PUBLICIDADE
Topo

Forças dos EUA estão perto de usar cães-robôs em campos de batalha

Cão-robô da Ghost Robotics posa ao lado de militar na Força Aérea dos EUA - U.S. Air Force/Cory D. Payne
Cão-robô da Ghost Robotics posa ao lado de militar na Força Aérea dos EUA Imagem: U.S. Air Force/Cory D. Payne

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

09/09/2020 16h37

Se você é fã de Black Mirror e já assistiu ao episódio "Metalhead", talvez se familiarize com a aparência da mais nova experiência da Força Aérea dos Estados Unidos. De acordo com o site The Drive, os americanos começaram a realizar testes para implantar "cães-robôs" em campos de batalha.

Os robôs de quatro patas são chamados de Vision 60 e foram produzidos pela empresa Ghost Robotics. Ao contrário do "melhor amigo do homem", esse cãozinho é capaz de conduzir missões de inspeção, vigilância ou mapeamento remotas, além de patrulhar perímetros em bases aéreas.

Os cães-robôs fazem parte do novo Sistema de Gerenciamento de Batalha Avançado (ABMS, na sigla em inglês), projetado para coletar, processar e compartilhar dados entre os EUA e as forças aliadas em tempo real. De acordo com o The Drive, a Força Aérea americana conseguiu um financiamento de US$ 3,3 bilhões em cinco anos para desenvolver o sistema.

De acordo com o site da Ghost Robotics, essas máquinas são quase "imparáveis" e seu design permite a eles executarem uma ampla variedade de missões devido a sua estabilidade em terrenos diversos. Segundo o The Drive, no exercício realizado pela Força Aérea o cão-robô foi usado para carregar sistemas de computador para conectara equipe de uma linha de frente de uma missão com suas equipes de comando, que estão em uma distância física maior.

Os testes mostraram que o Vision 60 é capaz de mapear continuamente seus arredores e pode alertar os operadores humanos sobre mudanças invisíveis e potencialmente perigosas em seu ambiente.

Com esses recursos, já podemos imaginar os cães-robôs sendo equipados para interceptar comunicações inimigas e localizar, geograficamente, de onde partiram. Ao que parece, já não estamos tão distantes de ter robôs caminhando lado a lado com soldados em algumas missões.

A Ghost Robotics não forneceu muitos detalhes com relação à tecnologia utilizada no Vision 60, mas imagens mostram que eles possuem um par de antenas nas costas e uma variedade de sensores que ficam localizados em sua "cabeça".

"Parceiros estratégicos podem construir Q-UGVs [sigla em inglês para veículos terrestres não tripulados quadrúpedes] específicos para solucionar virtualmente qualquer caso com a escolha de sensores, rádios ou até mesmo dimensionar o robô para atender a requisitos específicos", diz o site da Ghost Robotics.

Além dos cães-robôs, também foram demonstrados sensores distribuídos para detectar e derrubar mísseis de cruzeiro russos simulados. O sistema envolve redes 5G e 4G, sistemas de computação em nuvem e sistemas de inteligência artificial capazes de fornecer informações que ajudariam na tomada de decisões.

"Os futuros campos de batalha serão caracterizados pela saturação de informações. Um dos principais objetivos deste teste foi apresentar uma gama estonteante de informações para os participantes sintetizarem, assim como eles veriam em uma operação real", disse o chefe de operações espaciais da Força Aérea, John Raymond, em comunicado à imprensa.

"Potenciais adversários estão investindo pesadamente nesses campos, e devemos explorar novas abordagens para manter a vantagem", completou.