Topo

Experimenta

Nossos repórteres passam pelas mais diversas experiências e contam como foi


"Faz isso e ele gama": o que aprendi seguindo 6 lições de um coach amoroso

Ítalo Ventura é "coach de relacionamento" e faz vídeos e posts em redes sociais para "empoderar" mulheres: "Eu vou quebrar o código dos homens para você parar de ser enrolada" - Reprodução
Ítalo Ventura é "coach de relacionamento" e faz vídeos e posts em redes sociais para "empoderar" mulheres: "Eu vou quebrar o código dos homens para você parar de ser enrolada" Imagem: Reprodução

Camila Brandalise

Da Universa

08/04/2019 04h00

- Amiga, acabei de descobrir um cara no Instagram que dá dicas para mulheres conquistarem homens. Tô apavorada.
- Quem? O Ítalo? Eu sigo, vejo sempre, adoro as dicas dele.

Deu bug. Já fui cheia de preconceitos pensando em falar mal do coach de relacionamentos Ítalo Ventura, a nova sensação da internet, quando ouvi essa resposta de uma amiga com quem conversava e pensei: "Peraí, esse cara é um sucesso e eu não sabia?"

Para quem não o conhece: Ítalo faz vídeos e posts em redes sociais para "empoderar" mulheres. Ele diz que vai "quebrar o código dos homens" para ajudá-las a conseguir "um relacionamento de alto valor" e a "parar de ser enrolada". Apareceu em 2016 no YouTube, onde hoje já tem 700.000 inscritos no canal que leva seu nome, e no Instagram, rede em que acumula 250.000 fãs. Ele chama as seguidoras de "mulheres de alto valor", ou da sigla da expressão, MAV.

Não gosto da ideia de um homem dizer como nós, mulheres, devemos agir para atrair a atenção masculina. Alguém pode dizer: "não concorda, não segue", mas ele está aí, publicamente, reforçando que o poder feminino está diretamente ligado à capacidade de atrair os homens. Se não tiver ninguém te querendo, é porque você não tem poder --ainda! Mas, "devorando" os vídeos do coach, você vai aprender a ter.

Passei o olho nos títulos desses vídeos e minha memória voltou para as capas de revistas dos anos 1990, com aquelas chamadas do tipo "10 dicas para deixar um homem louco por você", "50 coisas que você está fazendo errado na hora da conquista", "100 maneiras de fazer ele te pedir em namoro".

Mas brequei a irritação e parei para pensar: minha amiga gosta, centenas de milhares de mulheres no YouTube gostam, outras centenas de milhares no Instagram também. Será que não é o caso de assistir a esses vídeos para saber o que ele está falando? E, já que estou aqui ouvindo essas dicas, que tal colocá-las em prática e ver se os homens têm mesmo essa engrenagem que responde a estímulos tão simplórios?

Vi os vídeos dele por uma semana e coloquei algumas estratégias em prática. Aqui está o que aprendi:

Lição 1: o que fazer se ele não responde minhas mensagens?

Ítalo dá dicas para puxar papo depois de um vácuo. Sempre resisti a isso. Para mim, silêncio é uma resposta, não tem por que insistir. Mas estou aqui a trabalho, então vamos lá.

Depois de sair com um cara com quem fiquei, mandei mensagem no dia seguinte e ele não me respondeu. Três dias depois, segui a técnica. Ítalo sugere mandar a seguinte mensagem: "Meu filho, tá vivo? Já posso chamar a polícia?". Diz ele que tem que ser algo assim, leve, divertido, sem cobrança.

Mandei. Vácuo de novo. Vácuo eterno.

Lição 2: sexo é prêmio. Negue, mas do jeito certo

Se você só quiser transar, tudo bem. Mas, segundo o Ítalo, esse não é o caminho para conseguir um "relacionamento de alto valor". Por isso, fazer o encontro ou a relação se basear em sexo é um erro. Mais do que isso, é um prêmio que você dá para o cara. E o mestre diz: pare de premiá-lo.

Tive dois dates em uma semana e usei a técnica. Disse que "hoje, não" nas duas vezes, mostrando que queria ir mais devagar. Acho que nenhum deles foi embora pensando que tenho mais valor por causa disso. Um me deu um perdido, como contei no item anterior, e, com o outro, tenho trocado algumas mensagens de vez em quando, mas nada muito emocionante. Foram só dois mas, a princípio, não fez diferença alguma. Que bom.

Lição 3: não mande nudes, faça essa brincadeira e deixe-o louco

Nudes estão proibidas por Ítalo, porque a "cabeça do homem" funciona na base da imaginação. Então, a ideia é fazê-lo pensar em você, e não mandar a imagem de mão beijada.

