PUBLICIDADE

Topo

Coletor menstrual era perfeito pra você e agora incomoda? Veja o que fazer

Está incomodando? - iStock
Está incomodando? Imagem: iStock

Caroline Apple

Colaboração para Universa

24/09/2019 04h00

Há uns anos, o coletor menstrual virou o queridinho das mulheres. Ecologicamente correto e muito prático no que diz respeito à higiene, muita gente trocou os absorventes pelos copinhos de borracha. Algumas, entretanto, têm relatado nos grupos especializados e nas páginas das fabricantes nas redes sociais problemas com vazamentos e até cólicas após o uso contínuo do copinho.

A dentista Pamela Freitas, de 36 anos, é a dona da página Papo de Copinho, no Instagram, onde faz comparação entre diferentes marcas de coletores menstruais e outros produtos reutilizáveis. Entre suas mais de sete mil seguidoras, a dentista passou a notar as reclamações frequentes sobre vazamentos e cólicas. Entre as garotas que reclamam, ela observou uma constante: elas usaram os copinhos durante algum período sem dificuldade, mas agora enfrentam desafios de uso.

"Eu, inclusive, tive problemas com o meu copinho neste ano. Por dois ciclos, meu coletor favorito, que eu uso desde 2016 e sempre foi perfeito, simplesmente não funcionou de jeito nenhum. Eu tive que usar um que pega mais vácuo no lugar. Depois desses dois meses, ele voltou a funcionar como se nada tivesse acontecido", afirma a dentista, que decidiu começar a falar sobre coletores em 2015, após encontrar dificuldade em conseguir informações sobre produto e formas de utilização.

A psicóloga e doula Ana Paula Machado, de 38 anos, é uma dessas mulheres que se decepcionaram com o coletor menstrual depois de viver uma verdadeira relação de amor com ele. A psicóloga conta que quando o uso começou entre as amigas, ficou animada pela possibilidade de deixar de jogar tanto resíduo na natureza mensalmente.

Ana Paula Machado teve problemas com o coletor - Arquivo Pessoal
Ana Paula Machado teve problemas com o coletor
Imagem: Arquivo Pessoal

"No começo, eu sentia um pouco de cólica, mas percebi que era por causa do jeito que eu colocava e fui ajeitando o copinho até ele encaixar perfeitamente. Então passei um ano vivendo esse período do mês de uma forma nova e muito positiva. Mas, com o passar do tempo, os vazamentos começaram — e não pararam mais. Parecia que eu tinha desaprendido a colocar o coletor. Passei a usar o copinho e o absorvente tradicional, mas isso não me fazia sentido. Até que abandonei a ideia e recorri aos absorventes de pano e a calcinha absorvente", conta Ana Paula.

Manuseio e mudanças

A obstetriz Mariana Betioli é fundadora da Inciclo, uma das maiores fabricantes de coletores menstruais do país. Por conta de sua profissão, Betioli explica a fisiologia da cólica e o motivo de algumas mulheres sentirem dor ao usar o copinho.

"A força com que o útero faz para expelir o sangue pode causar esse desconforto, que é a cólica menstrual. Então isso não tem nada a ver com o coletor. O coletor não tem como causar cólica menstrual. Porém, se está muito lá no fundo, encostando no colo do útero, pode promover uma sensação de 'coliquinha', a mesma sentida rapidamente em exames como do Papa Nicolau. Outro motivo seria a formação de vácuo. Se dobrar demais e o coletor fizer força para abrir lá dentro, ele pode dar uma sugada e vai puxar, tensionar o tecido", explica Betioli.

As mudanças físicas da mulher também são levadas em consideração quando um problema de vazamento chega até as marcas. Aline Lima é supervisora-geral Korui, marca que trabalha no segmento de produtos reutilizáveis para uso durante a menstruação. A supervisora afirma que mudanças físicas podem impactar diretamente na rotina de uso.

"O fluxo menstrual pode aumentar, a mulher pode parar de tomar anticoncepcional e, com isso, modificar também o fluxo, o uso do DIU pode influenciar e até mesmo se passa a praticar algum exercício físico e com isso fortalece a região pélvica, ela vai precisar de um coletor mais enrijecido", afirma a supervisora.

Portanto, o corpo da mulher passa por variações que podem impactar diretamente no desempenho do produto. Além disso, as dúvidas em relação ao uso e a escolha certa do copinho também devem ser considerados, como explica a ginecologista Ligia Rodrigues. "A principal queixa no consultório é em relação a vazamento e dificuldade de colocar. Acham difícil deixar confortável, sentem que está grande e ainda têm dúvidas sobre como escolher o tamanho certo. O manusear ainda é o maior desafio", diz a ginecologista.

Veja como prevenir cólicas e vazamentos com o seu coletor menstrual:

1 - Está vazando quando pratica exercícios físicos? Considere trocar o coletor.
2 - Não use coletores menores para adaptação, porque existe um grande risco de vazamento.
3 - Aprenda a ter mais intimidade com o seu corpo para manusear o objeto com segurança.
4 - Se parar de tomar anticoncepcional, analise a necessidade de comprar um coletor maior, caso o fluxo aumente.
5 - Colocou DIU, fez procedimentos cirúrgicos ginecológicos e urinários? Vale repensar o modelo do coletor.

6 - Não dobre demais na hora de inserir o copinho, evitando o vácuo excessivo que pode causar desconforto.
7 - Na colocação, ajeite na cavidade vaginal, girando suavemente.
8 - Não deixe seu coletor fervendo por muito tempo na limpeza, porque pode afetar o material e impactar no desempenho.

9 - Compre o modelo certo para o seu corpo. Na dúvida, entre em contato com a fabricante e explique seu caso.
10 - Não desista no primeiro problema que surgir. Porém, se depois de certa insistência a adaptação não acontecer, considere usar outros produtos reutilizáveis, como absorventes de pano e calcinhas absorventes.

Papo de vagina