PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Nego Di tem intoxicação alimentar; saiba como prevenir e tratar a doença

Do VivaBem*, em São Paulo

26/02/2021 17h33

Nego Di, ex-participante do BBB 21, precisou ir ao hospital nesta sexta-feira (26) por conta de uma intoxicação alimentar, uma infecção que atinge o trato digestivo. Pelo Instagram, o humorista disse que comeu um lanche de fast food e a ingestão poderia ter causado o problema.

"Acabei comendo um lanche, passei mal, tive uma intoxicação alimentar. Não sei qual foi o problema ainda, se foi problema do armazenamento dos condimentos, só sei que passei mal. Uma dor no estômago de uma maneira que nunca senti", falou.

A intoxicação alimentar ocorre por conta do consumo de alimentos contaminados com toxinas produzidas por determinados tipos de bactérias, na maioria dos casos, mas também por vírus e protozoários. Por isso, para prevenir a doença, é importante higienizar bem os alimentos, como frutas e verduras, além de consumir carnes de lugares com boa procedência. As principais fontes de contaminação são:

  • Peixe cru ou frutos do mar;
  • Carnes ou ovos mal cozidos;
  • Todo tipo de alimento preparado com utensílios (faca, tábua de carne, por exemplo) sem a devida higienização;
  • Água não tratada;
  • Derivados do leite (queijos, iogurtes etc.);
  • Alimentos que contêm maionese que estejam fora da geladeira por muito tempo.

Sintomas costumam aparecer em até 6h após ingestão

Nego Di também contou que sentiu uma dor forte no estômago e precisou ir ao hospital. Em alguns casos, de fato, existe a necessidade de um acompanhamento médico, como ocorreu com Anitta. Isso porque a intoxicação alimentar pode levar a um quadro de desidratação e aí, sim, é necessário o atendimento médico ou até mesmo uma internação.

"Se o paciente tem diarreia, um quadro persistente, e a partir daí tem febre alta, mal-estar, prostração [fraqueza] e desidratação, é um caso que obriga a internação hospitalar", explica Henrique Perobelli, gastroenterologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Além das dores e desconfortos abdominais, a doença pode causar outros sintomas, que costumam aparecer em até 6 horas após a ingestão do alimento. São eles:

  • Náuseas;
  • Sensação de empachamento (má digestão);
  • Cólicas;
  • Diarreia (maior ou menor volume; maior ou menor frequência);
  • Prostração (fraqueza);
  • Mal-estar geral associado a dor de cabeça;
  • Sensação de tontura ou desmaio;
  • Febre (mais raramente).

Como tratar a intoxicação alimentar

Na maioria das vezes, a orientação é hidratação abundante ou correção da desidratação por via venosa, a depender da gravidade do quadro e da perda de eletrólitos. Além disso, o médico deve sugerir adequação da dieta: incluir alimentos leves (principalmente carboidratos como massas, batata cozida ou assada e arroz), e evitar comidas gordurosas, com muito óleo e os derivados de leite. Tais providências visam reduzir a diarreia.

Podem ser indicados medicamentos para controle de sintomas como o vômito. O uso de antibiótico é sempre muito preciso e deve ocorrer somente após a avaliação do médico. Ele nunca é considerado regra nesses casos.

Com essas providências, os sintomas devem desaparecer no período de 3 a 5 dias. Caso eles persistam por mais de 1 semana, procure orientação médica.

* Com informações de reportagens publicadas nos dias 18/02/2021 e 03/03/2020.

Saúde