PUBLICIDADE
Topo

Alunos no Reino Unido pagarão almoço com reconhecimento facial; entenda

Crianças pagarão almoço através de reconhecimento facial - Freepik
Crianças pagarão almoço através de reconhecimento facial Imagem: Freepik

Bruno Torquato

Colaboração para Tilt, em Betim (MG)

18/10/2021 18h14

O avanço da tecnologia de reconhecimento facial e medidas de segurança para impedir o contágio da covid-19 chegou ao pagamento de refeições escolares de crianças do Reino Unido. Com a novidade, as instituições de ensino acreditam que irão reduzir o tempo entre as etapas para pagar e a entrega das comidas, já que o processo para servir uma escola inteira gira em torno de 25 minutos.

De acordo com publicações do Financial Times e do portal Engadget, cerca de nove centros educacionais já irão adotar essa medida. Por outro lado, defensores do direito a privacidade dizem que o uso do reconhecimento facial pode acabar normalizando a vigilância a partir de dados biométricos.

"Com o reconhecimento facial, o aluno simplesmente seleciona a refeição, olha para a câmera e vai embora, agilizando o serviço de almoço e retirando qualquer contato no ponto de venda", diz um folheto compartilhado com pais por essas escolas.

Nas instituições de ensino em que o reconhecimento facial será implantado, o uso de biometria por digital já era usado e, com isso, eles apenas alteraram a tecnologia para reconhecer também o rosto dos estudantes, sem precisar instalar um sistema por completo.

Para rebater essa desconfiança quanto aos aspectos de privacidade, a empresa responsável pela implantação do sistema, CRB Cunningham, explica que o software não faz uso de imagens ao vivo, mas sim fotos faciais já previamente disponíveis no sistema e com uso de criptografia (uma camada extra de proteção aos dados).

Contudo, o Big Brother Watch, que é uma ONG (Organização Não Governamental) sobre liberdade civis, e o Comissário de Biometria da Inglaterra dizem que usar esse tipo de reconhecimento é arbitrário. Eles se dizem receosos em tornar as crianças despreocupadas com privacidade ao normalizar reconhecimento biométricos deste tipo em diversos outros lugares, como aeroportos e festivais musicais.

De acordo com o conselho governamental North Ayrshire, 97% dos pais ou crianças deram consentimento ao uso do reconhecimento facial.

Polêmica da biometria facial

Sistemas inteligentes de reconhecimento facial não são novidades. Eles já foram adotados no transporte público, como o metrô de Moscou, e para ajudar governos na segurança pública. Ao mesmo tempo que ela pode ser útil, a tecnologia também pode ferir direitos.

A inteligência artificial ainda erra e casos em que ela contribui para potencializar a discriminação de pessoas — principalmente não brancas — ainda são constantes. Inocentes já foram presos porque sistemas de reconhecimento facial apontaram os indivíduos como culpados por crimes.

Alguns estados nos EUA já proibiram o seu uso por considerar que a biometria facial é tendenciosa em linhas de raça e gênero. Alguns políticos da União Europeia também pedem o banimento da tecnologia.