Topo

Qual a diferença entre Facebook e FACEBOOK - e por que a empresa usará as 2 marcas

Facebook manteve sua conhecida marca azul para sua principal plataforma de mídia social - reprodução/Facebook
Facebook manteve sua conhecida marca azul para sua principal plataforma de mídia social Imagem: reprodução/Facebook

05/11/2019 16h41

O Facebook anunciou uma nova marca para seus produtos, em uma tentativa de distinguir a empresa de seu principal serviço de rede social.

Os aplicativos Instagram e WhatsApp estão entre os serviços que usarão a nova marca. Mas a rede social que leva o nome da empresa manterá sua conhecida marca azul.

O novo logotipo, em letras maiúsculas, usa uma "tipografia personalizada" e "cantos arredondados" para que os outros produtos e aplicativos da empresa pareçam diferentes.

A marca também emprega cores diferentes, dependendo do produto que representa. Por exemplo, será verde para o WhatsApp.

"Queríamos que a marca se conectasse com o mundo e com as pessoas", disse o Facebook. "O sistema dinâmico de cores faz isso."

O diretor global de Marketing do Facebook, Antonio Lucio, disse que "as pessoas devem saber quais empresas fabricam os produtos que usam. Começamos a ser mais claros sobre os produtos e serviços que fazem parte do Facebook anos atrás. Essa mudança é uma maneira de comunicar melhor nossa estrutura".

Críticas ao Facebook

A senadora e pré-candidata à Presidência dos EUA Elizabeth Warren disse querer obrigar grandes empresas de tecnologia como Facebook, Amazon e Google a se desmembrar e colocá-las sob uma regulamentação mais rígida.

Esse plano pode ser visto como a maneira de o Facebook reagir, embora Warren tenha dito, em um post na própria rede social, que "o Facebook pode mudar a marca de tudo que quiser, mas não pode esconder o fato de ser grande e poderoso demais. É hora de dividir as grandes empresas de tecnologia".

Distanciar a marca do Facebook, visto como uma rede social mais tradicional, do Instagram, mais moderno, sempre fez sentido para os negócios do Facebook, escreve o repórter de tecnologia da BBC Dave Lee.

"E aparentemente funcionou: quando os pesquisadores do instituto Pew perguntaram aos participantes de um estudo se o Facebook era dono ou não do Instagram ou do WhatsApp, 49% dos adultos americanos disseram não ter certeza."

Nova marca aparece em cores diferentes, dependendo do produto que representa - reprodução/Facebook
Nova marca aparece em cores diferentes, dependendo do produto que representa
Imagem: reprodução/Facebook

Lee aponta que a nova mudança traz vários benefícios para o Facebook. "A empresa esconde o quão poderosa é realmente, não deixando absolutamente claro que está por trás da maioria dos maiores aplicativos das redes sociais", diz Lee.

"Também quer combater os esforços para acabar com essa situação, afirmando que não é simplesmente um conglomerado de aplicativos separados e distintos que podem ser facilmente desmembrados pelos órgãos reguladores. Em vez disso, é um grande organismo conectado, chamado Facebook."

O Facebook foi criticado recentemente por uma série de outras questões. Seu presidente, Mark Zuckerberg, teve de comparecer perante legisladores americanos no mês passado para explicar a política da empresa de não checar o conteúdo de anúncios políticos.

Também teve de defender seus planos para criar uma moeda digital, falar sobre o fracasso da empresa em combater a exploração infantil na rede social e foi questionado sobre o escândalo de dados da Cambridge Analytica.

No início do ano, Zuckerberg disse que a empresa faria alterações em suas plataformas sociais para melhorar a privacidade. Isso incluía mensagens enviadas pelo Messenger sendo criptografadas de ponta a ponta e ocultando o número de curtidas que uma postagem do Instagram recebe.

'Se não está quebrado, não tente consertar'

Várias outras grandes empresas tentaram mudar sua marca no passado, com diferentes graus de sucesso.

Em 2001, a British Airways desistiu de seus planos de remover a bandeira vermelha, branca e azul da União de suas aeronaves e substituí-la por "imagens do mundo". No mesmo ano, o serviço postal britânico Royal Mail mudou de nome como Consignia, mas voltou para o original um ano depois.

"Queríamos que a marca se conectasse com o mundo e com as pessoas", disse o Facebook - Reprodução
"Queríamos que a marca se conectasse com o mundo e com as pessoas", disse o Facebook
Imagem: Reprodução

A Dunkin' Donuts retirou os "Donuts" de seu nome no ano passado para tentar conquistar mais espaço na indústria do café, e o valor de suas ações continuou a subir depois disso.

E a controladora das empresas de apostas Paddy Power e Betfair trocou de nome em meio deste ano. Deixou para trás a combinação do nome dessas duas empresas e passou a operar como Flutter Entertainment, para "melhor refletir a diversidade do grupo empresarial".

Manfred Abraham, executivo-chefe da consultoria Brandcap, avalia que, no caso do Facebook, "será uma jogada bem-sucedida".

"A marca-mãe permanece forte, apesar dos problemas recentes, e lembra aos consumidores que o Instagram e outros serviços são todos empresas do Facebook. Isso ajudará na associação cruzada entre os consumidores", afirma Abraham.

"Essa mudança não é surpreendente, porque segue uma tendência de simplificação. Muitas organizações estão escolhendo uma identificação visual forte, mas discreta, em favor da simplicidade."

No entanto, Abraham diz ter sido uma decisão acertada do Facebook deixar o logotipo de sua principal plataforma de mídia social como está. "O site principal do Facebook não precisa de uma nova marca. O velho ditado é válido: se não estiver quebrado, não tente consertar."

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=g0J3gMQ4WKE

https://www.youtube.com/watch?v=b8uXgCh14FY

https://www.youtube.com/watch?v=Lc_jJDnaAXo

Facebook