PUBLICIDADE
Topo

Turistas da SpaceX estão voltando; veja como será tensa reentrada na Terra

Tripulação da missão Inspiration4, da SpaceX - Divulgação/SpaceX
Tripulação da missão Inspiration4, da SpaceX Imagem: Divulgação/SpaceX

Lucas Carvalho*

De Tilt, em São Paulo

18/09/2021 07h00Atualizada em 20/09/2021 10h24

Poucos momentos de uma missão espacial são tão tensos quanto a reentrada, quando os astronautas precisam atravessar a densa atmosfera da Terra e pousar na água em segurança. Os turistas da missão Inspiration4, da SpaceX, estão prestes a conhecer essa sensação.

A missão, que levou pela primeira vez um grupo de quatro civis sem experiência de astronautas para o espaço a bordo de uma nave da SpaceX, está chegando ao fim. Após três dias e algumas dezenas de voltas ao redor do planeta, a cápsula Dragon irá trazer a tripulação de volta neste sábado (18).

O pouso está programado para acontecer perto das 20h (horário de Brasília). Tudo indica que a cápsula Dragon deve cair no oceano Atlântico, próximo à costa do estado norte-americano da Flórida, assim como as outras missões tripuladas que a empresa já realizou para a Nasa (agência espacial dos EUA).

Passo a passo da reentrada

Uma vez no espaço, a cápsula Dragon dá quase 15 voltas ao redor da Terra por dia. Quando for a hora de voltar, o computador da nave vai realizar o descarte do seu "porta-malas" — isto é, a base da cápsula que contém os painéis solares e sistemas de energia usados para controlar o voo em órbita.

Depois disso, a Dragon vai usar seus propulsores para realizar um giro de 180º, virando a sua ponta para o lado oposto, como se estivesse em marcha à ré. Essa manobra fará com que a cápsula comece a reduzir a velocidade. Os propulsores irão direcionar a trajetória do veículo para fazê-lo descer de sua altitude, chegando mais perto da Terra.

Primeiro, é preciso encontrar o ângulo correto para a trajetória. Se for muito agudo, a força-G (força de gravidade causada pela forte aceleração/desaceleração da cápsula) poderia ser fatal para os astronautas e/ou o atrito com o ar poderia fazer a cápsula explodir. Se for muito raso, ela poderia catastroficamente "quicar" na atmosfera e voltar sem controle ao espaço.

Quando a Dragon estiver perto o bastante para ser "capturada" pela gravidade da Terra, começa o processo de reentrada. Para não se desintegrar ao atravessar as camadas da atmosfera da Terra, a Dragon é equipada com um conjunto de escudos chamados PICA (Phenolic-Impregnated Carbon Ablator), que usa placas de cerâmica de carbono capazes de aguentar temperaturas de até 2.760 graus Celsius.

A Dragon entrará em nossa atmosfera superior a aproximadamente 27.000 km/h (7,5 km/s). Isso é mais de vinte vezes a velocidade do som e gera uma enorme onda de choque e calor ao redor dela. Na fase mais extrema da reentrada, a temperatura pode ultrapassar 2.000°C. É por isso que vemos a cápsula incandescente.

O escudo PICA ficará totalmente carbonizado, mas, se tudo der certo, a cápsula acima dele ficará só um pouco chamuscada, e os tripulantes da nave ficarão bem.

Um grande risco desse momento é a perda de conexão devido a instabilidades elétricas. Com o calor extremo, uma brilhante camada de plasma (uma espécie de nuvem eletrificada) recobre a nave e pode bloquear ou atenuar sinais de rádio. O maior problema não é simplesmente perder a comunicação com os astronautas amadores, mas sim impossibilitar a navegação e controle remoto da cápsula.

Por fim, o último momento tenso é o pouso com auxílio de paraquedas. A cápsula vai lançar cinco deles na etapa final da reentrada (dois aos 5,5 km de altitude e três a 1,8 km), enquanto desce em direção ao Oceano Atlântico, na costa da Flórida. Essa manobra já foi realizada algumas dezenas de vezes pela SpaceX e não deve enfrentar grandes problemas.

Quando tocar na água, a cápsula deve estar caindo numa velocidade de 7 metros por segundo. Para resgatar a cápsula Dragon em alto-mar, serão utilizadas duas embarcações. Depois, os astronautas amadores seguem de helicóptero para terra firme, onde passarão por uma bateria de exames médicos para conferir se estão OK.

O retorno da missão Inspiration4 será transmitido ao vivo pelo canal da SpaceX no YouTube.

*Com reportagem de Marcella Duarte