PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

"Crianças trans são lindas. Fanatismo não", diz Alexandria Ocasio-Cortez

A deputada americana de extrema esquerda Alexandria Ocasio-Cortez pede respeito às pessoas trans - Michael Brochstein/Getty Images
A deputada americana de extrema esquerda Alexandria Ocasio-Cortez pede respeito às pessoas trans Imagem: Michael Brochstein/Getty Images

De Universa

07/03/2021 11h51

A deputada americana de extrema esquerda Alexandria Ocasio-Cortez defendeu a participação de crianças trans nas categorias esportivas as quais elas se identificam. Ou seja: uma atleta trans mulher no esporte feminino e o trans homem no masculino. Ela ainda acusou os republicanos de "causar muitos danos às crianças" em um tweet postado na noite de sexta-feira.

"Crianças trans são impressionantes, incríveis, lindas e maravilhosas. O fanatismo não ", tuitou AOC. "Os republicanos precisam parar de ficar obcecados com a identidade de gênero das outras pessoas, mas, francamente, é muito estranho e eles estão causando tantos danos às crianças que estão apenas tentando ser elas mesmas".

A representante da cidade de Nova York adicionou a hashtag #LetKidsPlay (deixem as crianças jogarem).

Ocasio-Cortez estava tuitando uma postagem do colega democrata de Nova York Mondaire Jones:

"Ouvi dizer que @RogerMarshall (senador republicano) ofereceu uma emenda ao projeto de lei de alívio do covid para proibir crianças trans de praticar esportes", escreveu Jones. "Deixe-me ter certeza de que entendi as regras do Senado aqui: os americanos não merecem um salário mínimo de 15 dólares por minuto, mas é legal atacar e excluir crianças trans nos esportes? #LetKidsPlay. "

A emenda, porém, não exclui as crianças transexuais dos esportes. Em vez disso, separa os atletas com base na biologia, em oposição à identidade de gênero.

No mês passado, o Departamento de Justiça do governo Biden retirou o apoio a um processo movido por três atletas do ensino médio que impediria mulheres trans de competir em esportes femininos em Connecticut, conforme relatou o Daily Wire. O processo foi apoiado pelo ex-procurador-geral nomeado por Trump, Bill Barr.

Em 20 de janeiro, o presidente Joe Biden assinou uma ordem executiva declarando: "As crianças devem ser capazes de aprender sem se preocupar se não terão acesso ao banheiro, vestiário ou esportes escolares".

De acordo com o Austin American-Statesman, a ordem "não impõe nenhuma nova diretriz que traga imediatamente mudanças aos esportes escolares ... Em vez disso, exige que as agências federais, incluindo o Departamento de Educação dos EUA, revisem as políticas e programas existentes para determinar se são de acordo com a nova orientação que proíbe a discriminação com base no gênero e sexualidade, e para implementar mudanças, se necessário."

Diversidade