PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Exclusivo: Dos R$ 550 mi que a EBC custa, R$ 378 mi são só em salários

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse no Twitter que a TV Brasil dá "prejuízo de R$ 550 mi por ano" - Reprodução
O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse no Twitter que a TV Brasil dá "prejuízo de R$ 550 mi por ano"
Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/03/2021 07h20

O último fim de semana foi marcado por um bate-boca digital entre o ministro das Comunicações, Fábio Faria, e jornalistas, no Twitter.

Durante a discussão, Faria foi provocado: em vez de ficar batendo boca com jornalistas, por que não "cumpria" a promessa de seu chefe, Jair Bolsonaro, de fechar a TV Brasil, emissora pública que dá traço de ibope?

Visivelmente irritado, Faria respondeu que, antes, precisaria arrumar um comprador disposto a investir "numa TV que deixa R$ 550 milhões de prejuízo por ano".

A coluna foi atrás das informações, apurou e descobriu que o ministro está errado e ao mesmo tempo certo.

1.879 funcionários

Na verdade, R$ 550 milhões é o orçamento total da EBC (Empresa Brasil de Comunicação) e esse montante paga seus 1.879 funcionários concursados e nomeados (cargos de confiança), além de alguns prestadores de serviço terceirizados.

A TV Brasil sozinha custa por volta de R$ 412,5 milhões (75% do total orçamento).

Para efeitos de comparação, esse é o valor aproximado que uma TV aberta comercial e antiga, como a Band, fatura anualmente.

O que espanta, porém, é que, desse total de R$ 550 milhões orçados para a EBC, quase R$ 400 milhões (exatos R$ 378,4 milhões) são só em salários.

O custo operacional de toda a empresa é bem menos da metade do custo só em salários.

Prejuízo líquido

A EBC também diz ter receitas, embora na internet esse dado hoje esteja vedado ao público comum.

A maioria do dinheiro arrecadado pela EBC em publicidade tem origem governamental ou estatal, mas também há vendas de conteúdo e parcerias. A TV Brasil vai ao ar de forma compulsória.

A lei do seAC (serviço de Acesso Condicionado) obriga as operadoras colocar em seu menu dois canais do Executivo. No caso, TV Brasil 1 e 2 (ex-NBR). Com isso, o Executivo acaba sendo obrigado também a reservar um orçamento para cumprir a obrigação.

Segundo a presidência da EBC, entram outros R$ 200 milhões em verbas oriundas da CFRP (Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública).

Quem paga essa contribuição são as empresas brasileiras de telecomunicação (operadoras Claro, Tim, Oi etc.).

Nesse caso específico, como a TV Brasil mostrou até hoje pouquíssima utilidade pública palpável, tem um ibope beirando o traço, um jornalismo inexpressivo e, desde a fundação, tem, por preocupação aparente, mais acomodar jornalistas e funcionários apoiadores deste ou daquele governo e menos servir ao público, então o ministro Faria está certo: são de fato R$ 550 milhões anuais de "prejuízo" ao país.

Outro lado

Por meio de sua assessoria, a direção da EBC confirmou todos os valores listados nesta coluna (veja ao final deste texto quanto a EBC custou aos cofres públicos neste e nos últimos seis anos).

Uma TV sem público

A TV Brasil foi lançada em 2007, no segundo mandato de Lula, e seu idealizador foi o então ministro das Comunicações, Franklín Martins.

Desde o dia que foi ao ar até hoje, a emissora nunca deu nem sequer um ponto de ibope.

Um dos motivos é que sua grade de programação sempre foi confusa, errática e desinteressante.

Nos primeiros anos a TV Brasil até produzia algum conteúdo exclusivo, mas, com o passar do tempo, passou quase que apenas a reproduzir programas comprados ou "emprestados" em parceria por emissoras como a TV Cultura.

Hoje a TV Brasil virou "duas": o governo Bolsonaro transformou a NBR —antiga emissora governamental e dedicada apenas a propagandear os atos do Executivo— na TV Brasil 2.

Durante a campanha eleitoral, em 2018, Bolsonaro prometeu várias vezes que iria "fechar" ou vender a emissora.

Na verdade, desde que tomou posse Bolsonaro vem aparelhando a TV Brasil com aliados e até filhos de aliados.

Ou seja, faz a mesma coisa que criticava no PT.

Veja quanto custa a EBC por ano aos cofres públicos:

2015 - R$ 560 milhões

2016 - R$ 595 milhões

2017 - R$ 603 milhões

2018 - R$ 678 milhões

2019 - R$ 549 milhões

2020 - R$ 540 milhões

2021* - R$ 550 milhões

*estimativa

Fonte: EBC (Empresa Brasil de Comunicação)

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops