PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Ibope do BBB é o maior desde 2010, mas há risco de perder fôlego

 Curitibana Karol Conká foié eliminada do BBB 21 com maior rejeição da história do reality - Reprodução/Globo.
Curitibana Karol Conká foié eliminada do BBB 21 com maior rejeição da história do reality Imagem: Reprodução/Globo.
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

25/02/2021 08h19

O "BBB 21" é definitivamente um sucesso de público. Dados exclusivos obtidos pela coluna mostram que a atual edição tem atingido a melhor audiência em São Paulo ao menos desde 2010.

O índice de audiência em São Paulo é importante porque a região é a principal para o mercado publicitário brasileiro.

Até agora*, o "BBB" registra 27,5 pontos de média e 46,2% de share —ou seja, na atual versão 46,2 em cada 100 TVs estão sintonizadas no reality show (que ontem eliminou Karol Conka).

Cada ponto na Grande SP equivale a cerca de 76 mil domicílios.

Em 2010, por exemplo, a edição do "BBB" (completa) marcou 30,7 pontos e 50,7% de share (veja o ranking no final do texto).

Nas médias não estão somados os "flashes" durante a madrugada.

Tesouro publicitário

O sucesso da atração também é comercial, obviamente.

Como o site "Notícias da TV" publicou, o "BBB 21" vai ter um faturamento bruto de quase meio bilhão de reais ou mais.

Importante acrescentar que esse valor é bruto porque a Globo tem uma "sócia" no programa: a empresa holandesa Endemol Shine.

A Globo ainda tem faturamento com assinaturas para quem quiser assistir ao programa no Globoplay (custa R$ 22,90 ao mês).

Uma década atrás não havia streaming, mas havia assinaturas de pay-per-view —que eram muito mais caras e menos acessíveis.

A Globo não revela o volume de assinaturas, mas gente do mercado ouvida pela coluna estima que esteja na casa de 5 milhões de assinaturas.

Nada disso está nesta estatística. Aqui só falamos de TV aberta, pois é a única fonte de comparação estatística.

Porém...

Apesar de tudo isso, a análise de edições anteriores e de realities congêneres mostra que há um risco —ou tendência— de perda de público de agora em diante.

Anos anteriores mostram que há tendência de curva descendente no ibope —ou de crescimento menor— depois do primeiro mês.

Isso ocorre também com "A Fazenda", aliás.

Além disso, a atual edição do "BBB" será a maior de todas: vai durar 100 dias. Isso também deve pesar.

Ontem (24), dia da eliminação de Karol Conka, o programa chegou a 37,7 pontos em São Paulo, onde cada ponto vale por cerca de 76 mil domicílios.

É o maior ibope em uma década, mas não é suficiente para mudar a média geral dele, usado neste texto.
.
Veja como foi o ibope das últimas 11 edições do BBB
(pontos de audiência e share, na Grande SP)

BBB 10 - 30,7 pontos e 50,7% de share
BBB 11 - 24,8 e 41,1%
BBB 12 - 25,3 e 43,4%
BBB 13 - 23,8 e 41,9%
BBB 14 - 21,7 e 39,0%
BBB 15 - 22,7 e 39,8%
BBB 16 - 23,7 e 39,5%
BBB 17 - 23,2 e 38,0%
BBB 18 - 26,2 e 43,3%
BBB 19 - 20,4 e 34,4%
BBB 20 - 25.6 e 41,4%
BBB 21* - 27,5 e 46,2%

*até 21/02

Fonte: Dados consolidados da Kantar Ibope Media

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops