PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

CEO da Roche recomenda uso criterioso de testes para covid-19

Teste domiciliar para verificação de presença do novo coronavírus  - iStock
Teste domiciliar para verificação de presença do novo coronavírus Imagem: iStock

Tim Loh e Francine Lacqua

23/07/2020 08h54

A Roche, uma das maiores fornecedoras de produtos de diagnóstico, alerta que os países precisam ser mais criteriosos no uso de testes para a covid-19, porque a oferta ainda não é suficiente.

A demanda por testes é maior do que a capacidade de suprimento do setor, e essa situação pode continuar por meses, alertou hoje Severin Schwan, diretor-presidente da Roche. A Roche já quadruplicou a capacidade de produção de vários tipos de testes de coronavírus.

"A demanda é enorme e, portanto, é muito importante que os testes sejam realmente alocados aos pacientes com sinais e sintomas, pacientes que mais precisam", disse Schwan em entrevista à Bloomberg TV. Testes moleculares que determinam se um paciente tem o vírus são mais escassos, afirmou.

Alguns governos enviaram aviões militares para retirar componentes de testes, de acordo com Thomas Schinecker, que comanda a unidade de diagnóstico da Roche.

As vendas dos testes de coronavírus ajudaram a impulsionar os números da farmacêutica suíça no primeiro semestre, mas a queda das receitas em maio levou a resultados decepcionantes, pois as quarentenas afetaram alguns medicamentos importantes, como o Ocrevus, para esclerose múltipla.

No balanço semestral, a Roche, destacou a recuperação da demanda em junho e reiterou suas perspectivas para o ano. A unidade de diagnóstico da empresa lançou alguns dos primeiros e mais precisos testes moleculares e de anticorpos para a covid-19, mas outros produtos de teste sentiram o impacto das paralisações da pandemia.

As vendas do Actemra, um medicamento para artrite reumatoide, foram impulsionadas pela demanda de pacientes com coronavírus em meio a indícios de que o fármaco pode ajudar contra o novo vírus. Os resultados de um ensaio clínico formal do medicamento em pacientes com pneumonia grave serão divulgados em breve, informou a empresa.

Saúde