PUBLICIDADE

Topo

Comer cenoura ajuda no bronzeado?

Renata Turbiani

Colaboração para VivaBem

09/09/2020 04h00

Se você faz parte da turma que gosta de se bronzear, provavelmente já ouviu falar que comer cenoura ajuda no processo. Mas será que ela tem mesmo esse poder? Certamente, isso porque é rica em betacaroteno, uma provitamina que se transforma em vitamina A no organismo, e esta, por sua vez, estimula a produção de melanina, o pigmento que dá a tonalidade da pele.

Também vale destacar que o betacaroteno, por ter ação antioxidante, protege o maior órgão do corpo —a pele— dos radicais livres —produzidos pelos raios ultravioletas durante a exposição ao sol— e do envelhecimento precoce e ainda contribui para uma aparência mais saudável e sem manchas.

Mas atenção: para conquistar os efeitos desejados, não adianta ingerir o vegetal uma única vez, é preciso constância. O ideal é introduzi-lo nas refeições cerca de um mês antes de tomar sol, a fim de que já comece a agir no organismo, manter durante o período em que irá frequentar praias e piscinas e continuar por um mês depois.

Só cuidado para não exagerar na dose, pois, quando em excesso, o betacaroneto, ao invés de deixar a pele com uma coloração dourada e bonita, pode amarelar —essa condição se manifesta mais comumente nas palmas das mãos e solas dos pés, mas há o risco de ocorrer na face.

Segundo as especialistas consultados por VivaBem, para o melhor aproveitamento dos benefícios da cenoura, a recomendação é alternar o consumo entre cozida e crua. A explicação é que a vitamina A presente nela é lipossolúvel e tem maior absorção se acompanhada de uma fonte de gordura saudável, como o azeite de oliva extravirgem.

Por outro lado, no processo de cozimento, algumas vitaminas sensíveis ao calor (a C, por exemplo) acabam se perdendo.

Bronzeado saudável

Não basta consumir cenoura e outros alimentos ricos em betacaroteno (mamão, abóbora, laranja, espinafre, rúcula e beterraba são alguns) para ter um bronzeado bonito e saudável. Na verdade, mais importante do que isso é o uso de filtro solar —com FSP 30, no mínimo—, para proteger a pele contra queimaduras e as ações nocivas dos raios UVA e UVB, como envelhecimento precoce, manchas e, sobretudo, câncer de pele.

Além disso, a exposição solar deve ocorrer de forma gradual e, preferencialmente, antes das 10h e após às 16h, períodos em que radiação ultravioleta é menos perigosa. Nas épocas de sol, também é fundamental caprichar na ingestão de água e hidratação da pele, manter uma dieta balanceada e leve, evitar bebidas alcoólicas e cigarro e usar óculos de sol e chapéu ou boné.

Outra dica para manter um belo tom dourado é ter cuidado com alimentos como limão e laranja quando estiver em ambientes abertos, aproveitando o calor do astro-rei. O que acontece é que tanto na casca quanto no sumo deles há a presença da furocumarina, uma substância capaz de queimar a derme (fitofotodermatose) e causar manchas.

Fontes: Débora Palos, nutricionista da Clínica Dra. Maria Fernanda Barca e do Centro Médico do Hospital Nove de Julho (SP); Lara Natacci, coordenadora da Comissão de Comunicação da SBAN (Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição); Marisa Diniz, nutricionista do Hospital Leforte Liberdade; e Paola Pomerantzeff, dermatologista da clínica Koza Dermatologia e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) e da SBCD (Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica).