PUBLICIDADE

Topo

'Coisas afetivas são importantes para a memória', diz especialista

Do VivaBem, em São Paulo

17/11/2021 10h47

A importância que damos para as informações que captamos tem papel fundamental na memorização. É o que diz a especialista Gislaine Gil, neuropsicóloga e fundadora do Vigilantes da Memória, que participou de bate-papo promovido por VivaBem sobre ginástica cerebral.

O debate faz parte da campanha Ginástica Para o Cérebro, que apresentará conteúdos especiais nos canais oficiais de VivaBem (site e redes sociais, como Instagram, Facebook e Twitter), entre os dias 16 e 21/11. Siga e use a #HackeieSeuCérebro para fazer parte dessa campanha.

"Coisas afetivas a gente descobriu que são importantes para a memória", disse a especialista, comentando a fala da atriz Rosamaria Murtinho sobre como o trabalho de memorizar as falas de seus personagens sempre foi algo natural.

Gil ainda lembrou que a repetição é importante para a memorização. "Isso é igual pegadas na areia, isso vai ficando cada vez mais fundo, ou seja, aquela memória vai saindo da área de curta duração para virar uma memória de longa duração."

As estratégias de memorização também influenciam na forma de armazenar informações, complementa. "Entender essa história de vida e como cada pessoa foi ao longo da vida moldando essas técnicas específicas de memória também é muito importante", diz.

Por fim, ela lembra que a idade não necessariamente implica em esquecer as coisas. "Não é porque estamos ficando velhos que todas as memórias estão ruins, não é verdade, tem algumas que estão muito melhores."

Participaram da conversa Tony Ramos, ator com mais de 40 anos de carreira; Rosamaria Murtinho, atriz, 86 anos e inúmeros papéis nas mais diferentes produções audiovisuais; Gislaine Gil, neuropsicóloga e fundadora do Vigilantes da Memória; e Alexandre da Silva, doutor em saúde pública, especialista em envelhecimento e colunista de VivaBem. O debate foi mediado por Bárbara Paludeti, editora-assistente de VivaBem.