PUBLICIDADE

Topo

eSport


League of Legends: Mayumi fala sobre estreia na INTZ e o apoio da torcida

Júlia "Mayumi" Nakamura é uma das poucas mulheres a jogar League of Legends em times mistos no Brasil - BBL Esports/Saymon Sampaio
Júlia "Mayumi" Nakamura é uma das poucas mulheres a jogar League of Legends em times mistos no Brasil Imagem: BBL Esports/Saymon Sampaio

Amanda Santos

Do START, em São Paulo

12/12/2019 04h00

Júlia "Mayumi" Nakamura, pro player de "League of Legends" da INTZ, viveu dias agitados. Ela não só estreou como profissional em uma modalidade dominada por homens, como ainda viralizou na China com suas habilidades no jogo.

A estreia como suporte pela INTZ aconteceu 1º de dezembro, contra a Uppercut pela Superliga ABCDE. Apesar da derrota do time, Mayumi ficou feliz com o apoio da torcida, e viu sua jogadas bombarem no site Weibo.com, com mais de 13 mil likes e 800 comentários.

No trecho abaixo, a pro-player usa seu Nautilus, um pesado Tanque com função de proteção, para abater o atirador adversário, Miguel "Stepz" Rezek.

Mayumi é a terceira brasileira a jogar no palco em um torneio oficial de League of Legends. Em 2017, Cute foi a primeira garota, competindo pela CNB. No ano seguinte, Kiit foi a segunda mulher, saindo do banco de reservas da Bulldozer.

Apesar de a INTZ ter sido eliminada da Superliga, perdendo para a Uppercut por 2 a 1, a jogadora contou para o START que ficou feliz com a experiência. "Mesmo com um resultado negativo, o apoio após o jogo foi impressionante, com várias mensagens positivas. Isso me deixou bem confortável, mostra que estamos evoluindo. Acredito que no futuro, acontecimentos como esse serão normais", afirma.

Quando uma mulher fizer sua estreia, que isso seja visto como apenas mais um dia normal
Mayumi, jogadora profissional de LoL

Mayumi (ex-Hamtaro Vem Aí) foi contratada ao lado de Tainá "Yatsu" Santos (ex-Abatedouro de eboy) após participarem da 2ª fase do Projeto Invocadoras. Elas passaram a integrar a equipe mista de LoL em agosto. A iniciativa foi criada em março, e a jogadora treina na organização no modelo gaming office, em que os atletas moram em suas próprias casas, e reúnem-se no "centro de treinamento" para as rotinas de equipe.

Imagem de anúncio com Mayumi integrando lineup durante a Superliga ABCDE - Divulgação
Imagem de anúncio com Mayumi integrando lineup durante a Superliga ABCDE
Imagem: Divulgação

"Naquela época jogar LoL era apenas um lazer. Sonhava algum dia jogar em um time, e a peneira era uma grande oportunidade para mim", explica Mayumi. "Mas confesso que não imaginava que fosse chegar tão rápido", revela.

Atualmente, "League of Legends" é o carro-chefe da rotina de Júlia. "Jogar LoL é meu trabalho. Tenho ao meu dispor a estrutura de um time profissional e uma rotina de treino como de qualquer outro jogador". Fora dos treinos, a jogadora se inspira no estilo de vida da personagem Mulan e assiste animes. "Meus animes preferidos no momento são 'Kimetsu no Yaiba' e 'Boku no Hero'".

Para o futuro, Mayumi espera ver mais mulheres nos eSports e abre o coração: "Quando uma mulher fizer sua estreia, que isso seja visto como apenas mais um dia normal", diz a jogadora. Ela faz um apelo às futuras pro-players e jovens que querem jogar profissionalmente. "Se vocês querem isso como carreira, invistam. Não é porque outras pessoas falam que você não é capaz que isso deve lhe impedir de buscar seu sonho. Não importa o quão alto seja a escalada, seu esforço será recompensado".

Você pode ver as transmissões de Mayumi em seu canal no Twitch, e acompanhá-la no Twitter, Facebook e Instagram.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS
Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

eSport