PUBLICIDADE

Topo

Professores podem prevenir o burnout praticando atenção plena

iStock
Imagem: iStock
Marcelo Dermazo

Marcelo Demarzo é médico especialista em mindfulness (atenção plena), professor e pesquisador na área de medicina, saúde e bem-estar. Ministra cursos e palestras sobre estilo de vida mindful, bem-estar e saúde --expertise desenvolvida em 15 anos como professor e pesquisador em vários hospitais e universidades brasileiras (UNIFESP, USP, Hospital Israelita Albert Einstein) e internacionais (Universidade de Oxford, Universidade de Zaragoza, Harvard University). É autor de livros e estudos científicos relacionados ao tema de mindfulness e qualidade de vida e realiza dezenas de atendimentos individuais e em grupo para disseminar o conceito de mindful living (viver pleno e consciente). É coordenador da Especialização em Mindfulness da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo).

Colunista do UOL

17/07/2020 04h00

Os treinamentos em mindfulness são eficazes para o gerenciamento do estresse em geral e também para situações específicas, como o estresse crônico relacionado ao trabalho, que chamamos de burnout (ou síndrome do esgotamento profissional).

A profissão de "professor" está entre as que mais desenvolvem burnout, além de ansiedade e depressão, em especial quando as condições estruturais de trabalho não são adequadas.

Os principais sintomas são exaustão emocional, despersonalização (sensação de estranhamento ou "separação" de si mesmo e com as atividades de trabalho —distanciamento ou não-engajamento), e sensação de falta de eficácia ou realização pessoal.

Uma série de pesquisas nos mostram que uma porcentagem considerável de professores (nos vários níveis de ensino) desejariam se aposentar antes do tempo previsto devido ao estresse relacionado ao trabalho, e seus efeitos negativos sobre as relações pessoais, qualidade do sono e saúde física.

A exposição ao estresse no ambiente escolar tem impacto negativo não só nos professores, mas também indiretamente nos estudantes, pois piora as relações interpessoais e o "clima de classe", prejudicando o aprendizado.

O impacto negativo advém da diminuição da atenção e concentração, aumento das taxas de erros, dificuldade de se tomar decisões e redução da capacidade de estabelecer relações sólidas e funcionais com os estudantes.

Como mindfulness pode ajudar?

Os efeitos positivos dos treinamentos em mindfulness para professores são amplos, e confirmados por estudos científicos, por exemplo: diminuição de sintomas de ansiedade, depressão e burnout, diminuição do absenteísmo (em especial das faltas no trabalho relacionadas ao estresse e suas consequências), melhora da empatia e da comunicação com outros professores e estudantes, e melhora da qualidade de vida e bem-estar em geral.

Além desses efeitos relacionados à saúde, há também efeitos relacionados à atividade laboral, como aumento da criatividade e melhora da performance e aspectos de liderança em sala de aula.

Um estudo recente de 2019 mostrou que um maior nível de atenção plena dos professores é um fator de proteção contra o estresse proveniente da carga de trabalho, influenciando positivamente também o senso de propósito em relação à profissão, prevenindo o esgotamento profissional.

Para os professores que ainda estão começando a ter interesse no tema e nas práticas de mindfulness, um exercício simples é a prática de 3 passos ou 3 minutos de mindfulness (clique aqui para conhecer e começar a experimentar).

Ela pode ser usada ao longo do dia para se treinar a habilidade de pequenas pausas de consciência, como também em momentos mais desafiadores como reuniões ou conversas difíceis com colegas de trabalho ou estudantes.

Vamos praticar? Nesse link você encontrará uma playlist completa, na forma de curso introdutório de mindfulness, com outras práticas simples e acessíveis a qualquer pessoa que queira dar os primeiros passos em mindfulness.

Mande sua pergunta: Se você tem alguma dúvida ou curiosidade sobre mindfulness, atenção plena, ou neurociência do comportamento, por favor me escreva que terei prazer em abordar seu tema em textos futuros: demarzo@unifesp.br

Referência: Demarzo & Garcia-Campayo. Manual Prático de Mindfulness: curiosidade e aceitação. Editora Palas Athena, 2015.

Para Saber Mais:

  • www.mindfulnessbrasil.com (Mente Aberta - Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde - UNIFESP)
  • www.webmindfulness.com (WebMindfulness - Grupo de Pesquisa Coordenado pelo Prof. Javier García-Campayo - Universidad de Zaragoza, informações em espanhol)
  • www.umassmed.edu/cfm (Centro de Meditação "Mindfulness" na Medicina, Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, informações em inglês)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL