PUBLICIDADE
Topo

'Olhos na Terra': Nasa permite que você rastreie satélites em tempo real

Em imagem de 2015, câmera instalada em um satélite da Nasa registrou detalhes da Terra - Nasa
Em imagem de 2015, câmera instalada em um satélite da Nasa registrou detalhes da Terra Imagem: Nasa

Aurélio Araújo

Colaboração para Tilt, em São Paulo

23/11/2021 13h39

A Nasa, agência espacial dos Estados Unidos, lançou uma ferramenta que permite a qualquer um na internet monitorar satélites em órbita no espaço e ter acesso aos dados científicos que eles produzem, como monitoração da temperatura da Terra, níveis de monóxido e dióxido de carbono produzidos por aqui, avaliação do nível das águas oceânicas, entre outros.

Batizada de "Eyes on the Earth", que, em tradução livre, seria "de olho na Terra", a plataforma mostra a localização dos satélites específicos da agência ao redor do nosso planeta — acesse aqui para explorá-los.

A utilização do "Eyes on the Earth" é bastante intuitiva, mas, infelizmente, a plataforma está em inglês. De qualquer forma, vamos ajudar você a explorar melhor os recursos que ela oferece — e também é possível usar programas de tradução de páginas online em seu navegador de internet.

Como usar

Ao entrar no "Eyes on the Earth", você verá diversos nomes de satélites flutuando ao redor da Terra. Eles possuem nomes como "CYGNSS 5", "CALIPSO" e "SMAP", a grande maioria escrita em caixa alta.

Página principal da plataforma Eyes on the Earth - Reprodução/Nasa - Reprodução/Nasa
Página principal da plataforma Eyes on the Earth
Imagem: Reprodução/Nasa

É possível utilizar o mouse para "girar" o planeta, dando uma visão melhor de algum satélite específico que você queira acompanhar.

Ao clicar em qualquer um deles, você pode acompanhar um modelo 3D do satélite fazendo sua trajetória. Clicando com o mouse, você conseguirá visualizá-lo por diferentes ângulos.

Na parte inferior esquerda da tela, é possível descobrir há quanto tempo aquele satélite está em órbita. Já na parte superior direita, há um menu com várias opções.

Exemplo:

  • Clicando no item "Vital Signs" (em tradução livre, "sinais vitais"), há uma série de comandos que você pode acessar para ver os dados científicos coletados pelos satélites.
  • Ao ir na opção "AIRS Surface Temp" (referente a temperatura da superfície), você terá acesso aos dados de temperatura global coletados pelo satélite AIRS.

Clicando na barrinha de cores logo abaixo, você pode trocar a visualização de graus em Fahrenheit, comum nos Estados Unidos, para Celsius, unidade que usamos aqui no Brasil.

No canto inferior direito, pode-se optar por ver uma média de três dias, ou até a média da temperatura noturna. Clicando em "animate this data" ("animar esses dados"), é possível ver a evolução da temperatura sendo mostrada e notar como ela vai se alterando ao longo dos dias.

Eyes on the Earth: site da Nasa para acompanhar satélites - Reprodução/Nasa - Reprodução/Nasa
Imagem: Reprodução/Nasa

Outras ferramentas

Os demais recursos da barra de sinais vitais são similares. Clicando no item "OCO-2 Carbon Dioxide", você vê a evolução dos dados coletados pelo satélite OCO-2, que acompanha os níveis de dióxido de carbono na Terra, um gás que potencializa o efeito estufa produzido tanto pela natureza quanto pela ação humana.

Confira outras funcionalidades.

  • "AIRS Carbon Monoxide" mostra a quantidade de monóxido de carbono.
  • "Jason-3 Sea Level Variation" acompanha o nível de água dos oceanos (que aumenta com o derretimento de calotas polares).
  • "SMAP Soil Moisture" monitora o nível de umidade dos solos da Terra, um dado importante para a agricultura.
  • "Daily Total Ozone (OMPS)" leva você a um menu de observação da quantidade de ozônio no planeta medida pela Nasa.
  • "AIRS Total Precipitable Water Vapor Average" ajuda a visualizar a quantidade de vapor de água na Terra.
  • "GRACE-FO Gravity Field Map" mostra as variações no campo de gravidade do planeta.

Eventos terrestres

Na parte superior direita, há ainda uma opção chamada "Events", que mostra eventos terrestres recentes, como, por exemplo, o ciclone tropical Paddy, que atualmente está causando grandes chuvas na Austrália.

Clicando em cada um dos eventos disponíveis, você descobre como é a visão dos satélites desses fenômenos. É possível então ter uma noção de como é, por exemplo, o nevoeiro que assombra a Califórnia, ou os "cobertores de névoa" atualmente atrapalhando a visibilidade no norte da China.