PUBLICIDADE
Topo

Perseverance registra redemoinho de poeira e som de rodas em Marte; veja

Redemoinho de poeira registrado em Marte pela sonda Perseverance - Reprodução/Nasa
Redemoinho de poeira registrado em Marte pela sonda Perseverance Imagem: Reprodução/Nasa

Juliana Stern

Colaboração para Tilt

18/03/2021 16h13Atualizada em 21/03/2021 11h52

Sem tempo, irmão

  • Sonda Perseverance, da Nasa, registrou um redemoinho de poeira, conhecido como "devil dust"
  • Novos áudios captados pelos microfones do robô também revelam o som que suas rodas fazem ao cruzar o solo marciano
  • Próxima etapa da missão é lançar o drone Ingenuity, que fará imagens aéreas do planeta vermelho

Um mês após pousar em Marte, a sonda Perseverance capturou a mais significativa movimentação no planeta até aqui. Uma de suas 23 câmeras conseguiu registrar um redemoinho de poeira que atravessava a cratera Jezero, onde o rover busca por evidências de vida microbiana.

Chamado de "dust devil" —demônio de poeira, em português— o fenômeno foi divulgado pela Nasa na última terça-feira (16) pelo perfil oficial da missão no Twitter. Estimativas do tamanho e velocidade do redemoinho, porém, não foram reveladas.

O acontecimento foi gravado à distância enquanto o rover verificava seus sistemas e instrumentos antes de iniciar suas tarefas do dia. Nas imagens capturadas é possível ver a poeira passando da direita para a esquerda por trás de um dos braços robóticos da sonda.

Comuns na Terra, redemoinhos são colunas de ar giratórias que levantam sujeira quando o solo recebe muito calor do Sol. O ar aquecido próximo da superfície começa a se movimentar em círculos e sobe de encontro a segmentos de ar frio que ficam mais longe no chão. Enquanto o ar quente sobe rodando, a poeira o acompanha, deixando o fenômeno visível.

Essa não é a primeira vez que redemoinhos de poeira são observados na superfície do planeta vermelho. Cientistas já notaram que há um padrão na ocorrência desse fenômeno durante o verão e a primavera de Marte, em que os redemoinhos parecem se formar durante a manhã, acompanhando o início do aquecimento do solo, e durando apenas alguns minutos.

Curiosamente, o "dust devil" registrado pela Perseverance aconteceu enquanto Marte se aproximava do afélio —o ponto da órbita em que um planeta está mais distante do Sol. Isso indica que, mesmo nesse período, a energia solar no solo marciano é forte o bastante para a formação dos redemoinhos.

Tanto é assim que o fenômeno já foi observado em outras ocasiões durante o afélio. Em 2012, a sonda MRO (Mars Reconnaissance Orbiter) avistou um redemoinho colossal que alcançou 800 metros de altura e três metros de diâmetro. Em 2019, o mesmo equipamento flagrou outro, cujo núcleo chegava aos 50 metros de diâmetro.

A câmera acoplada na MRO, a Hirise (High Resolution Imaging Science Experiment), conseguiu gravar um enxame desses redemoinhos em 2015. Missões ainda mais antigas, como a Viking, ativa nos anos 1970, também já avistaram o fenômeno. Mas por serem breves, às vezes os cientistas esperam anos para detectar um. Foi o que aconteceu com o rover Opportunity, que pousou em Marte em 2004, mas só viu um redemoinho de poeira em 2010.

Máquina barulhenta

Nesta semana, a Nasa também divulgou um áudio que deixou fãs de astronomia entusiasmados e confirmou que o Perseverance não é nada silencioso.

Na quarta-feira (17), a Nasa compartilhou uma faixa de áudio em que é possível ouvir os sons que o rover faz enquanto circula pela superfície de Marte. Os baques, tilintados e chocalhos das seis rodas metálicas do robô adicionaram nova dimensão à exploração do planeta vermelho.

"Muitas pessoas, quando olham para as imagens, não percebem que as rodas [do rover] são de metal", afirmou Vandi Verma, engenheira sênior e motorista do rover no Jet Propulsion Laboratory da Nasa. "Quando dirigimos com essas rodas nas rochas é muito barulhento."

O Perseverance é o primeiro robô exploratório enviado a Marte que conta com microfones —além dele, há ainda a sonda Insight, mas ele fica fixo em solo. Duas entradas de áudio foram acopladas ao rover principalmente para auxiliar na aterrissagem da sonda, permitindo que os engenheiros ouvissem a abertura dos paraquedas do veículo e procurassem com precisão o melhor local para pousar na cratera de Jezero.

Esses mesmos microfones já captaram sons dignos de ASMR, como o dos ventos de Marte e o de raios laser cortando pedras.

Próximos passos

A próxima etapa da exploração do Perseverance inclui colocar no ar o pequeno helicóptero Ingenuity. O modelo, que pesa cerca de dois quilos, será capaz de registrar novas imagens e vídeos de Marte e auxiliar o rover na coleta de materiais.

Por enquanto, o helicóptero está preso à parte inferior da sonda e tentará voos de demonstração assim que a equipe encontrar uma boa localização, o que deve ocorrer na primeira semana de abril, segundo previsões da Nasa.