A brincadeira se chama "imagine se a gente estivesse...". Propus para um paquera que já mantenho há um tempo. Comecei: "Imagine se a gente estivesse bebendo. Que bebida seria?". Ele respondeu: "Gim tônica". Gostei. Fiz a mesma pergunta para que ele imaginasse outras situações: estar na praia, na balada, ouvindo música... A última pergunta tem que ser: "E se a gente estivesse sozinho?", para estimular que o papo esquente. Do outro lado, veio: "A gente estaria se alfinetando". Confesso que, no começo, achei a brincadeira divertida, mas, infelizmente, não deu certo. O papo seguiu com ele fazendo piadas. Desisti. Ajuda, Ítalo!

Lição 4: use a tática da mensagem por engano para puxar papo

Essa eu já usava nos tempos do ICQ, na década de 1990, e vi que funciona também no Whatsapp. Consiste em mandar uma mensagem para a pessoa que você quer chamar a atenção, mas fingindo que era para outra.

Ítalo, porém, dá o pulo do gato: tem que dizer que você está saindo do banho e que vai se arrumar. Três minutos depois, tem que mandar outra: "Desculpa, conversa/pessoa errada". Segundo o coach, é um "gatilho do bem" e vai fazer o cara imaginar você nua, mas, por outro lado, ele pensará que você está se arrumando para outro homem, estimulando a competitividade, que seria um motivador.

Mandei para dois. "Hahaha. Relaxa", respondeu um, e o papo morreu. Com o outro, deu certo. Disse que tinha mandado para a pessoa errada, ele puxou papo por um dias e, no segundo, me perguntou se tinha sido legal o encontro com o "cara certo", sendo que em nenhum momento disse que teria um encontro nem nada parecido. "Acordei com isso na cabeça", me falou. Mudei de assunto e seguimos a conversa, sem dar nenhuma satisfação, como Ítalo mandou. Não sei dizer se funcionou, já que não marcamos nada por enquanto, mas, méritos ao coach: ainda é melhor isso do que o clássico "oi, sumido".

Lição 5: siga a regra do triângulo para ele te desejar

No meio do encontro, enquanto o homem fala com você, faça a regra do triângulo. Fixe o seu olhar no olho esquerdo dele brevemente, depois no direito e depois na boca, para onde olhará por dois segundos.

Segundo meu editor, essa é mais velha do que andar para frente. Mas funciona: eu testei. Esses dois segundos olhando para a boca da pessoa, enquanto ela fala, faz soltar faíscas. Também velha, a dica de dizer que sonhou com o cara também está no rol do Ítalo --essa não usei neste experimento sem valor científico, mas tanto eu quanto você sabemos que dá uma atiçada na curiosidade do outro lado da tela.

Lição 6: chame para sair já dando as opções de dias

Segundo Ítalo, não há nenhum problema em a mulher tomar a iniciativa. Começar uma paquera em qualquer lugar, puxar papo, chamar para sair, está tudo liberado. Desde que você "saiba o seu valor" e faça do jeito certo. Ou seja, do jeito do Ítalo.

Testei a dica de chamar um cara para sair. A estratégia é não fazer uma pergunta que tenha como alternativas de resposta "sim" e "não". Mostre que você sabe que ele quer sair contigo, e só facilite as decisões posteriores. Escrevi para um crush de aplicativo, com quem conversei no final do ano passado. Puxei um papo e disse: "Topo sair contigo. Sexta, sábado ou domingo?". E ele topou, escolheu domingo. Depois, porém, ele me contou que estava saindo com uma outra mulher, e eu, como MAV, desisti. Mas que a dica deu certo, deu.

Uma semana depois, já tinha decorado as falas de Ítalo

Depois de uma semana assistindo aos vídeos do canal e dos posts no Instagram, comecei a decorar os bordões do coach. "Você é uma mulher de alto valor", "você é um diamante, mas tem poeira em cima, e está guardada na caixa de bijuterias", "eu vou te ajudar a encontrar o seu valor", e por aí vai.

A fórmula do canal é repetitiva: as mesmas dicas voltam a aparecer em diferentes posts. A maioria desses vídeos têm um título que promete uma resposta precisa para uma dúvida, mas a verdade é que os primeiros três minutos são evasivos.

Por exemplo, no vídeo chamado "É Assim que Você Sabe Se Um Homem Está Ficando com Outras", ele afirma, no terceiro minuto, que você só vai saber isso se conversar com o cara sobre estarem namorando ou não. Dá a entender que tem alguma tática, mas a resposta é óbvia.

Foi divertido seguir algumas dicas. E entendo que, às vezes, a gente precise de ajuda nessas horas. Paquerar dá trabalho, se envolver dá um pouco de medo. Mas relações humanas são muito mais complexas do que uma cartilha de técnicas de conquista pode prever. E, a meu ver, não há vídeo no YouTube que dê conta de desvendar essa complexidade.

Experimenta