PUBLICIDADE
Topo

Como astrônomo amador descobriu nova lua ao redor de Júpiter

Planeta Júpiter fotografado pelo telescópio Hubble - NASA, ESA, A. Simon (Goddard Space Flight Center), e M.H. Wong (Universidade of California, Berkeley)
Planeta Júpiter fotografado pelo telescópio Hubble Imagem: NASA, ESA, A. Simon (Goddard Space Flight Center), e M.H. Wong (Universidade of California, Berkeley)

Cláudio Gabriel

Colaboração para Tilt, no Rio de Janeiro

21/07/2021 16h13Atualizada em 21/07/2021 18h52

Um astrônomo amador descobriu uma nova lua ao redor de Júpiter analisando imagens capturadas em 2003. O bom posicionamento da Terra entre o Sol e o planeta em fevereiro daquele ano permitiu que pesquisadores pudessem registrar mais claramente o seu sistema e suas luas, iluminadas pela estrela, na época.

Júpiter é conhecido por ter várias luas em sua órbita. As 79 já documentadas (53 oficiais e 26 aguardando nomes) agora ganharam um novo membro por parte da astronomia aqui da Terra, com o nome temporário de EJc0061. É o máximo de luas já descobertas em um planeta do Sistema Solar.

As imagens analisadas pelo astrônomo amador Kai Ly foram registradas pelo telescópio CFHT (Telescópio Canadá França Havaí), localizado em uma ilha havaiana, segundo informações do site "Space".

Os bastidores

Analisando as imagens capturadas pelo telescópio, Ly conseguiu perceber que havia algo diferente. O fato de as luas de Júpiter estarem mais iluminadas pode ter ajudado.

Ele encontrou três luas em potencial se movimento de 13 até 21 segundos por hora na noite do dia 24 de fevereiro de 2003. Dois objetos acabaram não sendo inteiramente identificados nos dias seguintes, porém, o terceiro, foi analisado mais de perto por ele na mesma semana.

Com ajuda de observações a partir de outro telescópio, chamado Subaru, ele analisou a trajetória de 22 dias do objeto e percebeu que ele estava ligado à gravidade de Júpiter. Informação que fez Ly ter mais indícios de que se tratava mesmo de uma lua do planeta.

Após isso, conseguiu rastrear a órbita da lua em imagens de pesquisa de 12 de março até 30 de abril de 2003, segundo informações do site "Skyand Telescope", que publicou uma breve entrevista com Ly, que disse que a astronomia é um hobby explorado durante as férias de verão.

Após 76 observações (que contou análise de dados de um terceiro telescópio, o do Observatório Interamericano de Cerro Tololo) de imagens capturadas ao longo de mais de 15 anos, ele conseguiu certeza sobre o objeto.

Mini lua

A lua descoberta pelo astrônomo amador parece fazer parte do grupo Carme (descoberto em 1938), uma família de satélites de Júpiter que inclui outras 22 mini luas orbitando o planeta.

De acordo com informações da Nasa, agência espacial dos Estados Unidos, a característica comum ao grupo é que os objetos ao redor possuem órbitas e aparência semelhantes. "Carme era provavelmente um asteroide que sofreu uma colisão, se partiu de vários pedaços, antes ou depois de ser capturado pela gravidade de Júpiter", descreve em seu site.

"Todas as luas de Carme são retrógradas, o que significa que orbitam Júpiter na direção oposta à rotação do planeta. Suas órbitas também são elípticas em vez de circulares e altamente inclinadas em relação ao plano equatorial de Júpiter", acrescenta.

Curiosidades sobre Júpiter

  • Júpiter é um planeta gasoso e marcado por seus anéis.
  • Ele possui uma massa 318 vezes maior do que a da Terra. Considerando o seu diâmetro, ele é 11 vezes maior.
  • A sua temperatura média é de 108ºC negativos.
  • Ele leva 9h e 55 minutos para completar o seu período de rotação.
  • Em fevereiro de 2020, pesquisadores divulgaram ter encontrado uma grande quantidade de água no planeta, três vezes mais do que a porcentagem encontrada para o Sol.
  • As luas que mais despertam o interesse científico envolvendo o planeta são: Io, Europa, Ganimedes e Calisto.