PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Saiba quais chás as grávidas devem evitar e entenda os motivos

iStock
Imagem: iStock

Daniela Venerando

Colaboração para o VivaBem

15/01/2020 04h00

Quem não gosta de um chazinho após o almoço ou no final da tarde? Além de gostosos, os chás são notoriamente conhecidos como um remédio natural para o organismo. E é justamente aí que mora o perigo.

"As grávidas precisam moderar no consumo dos chás, principalmente quando o objetivo é se automedicar. Muitos princípios ativos das plantas têm efeitos abortivos, podem causar má formação ao feto e provocar sintomas como febre, tontura, sangramento vaginal, cólicas e confusão mental", alerta Erica Mantelli, obstetra.

Segundo ela, a restrição vale principalmente no primeiro trimestre, quando há maior risco de acarretar doenças ligadas a alterações genéticas, porque é nesse período que ocorre a formação dos órgãos do feto.

É bom ressaltar que os efeitos do chá só acontecem quando o consumo é feito de forma concentrada e em grandes quantidades, porém cada organismo reage de um jeito, portanto, o mais prudente é não arriscar.

Como um chá natural pode fazer mal?

"As plantas também podem ser tóxicas e o prejuízo pode ser tanto para a mãe como para o feto. Uma grande preocupação é a ausência de estudos robustos e sérios que garantam segurança no uso pelas gestantes, portanto não vale correr riscos desnecessários", alerta Viviane Lago, nutricionista e mestre em ensino em Ciências da Saúde pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Ela indica sempre consultar o obstetra ou o nutricionista antes de tomar qualquer chá. Isso porque alguns deles são comumente consumidos e as pessoas nem imaginam o perigo. Entre eles estão a erva-doce e a camomila, que são estimulantes da menstruação e tem efeito abortivo.

Outros tradicionais, como o chá preto, o mate e o verde podem provocam contrações uterinas, pois contêm cafeína, que estimula o sistema nervoso central e provoca palpitações cardíacas na grávida. Apesar deste potencial efeito, Eduardo Zlotnik, obstetra do Hospital Albert Einstein (SP), avisa que os chás com cafeína são seguros se consumidos com moderação.

"Vários estudos confirmam que a substância só é prejudicial se ingerida em excesso —mais de 300 mg por dia, o que equivale a três xícaras médias de chá preto", diz Zlotnik. Já a FDA (Food and Drug Administration), agência reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, defende que a ingestão deveria se manter abaixo de 200 mg diários.

Confira a seguir a lista dos chás provenientes de ervas emenagogas, aquelas com substâncias que provocam a contração uterina, podendo causar hemorragias e levar ao aborto, segundo Marcela Voris, nutróloga da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia), porém, ressaltamos mais uma vez: fale com o seu médico.

Chás vetados para grávidas

  • Canela - pode provocar constrição sanguínea e contração dos músculos do útero.
  • Boldo - possui efeitos tóxicos devido à presença do ascaridol, que pode causar abortos e má formação fetal.
  • Carqueja - relaxa o útero e pode provocar aborto.
  • Sene - pode provocar diarreia e contrações uterinas.
  • Calêndula - tem efeito abortivo.
  • Erva-doce - tem efeito abortivo.
  • Camomila - relaxa o útero e pode provocar aborto.
  • Cravo-da-índia - tem efeito abortivo.
  • Hortelã - pode provocar má formação do feto.
  • Buchinha do norte - tem efeito abortivo.
  • Arruda - pode provocar contrações uterinas, sangramentos e um processo abortivo. O excesso pode provocar ainda intoxicação e levar a infecções intestinais, problemas no funcionamento renal e hepático.
  • Arnica - pode provocar hemorragia e aborto.

Chás com cafeína

chá verde - iStock - iStock
Grávidas devem maneirar no consumo de chá verde
Imagem: iStock

Os chás preto, mate, verde, branco e banchá são liberados, mas com restrições. Todos contêm cafeína, que deve ser evitada ao longo dos nove meses, pois estimula o sistema nervoso central, deixando a gestante agitada, com palpitações cardíacas e aumenta o risco de o bebê nascer com baixo peso.

Estudos indicam o consumo de até 300 mg por dia, o que equivale a três xícaras médias de chá. Saiba também que a cafeína é diurética, portanto pode intensificar as idas ao banheiro. Se isso é um incômodo, é bom reduzir o seu consumo.

Chás benéficos para grávidas

Tomando sem excesso, os chás podem trazer alívio e bem-estar. E se tiver uma hortinha em casa, melhor ainda, já que as propriedades da planta são mais preservadas. Para preparar, coloque a água para ferver numa panela e desligue o fogo quando as primeiras bolinhas de ar começarem a subir.

Adicione as folhas nesta água e deixe descansar (com tampa) por 3 a 5 minutos. Após este tempo de espera é preciso coar. Consuma, de preferência, ainda morno, logo após o preparo, para que as suas propriedades permaneçam preservadas. Confira a lista:

  • Rooibos - tem efeito calmante, alivia dores de cabeça e sintomas de depressão leve.
  • Frutas - não oferecem perigo e pode ser acrescido de uma fatia de gengibre para melhorar o enjoo.
  • Valeriana - alivia a ansiedade, a agitação e trata crises de insônia.
  • Alfazema - promove o relaxamento, diminui a ansiedade e melhora o sono.

VivaBem no Verão - 2ª edição

O VivaBem está no litoral paulista com o VivaBem no Verão. São dois espaços na Riviera de São Lourenço (Bertioga) com diversas opções de atividades físicas, lazer, cultura e comidas para você curtir o calor com a família ou os amigos. Saiba mais sobre o evento aqui e venha nos visitar!

Data: de 26 de dezembro de 2019 até o dia 09 de fevereiro de 2020, de quinta a domingo
Horário de funcionamento: das 9h até as 13h (praia) e das 17h até a 1h (arena)
Endereço arena: Av. Riviera, s/n, próximo ao shopping
Local do espaço na praia: canto direito da praia de Riviera de São Lourenço
Entrada: gratuita

Saúde