PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Desejo uma nova tela de bloqueio do iPhone e wi-fi, mas é sonhar demais?

Cena do anúncio da WWDC 2021, a conferência para desenvolvedores da Apple - Reprodução/ Apple
Cena do anúncio da WWDC 2021, a conferência para desenvolvedores da Apple Imagem: Reprodução/ Apple
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

02/04/2021 04h00

A Apple finalmente divulgou informações sobre sua conferência para desenvolvedores de 2021, a WWDC. O evento, que ocorria presencialmente até 2019 e se tornou virtual em 2020, é quando a empresa costuma divulgar novas versões dos seus sistemas operacionais, novidades na área de serviços e, de vez em quando, até algum produto novo.

Não se sabe muito sobre o que está por vir no evento, já que os analistas que costumam falar sobre futuras versões dos sistemas operacionais até o momento não se pronunciaram. Apesar disso, usuários e desenvolvedores —inclusive eu — têm suas listas de desejos do que esperam ver na conferência deste ano.

Surpreende exatamente ninguém que a Apple deve anunciar o iOS 15 na WWDC deste ano. O 9to5Mac já até encontrou referências ao sistema no código aberto do WebKit (motor do navegador Safari). Atualmente em beta, a versão 14.5 do sistema do iPhone já traz muitas novidades, inclusive a opção de desbloquear o iPhone usando o Apple Watch quando o usuário estiver de máscara. Para a grande atualização do ano, tenho alguns desejos.

Software

A primeira coisa que gostaria de ver seria uma renovação da tela bloqueada do iPhone, que é a mesma há vários anos. Atualmente, ela mostra apenas a data, hora e lista de notificações.

Uma das melhorias que consigo imaginar seria a adição de "complicações" como temos na tela do Apple Watch: pequenos pedaços de informação que apps podem oferecer na tela bloqueada.

Talvez a empresa pudesse ir além e permitir também a adição de widgets completos nessa tela, para acesso rápido a informações úteis (previsão do tempo, por exemplo). Essa mudança seria especialmente importante caso a Apple planeje em algum momento oferecer um iPhone com tela sempre ligada, como já oferece no Apple Watch, desde o Series 5.

E por falar em widgets, eu gostaria muito que os widgets na tela de início do iPhone pudessem ser mais interativos. A forma como eles funcionam atualmente já atende vários casos de uso, mas limita bastante o quanto de interação que se pode ter com eles, funcionando basicamente apenas como um link para certas partes de um app.

Outra mudança bem-vinda seria a inclusão de um app gerenciador de senhas no iOS. O sistema já é capaz de salvar senhas e cartões de crédito, mas isso fica escondido no app Ajustes e deixa muito a desejar quando comparado com gerenciadores de senhas mais profissionais como o 1Password.

Além disso, um app desses poderia oferecer também a geração de códigos para autenticação em duas etapas, eliminando a necessidade do uso de outro app para este fim, ao menos para os usuários mais básicos.

Quanto ao macOS, espero que a empresa continue na direção do macOS Big Sur, lançado ano passado, mas com melhorias principalmente relacionadas à execução de apps de iOS no Mac, algo que é possível nas máquinas com Apple Silicon. Atualmente, a experiência desses apps deixa muito a desejar.

Hardware

Nem sempre a Apple anuncia algum hardware novo na WWDC, mas neste ano existe essa possibilidade. No final de 2020, a empresa lançou os primeiros Macs com processador próprio —Apple Silicon— que são modelos de entrada: MacBook Air, MacBook Pro de 13" e Mac Mini.

Apesar de se tratarem de modelos de entrada, as máquinas surpreenderam e estão em uso por profissionais das mais diversas áreas, inclusive desenvolvedores como eu. Porém, falta a empresa lançar os mais topo de linha, geralmente cobiçados pelos criadores de apps.

Supostamente, veríamos o anúncio de novos iMacs, além de MacBooks Pro com processadores da Apple ainda mais potentes que os atuais. Seriam anúncios muito bem recebidos pelo público-alvo principal da WWDC, os desenvolvedores.

Além da mudança de processador, os novos Macs poderiam contar também com mudanças significativas no seu design, algo que não acontece há um bom tempo. O novo iMac com Apple Silicon teria um design que lembra bastante o iPad Pro, algo que poderia estar presente também nos portáteis da empresa.

Serviços

Novidades nos serviços da Apple também não são garantidas numa WWDC, mas existe um serviço que eu gostaria muito de ver a empresa oferecendo: VPN. Existem inúmeros serviços de VPN no mercado atualmente, porém é difícil confiar neles quando o assunto é privacidade. Chega a ser irônico, já que uma das vantagens de usar uma VPN é, em teoria, maior privacidade quanto ao que você faz na internet.

Um serviço do tipo fornecido pela própria Apple seria bem interessante. Se me permitem sonhar, adoraria também que a empresa voltasse ao mercado de roteadores wi-fi, o qual abandonou já tem um bom tempo.

Com tudo o que fazemos hoje em dia passando pelo roteador de casa, faria sentido uma empresa como a Apple oferecer uma solução elegante para esse problema, tanto a questão da privacidade quanto o fato de que é difícil para a maioria das pessoas configurar uma rede sem fio de boa qualidade em casa.

Estes são apenas alguns dos meus desejos para a WWDC deste ano, que acontecerá on-line entre os dias 7 e 11 de junho. Quando surgirem os vazamentos e rumores, volto a comentá-los por aqui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL