PUBLICIDADE

Topo

"Deus Ex GO" adapta bem elementos da franquia aos celulares

Com ação similar a de jogos de tabuleiro, "Deus Ex GO" leva elementos da série principal para os celulares e tablets - Divulgação
Com ação similar a de jogos de tabuleiro, "Deus Ex GO" leva elementos da série principal para os celulares e tablets Imagem: Divulgação

Rodrigo Lara

Do UOL, em San Francisco (EUA)

18/07/2016 12h10

Depois de "Tomb Raider" e "Hitman", o próximo jogo da Eidos a ganhar as telas de celulares será "Deus Ex GO". Com previsão de lançamento para o próximo mês de setembro, ele utiliza a mesma fórmula dos demais games da série "GO", porém com adaptações para incluir elementos da franquia "Deus Ex".

A grosso modo, trata-se da versão digital de um jogo de tabuleiro, com o personagem se movendo em turnos e por pontos pré-definidos. A meta é chegar ao final da rota definida, evitando ameaças como soldados inimigos e metralhadoras automatizadas, por exemplo. 

Para tal, o jogador encontra pontos do trajeto contendo itens que representam as habilidades do personagem Adam Jensen, como invisibilidade ou a possibilidade de hackear objetos do sistema de segurança - como as já citadas metralhadoras. A melhor forma de progredir é programar, antecipadamente, rotas e ações: não há limites para o número de movimentos.

De acordo com o game designer do jogo, Etienne Giroux, "Deus Ex GO" vai além de uma cara nova para um game antigo. "Quando criamos um novo jogo da série 'GO', só utilizamos a base mecânica do game. A partir disso, adaptamos os elementos de cada franquia relacionada de maneira a se integrar à proposta e criar uma identidade", disse.

Mesmo se tratando de um jogo para dispositivos móveis e com partidas rápidas, chegar ao final de "Deus EX GO" demanda cerca de cinco horas para ser terminado. Há mecânicas complexas envolvidas, porém elas são introduzidas na jogabilidade de maneira gradual, solução utilizada para não afastar jogadores mais casuais.

Há também uma relação direta com "Deus Ex: Mankind Divided": ao avançar no game mobile, o jogador pode ganhar recompensas no game para PC e consoles na formas de pontos de Praxis, que são utilizados para desbloquear habilidades de Adam Jensen. A história, por sua vez, se passa entre "Human Revolution" e "Mankind Divided" e serve para mostrar o que o agente fez entre os dois games.

Pago e completo

Quando perguntado sobre por que não adotar o formato "gratuito para jogar", Giroux explica que a decisão acaba criando uma relação de confiança com os jogadores. "Eles sabem que estão comprando um game completo e que pode ser terminado sem investimento extra", diz.

Ainda assim, "Deus Ex GO" terá microtransações com dinheiro real, sendo que elas servirão apenas para quem quiser avançar no game de maneira mais rápida.

Ainda não há um preço definido para o jogo no Brasil. A julgar pelo valor cobrado por "Tomb Raider GO" e "Hitman GO" no país, é de se imaginar que o título custe algo em torno dos R$ 20.

O mesmo vale para a data de lançamento: o que se sabe é que o jogo sairá no mês de setembro, para dispositivos Android, iOS e Windows Phone. A julgar por "Hitman GO", versões para PC e consoles de mesa e portáteis (como PlayStation 4 e PS Vita) não devem ser descartadas. Após o lançamento, também está previsto um editor de mapas, permitindo que jogadores criem seus próprios desafios e, eventualmente, possam desafiar amigos.

A série "GO", por sua vez, também deverá ter novos episódios utilizando as franquias da Square Enix. "Sempre que houver sentido, lançaremos jogos do tipo", concluiu Giroux.