Topo

Deputado que ofendeu Daniela Mercury terá de pedir desculpa, decide Justiça

Daniela Mercury - Célia Santos/Divulgação
Daniela Mercury Imagem: Célia Santos/Divulgação

Mariana Gonzalez

Da Universa

09/08/2019 14h45

Daniela Mercury participou na manhã desta sexta-feira (9) de uma nova audiência da ação de injúria racial movida contra o deputado federal Pastor Sargento Isidório (AVANTE-BA), que, no ano passado, gravou um vídeo usando palavras ofensivas contra a cantora e a comunidade LGBTQ+.

No Fórum Criminal de Salvador, Daniela e Isidório selaram um acordo: o parlamentar deveria reconhecer publicamente o erro, retirar o vídeo de todas as redes sociais e publicar um pedido de desculpas a Daniela.

O novo vídeo, em que o deputado pede perdão, foi gravado dentro da sala de audiência, com tempo semelhante ao que comete as injúrias, na presença do juiz e do advogado da cantora, o criminalista Ricardo Sidi. As imagens devem ser publicadas em breve nas redes sociais dele.

Além disso, Isidório terá que pagar 25% do salário de deputado durante cinco meses a duas instituições escolhidas durante a audiência: o Instituto Nice de Apoio a Mulheres Travestis e Transsexuais e o Hospital Martagão Gesteira, que trata crianças com câncer.

À Universa, Daniela disse que essa é uma vitória importante para os direitos humanos e pela liberdade de expressão artística: "Me sinto feliz de ter deixado claro quem eu sou como militante e defensora da democracia. Esse pedido de desculpas me faz acreditar na manutenção dos nossos direitos constitucionais".

"Sindicato da viadagem"

As ofensas foram publicadas em outubro de 2018, depois que Daniela Mercury se posicionou contra a censura da peça de teatro "O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu", protagonizada por uma atriz transexual.

No vídeo, o pastor e deputado diz que a cantora teria invocado demônios e ofendido símbolos religiosos -- uma inverdade, segundo sua assessoria. Ele também se refere a Daniela como "escrava de satanás" e a acusa de promover o que chamou de "sindicato da viadagem".

Em outro momento do clipe, ele diz que "sexo deve ser feito com pênis e vagina", se referindo ao fato de a cantora defender os direitos da população LGBTQ+, ser lésbica e estar casada há seis anos com Malu Verçosa.

Em janeiro, Isidório faltou a uma audiência de conciliação e recorreu à primeira decisão da justiça, que já o havia condenado a se retratar.

Mais Diversidade