Topo

O futuro chegou: carros autônomos iniciam operação em Nova York

Autônomas, veículos da Optimus Ride começaram a operar hoje em um parque industrial de Nova York - JEENAH MOON / REUTERS
Autônomas, veículos da Optimus Ride começaram a operar hoje em um parque industrial de Nova York Imagem: JEENAH MOON / REUTERS

Bruno Madrid

do UOL, em São Paulo

07/08/2019 11h51

Resumo da notícia

  • Uma startup iniciou operação em que veículos autônomos transportam passageiros em Nova York, nos EUA
  • Veículos, no entanto, contam com motorista e operador para casos de emergência
  • Empresa quer transportar 500 passageiros por dia e mais de 16 mil por mês
  • Serviço é gratuito e está disponível das 7h às 22h30 em todos os dias da semana

A ideia de ter carros autônomos nas ruas ganha mais força a partir de hoje, pelo menos nos EUA: uma startup especializada em veículos que andam sozinhos iniciou, nesta quarta-feira (7), em Nova York, uma operação gratuita envolvendo seis automóveis do tipo.

Com atuação restrita e em fase de testes, a atividade ocorre em Brooklyn Navy Yard, um parque industrial privado com mais de 400 empresas e cerca de 10 mil trabalhadores - longe, portanto, das ruas mais movimentadas da cidade mais populosa do país.

O objetivo da Optimus Ride, responsável pelo projeto, é transportar 500 passageiros por dia e mais de 16 mil por mês. Até o momento, a tecnologia funciona continuamente das 7h00 às 22h30 em todos os dias da semana - inclusive sábado e domingo.

Esta é a parte interna de um dos carros da startup norte-americana, que quer transportar 500 passageiros por dia - JEENAH MOON / REUTERS
Esta é a parte interna de um dos carros da startup norte-americana, que quer transportar 500 passageiros por dia
Imagem: JEENAH MOON / REUTERS

Apesar de os veículos serem autônomos, há duas pessoas dentro deles durante as viagens: um motorista de segurança e um operador de software. Em caso de emergências, eles conseguem controlar a máquina e evitar acidentes.

Ryan Chin, CEO da Optimus Ride, disse que a ação "ajuda a aumentar a aceitação e a confiança dessa nova tecnologia, o que colabora também para impulsionar o setor como um todo".

A confiança dita pelo empresário se deve ao fato de acidentes já terem acontecido recentemente. Em março de 2018, por exemplo, uma mulher morreu atropelada por um carro autônomo da Uber, também nos EUA. A tragédia fez com que testes em várias empresas fossem interrompidos.

No Twitter, teve gente que já testou o veículo:

Mais Inovação