um deles: Neguinho da Beija-Flor. Em comunicado enviado por sua assessoria de imprensa, o intérprete da Beija-Flor de Nilópolis afirmou que é "ignorado completamente como artista" pela Riotur, que organiza o evento juntamente com a prefeitura.

"Sempre que aquele palco é montado na praia penso nisso. Chamam todo tipo de artista pra se apresentar, de todos os gêneros musicais, e eu nunca sou lembrado. A festa acontece a poucos metros da minha casa, e nunca pude cantar lá. Acho uma falta de respeito", disse.

A crítica do sambista se deu também em outros eventos onde as escolas participam, mas "nunca são protagonistas". "Parece prêmio de consolação. O Jamelão, o maior intérprete de todos os tempos, tinha uma carreira brilhante fora do Carnaval, e morreu sem nunca ter feito um show com os sucessos dele na areia de Copacabana", afirmou, citando o palco montado para o Réveillon carioca.

Encontro

O "Encontro do Samba" vai reunir os mil ritmistas das escolas de samba aos músicos da Orquestra Petrobras Sinfônica, sob a regência do maestro Isaac Karabtchevsky.

No evento, seis escolas saem do Leme, na avenida Princesa Isabel, as demais da altura da rua Figueiredo Magalhães, e se encontram no palco – o mesmo do Réveillon, em frente ao Copacabana Palace, que sofre reajustes para o encontro. Os primeiros casais de mestre-sala e porta-bandeira das agremiações se apresentarão no palco durante o encontro.

Participam ainda do evento Martinho da Vila, Alcione, Diogo Nogueira e a cantora pop Iza.

Durante os ensaios para o evento, integrantes das agremiações também reclamaram da falta de verba que inviabilizou os ensaios técnicos na Sapucaí em 2018.