PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

Casal homoafetivo é agredido na Itália enquanto passeava de mãos dadas

casal gay, homossexual, homens, mãos dadas, lgbt - Getty Images/iStockphoto
casal gay, homossexual, homens, mãos dadas, lgbt Imagem: Getty Images/iStockphoto

Da ANSA, em Palermo

30/05/2021 11h53

Um casal homoafetivo foi agredido por uma gangue de adolescentes em Palermo, uma das principais cidades do sul da Itália, apenas porque passeava de mãos dadas.

O episódio ocorreu na noite de ontem, no centro histórico da capital da Sicília, enquanto o Parlamento italiano discute um projeto de lei para criminalizar a homofobia e a transfobia no país.

Provenientes de Turim, os dois rapazes estavam de férias em Palermo e foram cercados por uma gangue de adolescentes enquanto procuravam um hotel para passar a noite.

Os agressores primeiro insultaram as vítimas e depois as agrediram, até que dois amigos apareceram para ajudar o casal.

Um dos rapazes chegou a ser levado para um pronto-socorro com uma fratura no nariz, mas já recebeu alta.

O prefeito de Palermo, Leoluca Orlando, de centro-esquerda, afirmou que a agressão é um "ato vil" e cobrou a aprovação imediata do projeto de lei que criminaliza a homofobia. "A política não pode mais perder tempo", disse.

O texto já passou pela Câmara dos Deputados, porém enfrenta a obstrução de partidos conservadores no Senado, que definem o projeto como "liberticida".

De autoria do deputado de centro-esquerda Alessandro Zan, o projeto inclui a homofobia e a transfobia nos itens do Código Penal que punem atos de violência e discriminação por motivos raciais, étnicos ou religiosos.

Com isso, quem cometer ou instigar discriminação por orientação sexual ou de gênero estaria sujeito a penas de até um ano e seis meses de prisão, enquanto atos de violência seriam punidos com até quatro anos de reclusão.

Além disso, o projeto institui o Dia Nacional contra a Homofobia e cria um fundo que financiará políticas de inclusão da comunidade LGBTQ+.

Diversidade