PUBLICIDADE
Topo

Quer trocar de rede social? Entenda a portabilidade de dados do Facebook

Ellagrin/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Ellagrin/Getty Images/iStockphoto
Alessandra Montini

Apaixonada por dados e pela arte de lecionar, a professora doutora Alessandra Montini tem muito orgulho de ter criado na FIA cinco laboratórios para as aulas de Big Data e Inteligência Artificial. Mestre em estatística aplicada pelo IME-USP e doutora pela FEA-USP, já ganhou mais de 60 prêmios de excelência acadêmica e possui mais de 20 anos de trajetória nas áreas de Data Mining, Big Data, IA e Analytics. Hoje é diretora do LABDATA-FIA, orienta alunos de mestrado e doutorado na FEA-USP, coordena grupos de pesquisa no CNPq e é parecerista da FAPESP.

13/03/2020 04h00

Em 2018, o Facebook, uma das maiores redes sociais, deu um passo conjunto com outras grandes empresas como Microsoft, Google, Twitter e Apple ao criar o Projeto de Transferência de Dados de Código Aberto. Esta iniciativa pretende reduzir a burocracia entre os serviços e os consumidores, facilitando as transferências de informações de usuários entre as plataformas. As medidas passariam a vigorar mundialmente neste ano.

Recentemente, surgiu na Câmara dos Deputados um projeto de lei com o mesmo intuito: exigir que redes sociais, serviços de armazenamento e outros sites deem a opção de transferir seus dados para os concorrentes. Esta proposta é bastante semelhante ao que já existe na LGPD (Lei Geral de Proteção aos Dados Pessoais) que deverá entrar em vigor no Brasil em agosto deste ano.

Na prática, esta lei apenas formalizaria o que já acontece nas principais plataformas. Com poucos cliques, é possível migrar seus dados do Facebook para outras redes sociais e até mesmo sites de compras, gerenciamento de demandas, entre outros, uma vez que existe a opção de fazer o login usando estas informações.

O Facebook lançou um white paper chamado Data Portability Privacy em que explica como funciona este processo, o que poderá ser transferidos e de que forma a sua privacidade é garantida.

Para esclarecer a portabilidade dos dados, só poderão ser transferidas:

  • aquelas informações que foram incluídas pelo usuário nas plataformas --tais como fotos, contatos, postagens, lista de endereços, preferências musicais, entre outros
  • as que o provedor de serviços observa sobre eles.

Ainda que seja um direito do usuário disponibilizar seus dados de forma rápida de uma ferramenta para outra, é importante estar atento a esta transferência, pois há riscos à segurança das informações.

Vale lembrar que no ano passado o próprio Facebook sofreu um dos maiores vazamentos da história da empresa, em que 267 milhões de usuários tiveram seus IDs da rede social, números de telefone e nomes reais expostos na Internet.

Para que o perigo seja minimizado, filtre bem as informações que compartilha, independentemente da plataforma, leia com atenção quais os dados podem ser transferidos ao realizar a portabilidade e, se desconfiar de algo, opte por não compartilhar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.