PUBLICIDADE
Topo

Quebrada Tech

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mãe de aluno sofre para usar app que libera kit escolar da Prefeitura de SP

Silvana Borges enfrenta dificuldades para usar aplicativos da Prefeitura de São Paulo para comprar uniforme e material escolar - Tamires Rodrigues
Silvana Borges enfrenta dificuldades para usar aplicativos da Prefeitura de São Paulo para comprar uniforme e material escolar Imagem: Tamires Rodrigues
Quebrada Tech

O Desenrola E Não Me Enrola é um coletivo de produção jornalística que atua a partir das periferias de São Paulo, investigando fatos invisíveis que geram grandes impactos sociais na vida dos moradores e moradoras dos territórios periféricos.

Tamires Rodrigues

23/06/2021 04h00Atualizada em 29/06/2021 17h59

Hoje, a Quebrada Tech acompanhará a luta de Silvana Borges, 37, moradora do Chácara Santana, bairro da zona sul de São Paulo. Ela é mãe de três filhos, sendo que dois estão frequentando a escola pública municipal, por meio da plataforma de ensino remoto para acessar os conteúdos didáticos.

Silvana faz parte de um grupo de mães da quebrada que estão com dificuldades para comprar os materiais escolares dos filhos por meio de um app fornecido pela prefeitura de São Paulo para realizar compras em lojas credenciadas.

"Eu fiquei sabendo através do contato da escola, que mandou mensagem no meu WhatsApp", conta ela sobre como soube do novo formato de aquisição de uniformes e materiais escolares.

Após o comunicado, a mãe conta que para entender como o aplicativo funciona foi preciso pesquisar nas redes sociais e em grupos de amigos.

"A escola me passou o comunicado, informando que estava disponível, mas tirei as dúvidas que eu tinha na internet mesmo, com as pessoas que já tiveram acesso ao material e uniforme", diz.

Em outras entrevistas e reportagens aqui na coluna, já mostramos que o letramento digital é um problema estruturante entre os moradores e moradoras das periferias com idade acima de 35 anos. E no caso dela, esse cenário não é muito diferente.

"Eu não estava entendendo muito o negócio do Mercado Pago, porque eu tive que ligar para saber os valores dos materiais e uniformes", diz Borges com um tom de desânimo devido aos constrangimentos para usar o aplicativo.

Decepcionada com o atendimento da escola para tirar suas dúvidas sobre o aplicativo e as formas de pagamento, ela desabafa sobre a sua frustração. "Sabe, eles não têm aquele carinho de passar a informação correta."

A partir deste ano, pais de alunos da rede municipal de ensino de São Paulo receberão o kit de material escolar e uniformes por meio de um benefício de crédito, para fazer compras em lojas credenciados pela prefeitura. O valor do auxílio varia conforme a etapa do ensino dos estudantes.

Os responsáveis pelos alunos com os dados cadastrais completos receberão um e-mail onde será informado o valor do benefício. Além disso, os pais, que não tiverem com os dados completos devem fazer atualização diretamente na escola ou na internet acessando esse site aqui.

Procuramos a Secretaria de Educação do Município de São Paulo para entender o que a Prefeitura estava fazendo a respeito do caso dos responsáveis que não estão tendo um suporte correto para usar o aplicativo para compra de materiais e uniformes escolares, mas até o momento desta publicação não obtivemos resposta.

Borges acredita que a ideia da solução digital oferecida pela Prefeitura de São Paulo é boa, porém a falta de acesso à tecnologia torna inviável esse modelo de distribuição de um benefício importante para os pais e alunos.

"Eu acho que esse tipo de conceito de aplicativo é uma boa ideia, sabe, mas nem todo mundo tem acesso à internet, nem todo mundo entende, tem pessoas que só têm celular para fazer ligação. Eu prefiro o modo antigo, para ser bem sincera", afirma.

Apuramos que poucos pais sabem que o processo de compra do uniforme é diferente da maneira de aquisição do material escolar. Esse último item é comprado por meio do aplicativo BluPay, já o uniforme escolar é adquirido por meio da instalação do aplicativo do Mercado Pago.

Para usar o Mercado Pago é necessário criar uma conta inserindo dados do CPF e e-mail do usuário responsável pela compra. Esse usuário precisa constar no cadastro do(a) estudante. As compras só serão realizadas após a liberação do saldo em ambos os aplicativos.

Diante das dificuldades para obter informações para uma boa experiência de usuária dos aplicativos, Borges conta que uma das suas maiores dificuldades foi conseguir alguém que estava disposta a ajudá-la em suas dúvidas.

"Eu achei bem complicado. Eu ia buscando informação aqui e ali na internet, buscando informações no Google, para conseguir descobrir como que eu fazia para poder descobrir onde tinha os uniformes", diz.

Fruto da importância do nosso trabalho jornalístico, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo emitiu uma nota apontando como estão sendo construídos os processos de distribuição de kits escolares para os alunos de escolas públicas no município. Confira a nota explicativa.

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Educação (SME), esclarece que as famílias recebem os créditos para aquisição dos materiais e uniformes através dos aplicativos BluPay e MercadoPago. A SME reforça a importância da atualização cadastral para que o benefício seja concedido o quanto antes. Para isso, rotineiramente, as Diretorias Regionais de Educação são orientadas para que todas as escolas possam instruir as famílias.

A SME disponibiliza páginas exclusivas no portal com o passo a passo para a utilização dos créditos, tanto do material escolar quanto do kit uniforme. Há também vídeos explicativos e o contato via e-mail ou telefone, casos os solicitantes encontrem algum tipo de problema no momento da solicitação.

Vale reforçar que a inovação da compra via aplicativo é vantajosa pela praticidade que representa às famílias, além de permitir que a Pasta tenha controle sobre as entregas, já que as compras podem ser realizadas apenas nos fornecedores credenciados e as transações são feitas apenas pelo aplicativo. A aquisição descentralizada dá maior poder às famílias, que vão poder utilizar a verba para adquirir os itens que realmente precisam e escolher corretamente os tamanhos, no caso dos uniformes.

Sobre o caso específico relatado, a pasta foi impedida de apurar adequadamente uma vez que informações essenciais como o nome completo da responsável pelas estudantes não foram informados pela reportagem. Há homônimos no cadastro da rede. A EMEF Mauro Faccio Gonçalves Zacarias realizou três reuniões de pais por turma via Meet ao longo desse ano, onde foram repassadas as informações e esclarecidas as dúvidas. Além disso, divulgamos o tutorial na rede social (Facebook) da escola e nos grupos de Whatsapp das turmas.

Há também um informativo impresso na secretaria da escola, que é entregue às famílias que buscam o apoio para esse fim. Uma equipe gestora e todos os funcionários da secretaria estão empenhados para atender toda a comunidade. Com relação ao atendimento dessa família em especial, fomos informados que o problema de falta de acesso aos aplicativos do material e do uniforme já foram resolvidos.