PUBLICIDADE

Topo

Universa

Luana Piovani critica 'besteiras' de Bolsonaro; Maldonado defende imprensa

De Universa, em São Paulo

30/03/2020 13h51

As medidas anunciadas até aqui pelo Brasil — em especial pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) — no combate à pandemia do novo coronavírus foram alvo de críticas hoje no programa UOL Debate.

A atração reuniu a atriz e apresentadora Luana Piovani, que mora em Cascais, cidade próxima a Lisboa; a modelo e influencer Tessália Serighelli, atualmente em Londres; a jornalista Patrícia Maldonado, hoje em Miami; e a atriz Tânia Khalill, em Nova York. A missão era debater a influência da covid-19 no cotidiano das mulheres em outros países.

Comparando a situação no exterior com a do Brasil, porém, o panorama nacional não foi bem visto.

"Nosso presidente está falando besteira desde que entrou, agora é um nível de besteira assassino, irresponsável, inconsequente, imprudente. E não me venha com xurumelas de economia pelo amor de Deus; não sei nem que palavra dizer. São tantos equívocos do nosso presidente que não é surpresa. É tão inacreditável o que ele está fazendo", desabafou Luana Piovani.

"O que a gente está vendo agora, a gente fica meio engasgado de pensar essas situações. Somos mulheres bravas e sentindo esse medo. Pessoas que normalmente não têm medo e se sentindo nesse momento com medo", relatou Tessália.

"Realmente acho que é uma questão de repensar como a gente tem nosso relacionamento com o governo, com a política com as pessoas responsáveis por esse tipo de questão. Aqui em Londres me sinto mais cuidado que a minha família no Brasil", acrescentou.

Patrícia Maldonado engrossou o coro nas críticas. Como jornalista, lembrou também da relação de Bolsonaro e apoiadores com a imprensa nos tempos de pandemia.

"Fico revoltada de ver a maneira como a classe jornalística está sendo tratada pelo presidente. Tudo é embasado, vem do Ministério da Saúde. A gente divulga números oficiais. Ninguém está criando", reforçou. "E aí o presidente vem um dia no atendimento que ele faz em Brasília e pergunta aos jornalistas se eles estão com medo? E pergunta o que eles estão fazendo ali? Não saio de casa para fazer minhas entradas todo dia de manhã porque acho cool. É meu trabalho."

Universa