Topo

5 coisas que você precisa saber sobre o projeto de "walkie-talkie" da Apple

Apple Watch tem um recurso que leva esse nome, mas a empresa quer levar a ideia muito além - Apple/Divulgação
Apple Watch tem um recurso que leva esse nome, mas a empresa quer levar a ideia muito além Imagem: Apple/Divulgação

Rodrigo Trindade

Do UOL, em São Paulo

28/08/2019 19h11

Revolucionária para a era dos smartphones, a Apple colocou na geladeira um projeto inusitado para futuros produtos: a introdução de uma espécie de walkie-talkies nos iPhones. A mudança de planos foi noticiada pelo site The Information nesta semana.

Esse encontro entre mundos, da comunicação "retrô" por rádio à modernidade dos celulares atuais, levantou nossa curiosidade se já existe um sistema parecido com o que a Apple imaginou e quais os detalhes interessantes do projeto dela. Por isso, apontamos essas cinco coisas que você precisa saber sobre o caso.

1) A diferença para um walkie-talkie

O site The Information explica que o plano da Apple era usar vários iPhones para criar uma rede independente daquelas de operadoras móveis, ou do wi-fi, que trabalhasse na frequência de 900 MHz. A lógica seria estabelecer a formação de uma "rede de malha" exclusiva para comunicação entre os aparelhos da marca, que conseguiriam se falar mesmo sem sinal de qualquer tipo.

Com essa interligação entre vários celulares, os usuários de iPhone conseguiriam, teoricamente, acionar seus contatos mesmo do meio de uma montanha ou em uma trilha na floresta. Considerando o discurso da Apple, mesmo passando por diversos smartphones, a mensagem seria transmitida criptografada e com segurança - só o receptor acessaria o conteúdo.

2) Por que parou?

Dois fatores pesaram nessa decisão de paralisar o desenvolvimento do "walkie-talkie" da Apple. Intitulado Project OGRS (serviço de rádio fora do grid, da sigla em inglês), ele era chefiado por Rubén Caballero, vice-presidente de engenharia que deixou a empresa neste ano.

Fora a saída do executivo, a Apple trabalhava com a Intel para incluir um modem de próxima geração em iPhones. O equipamento seria necessário para o estabelecimento da rede de malha entre celulares, mas esse mesmo modem acabou cancelado pela fabricante em abril.

3) Já "existe" no Apple Watch

Esse projeto não é a primeira investida da Apple em uma comunicação estilo walkie-talkie, já que o Apple Watch possui um aplicativo que leva exatamente esse nome. No entanto, o programa não funciona da mesma maneira que o novo sistema operaria.

O Watch é dependente de um celular ou rede wi-fi para ativar seu walkie-talkie e somente outros usuários do dispositivo vestível da Apple servem como contatos. Se todas essas condições forem preenchidas, é como um walkie-talkie das antigas: só apertar o botão para mandar um áudio para outros contatos.

4) Rádio a longa distância não é inovação

A proposta da Apple pode ser inovadora em seus recursos técnicos, mas usar ondas de rádio para realizar comunicação a longa distância está longe de ser novidade. Quem teve um celular Nextel no Brasil sabe que isso já era possível desde 1997 com o uso da rede iDEN (Integrated Digital Enhanced Network), que permitia conversas com o sistema PTT (Push To Talk).

Com o apertar de um botão, que ficava na lateral do celular, você abria um canal de rádio para onde sua mensagem por áudio era enviada em tempo real. Isso deixava você conversar com gente que estava até em outros países que tivessem cobertura da iDEN. E, sim, até smartphones chegaram a ter esse sistema, que perdeu espaço na última década.

5) Tem concorrente que já faz

Mesmo entre fabricantes de smartphone a Apple não é a primeira a apostar nessa comunicação sem sinal de celular, wi-fi ou até Bluetooth. A chinesa Oppo anunciou em janeiro deste ano uma tecnologia proprietária, batizada de MeshTalk, que permite chamadas e conversas por mensagens a média distância.

Aparelhos poderão se comunicar se estiverem a 3km de distância um do outro, mas locais movimentados, com diversos aparelhos, terão o mesmo efeito da rede de malha. Desta forma, o alcance dessa rede pode ampliado graças a essa interligação.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

5 coisas que você precisa saber sobre