PUBLICIDADE

Topo

Tudo sobre AVC

Sintomas e tratamentos da doença


Criador da personagem Mafalda morre de AVC; veja como prevenir quadro

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo*

30/09/2020 16h16

Morreu nesta quarta-feira (30) aos 88 anos, o quadrinista Quino, famoso por ter criado a personagem Mafalda. Ele sofreu um AVC (acidente vascular cerebral), de acordo com o jornal argentino Clarín.

De acordo com o Ministério da Saúde, o AVC é segunda principal causa de morte no país, atrás apenas da cardiopatia isquêmica.

A condição pode acometer crianças e idosos. Porém, o risco aumenta quando a pessoa envelhece, sobretudo a partir dos 50 anos, quando dobra incidência de casos. Embora seja uma doença recorrente no Brasil, há maneiras de prevenir o problema. São elas:

Controle da pressão

A hipertensão é disparado o maior fator de risco, sendo responsável por mais de 50% dos casos. A parte interna das artérias é composta pelo endotélio, tecido que permite que o sangue circule livremente, sem formar coágulos. A pressão alta danifica essa área, o que motiva a formação de trombos sanguíneos. Além disso, acelera a aterosclerose e o processo inflamatório na parede do vaso. Por isso, mantenha a pressão arterial marca de 12/8, com a redução do consumo de sal e uma alimentação rica em fibras, legumes, frutas, verduras e cereais.

Obesidade - Mladen Zivkovic/iStock - Mladen Zivkovic/iStock
Imagem: Mladen Zivkovic/iStock

Reduza a gordura

O colesterol ruim (LDL) também agride o endotélio, e representa 25% das causas de AVC. O aumento de placas de gordura desencadeia a aterosclerose e pode obstruir as artérias. Portanto, evite ou reduza açúcar refinado, farinha branca e o consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas e trans (salgadinho de pacote, bolacha recheada, carnes gordurosas, margarina). Prefira peixeS, oleaginosas (nozes, castanhas, avelã) e produtos integrais, para estabelecer as taxas recomendadas: HDL (bom) 40 mg/dl; LDL (ruim) 130 mg/dl; total (mistura do bom com o ruim) 190 mg/dl.

Maneire no açúcar

O diabetes pode ser causado por fatores genéticos, mas também por uma dieta farta em açúcar, carboidrato e gordura. Não abuse de farinha branca, bebida alcoólica e docinhos de sobremesa. Troque por alimentos integrais e ricos em fibra, leguminosas, legumes, verduras e adoçante. Assim, você não ultrapassará o nível de 99 miligramas de glicose por decilitro de sangue (mg/dl) e evitará lesões no endotélio e doenças cardíacas.

Coração bombeando sangue - iStock - iStock
Imagem: iStock

Cuide do coração

As cardiopatias são fatores de risco importantes de AVC. A fibrilação atrial, por exemplo, promove o batimento irregular do coração, o que favorece a formação de coágulos, que podem ser liberados e chegar ao cérebro. Essa arritmia está relacionada com a idade, e atinge 10% das pessoas acima de 70 anos e 20% daquelas com mais de 80 anos. O infarto do miocárdio e a insuficiência cardíaca também aumentam a probabilidade de sofrer um derrame.

Se atente ao peso

A obesidade facilita o surgimento de hipertensão, colesterol e diabetes. Por outro lado, pode causar, mesmo isoladamente, o AVC. O acúmulo de gordura no tecido adiposo abdominal forma substâncias que aumentam a formação de plaquetas, que é um dos elementos do sangue envolvido com a coagulação. Além de gerar síndromes metabólicas, o excesso de peso provoca apneia, que compromete a respiração e gera alterações cardiovasculares e complicações circulatórias.

Fique mais tranquilo

O estresse promove a agregação das plaquetas, que funcionam no sistema de coagulação, e aumenta a pressão arterial, a arritmia cardíaca e a contração das artérias. Mude a rotina para tentar, ao máximo, controlar a ansiedade e irritação. Invista em novos hábitos e mudanças que promovam um relaxamento.

cigarro; fumo; tabagismo; maço - iStock - iStock
Imagem: iStock

Evite fumar

As substâncias contidas no cigarro lesam o endotélio e estimulam o processo de aterosclerose, por serem potencialmente agressivas. Não importa a quantidade. Basta fumar para sofrer as consequências, que também podem aparecer no tabagismo indireto. Há estudos que mostram o aumento do número de casos de AVC em pessoas que convivem com fumante, quando se analisa a corrente sanguínea.

Não exagere na bebida alcoólica

O excesso de consumo de álcool leva a doenças cardiovasculares, facilita a aterosclerose e aumenta a agregação das plaquetas. A intoxicação alcoólica é perigosa por que causa desidratação e, em razão disso, perda de volume sanguíneo circulante. Por isso, modere. Beber de forma crônica —todos os dias e em grande quantidade— lesiona o fígado, provoca problemas de coagulação e até um AVC hemorrágico.

Mexa-se ao máximo

O sedentarismo é um fator de risco baixo, mas importante, sobretudo nos hipertensos, obesos e portadores de diabetes e colesterol alto. Praticar exercício melhora o metabolismo corporal. Caminhe por 30 minutos todos os dias e faça atividades aeróbicas e de musculação. A intenção não é se tornar um atleta, mas trabalhar ações preventivas.

*Com informações de matéria publicada 12/05/2020