Topo

Jogos mobile


"Mario Kart Tour": o que esperar do jogo de corrida nos smartphones?

Curtia Mario Kart? Game terá uma versão gratuita para celulares - Reprodução
Curtia Mario Kart? Game terá uma versão gratuita para celulares Imagem: Reprodução

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

25/05/2019 04h00

Resumo da notícia

  • "Mario Kart Tour" está em fase de testes, e será lançado para Android e iOS
  • Game tem principais circuitos icônicos da série de corrida da Nintendo
  • Adaptação para o celular inclui tela vertical e comandos de derrapagem nas curvas
  • Sistema de monetização "estilo Candy Crush" tem gerado críticas

Depois de ser adiado para o segundo semestre de 2019, "Mario Kart Tour" começa a entrar em fase beta de testes no sistema Android. E, pelo menos por enquanto, as opiniões são mistas. Segundo os relatos disponíveis, o "Mario Kart" mobile traz muitos dos elementos que marcaram a série, mas ao mesmo tempo tem um modelo de monetização que preocupa os jogadores.

A versão beta de testes foi distribuída aleatoriamente entre um grupo selete de usuários Android do Japão e Estados Unidos. O teste é sigiloso, e a Nintendo proíbe que sejam divulgadas imagens ou vídeos do game - conteúdos estão aparecendo e sendo derrubados do YouTube, por exemplo. Mas, a partir de relatos de sites internacionais, é possível ter uma ideia do que vem por aí.

Clássico é clássico

Segundo o Business Insider, "Mario Kart Tour" é "muito similar aos jogos da série que conhecemos, mas adaptado para smartphones". De acordo com o Kotaku, o design do jogo, a música e o estilo lembram muito as corridas disputadas nos consoles. Ou seja, uma primeira boa notícia para quem sempre quis uma opção mais prática de jogar "Mario Kart" em qualquer lugar.

O sistema é basicamente o mesmo: você seleciona um piloto, um kart e um planador do seu inventário antes de ser colocado contra sete outros jogadores ao redor do mundo - calma que já vamos explicar mais sobre esse multiplayer que já gerou polêmica.

Na corrida, estão lá as famosas "caixas de presente" que geram itens para você atrapalhar os adversário ou ganhar poderes, exatamente como nas versões dos consoles. Cada corrida ou desafio completado gera estrelas, que são usadas para você abrir novos circuitos e desbloquear presentes. Os bônus ainda podem variar entre diferentes pilotos selecionados para corridas específicas.

Drifts e multiplayer

Apesar de trazer elementos conhecidos, como pistas clássicas e o já consagrado sistema de corridas, a versão para celulares tem algumas diferenças importantes em relação aos jogos de console.

O primeiro estranhamento vem com a orientação da tela: "Mario Kart Tour" é jogado na vertical, assim como "Super Mario Run". A princípio, esse formato tem agradado a maioria dos usuários que testaram a novidade.

Outra diferença é que você não precisa acelerar ou frear: isso é feito automaticamente pelo sistema. Cabe ao usuário controlar a direção por meio de toques, deslizando na tela para fazer curvas e recolher itens, além de disparar os itens de poderes por meio de botões no display.

Há detalhes que o jogador pega com o tempo, segundo o Kotaku. Por exemplo, é possível realizar derrapadas ao atrasar o comando da curva ao máximo e fazer isso agressivamente no momento certo, deslizando o dedo por alguns momentos na tela.

A versão manual das derrapadas, em contraste com a automática, também deixa o game mais interessante, segundo o 9to5Google. O gameplay foi descrito como "ligeiramente entediante, mas passível de melhorar" - para o site, o tutorial faz o jogo parecer chato, mas tudo fica mais legal quando as corridas começa para valer.

O sistema multiplayer, que pareia jogadores, contudo, já rendeu críticas. O site Nintendo Life aponta que usuários não jogam em tempo real com outros, mas sim contra ações feitas por usuários antes - é possível, inclusive, sair e voltar para o jogo ou pular introduções. Em um jogo como "Mario Kart", em que ações afetam oponentes, soa estranho que a corrida não seja em tempo real. Não se sabe se isso ocorrerá somente para a versão beta, contudo.

Usuários ainda apontaram que raramente perdem uma corrida e acabam na grande maioria das vezes em primeiro, o que pode indicar necessidade de ajustes na inteligência artificial.

Problemas de monetização

A monetização do jogo pareceu abusiva, segundo os críticos. Assim como "Candy Crush" e outros jogos mobile gratuitos, "Mario Kart Tour" tem um sistema de moedas, vidas e tempo de recarga. Mas, segundo o Business Insider, não é um sistema agradável.

"Antes de qualquer coisa, preciso dizer: existem muitas moedas diferentes na atual versão de 'Mario Kart Tour', é excessivo. Mas o maior problema são os corações, que são gastos enquanto o app está aberto: não importa se você está em corrida, menus ou na loja virtual", afirma a análise da publicação.

Cada coração dura 15 minutos, esteja você correndo ou não. Quando os corações acabarem, você não pode jogar até recuperá-los com o tempo ou comprá-los com "joias", uma das moedas disponíveis. Você ainda precisa ir, aos poucos, desbloqueando os circuitos, pilotos e todas as personalizações possíveis - e tudo isso pode ser acelerado se você gastar dinheiro com microtransações.

Na avaliação geral da mídia internacional, o jogo parece divertido e ótimo para matar o tempo, apesar das críticas sobre a monetização. É claro que, como toda versão beta, que ainda está sujeita a feedbacks, "Mario Kart Tour" poderá ter mudanças significativas até ser lançado para Android e iOS.

Jogos mobile