PUBLICIDADE
Topo

Confirmado: após 9 anos, SBT dispensa Rachel Sheherazade

Jornalista Rachel Sheherazade, na bancada do "SBT Brasil" - Reprodução/Internet
Jornalista Rachel Sheherazade, na bancada do "SBT Brasil" Imagem: Reprodução/Internet
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

08/09/2020 15h20

Após nove anos ininterruptos no SBT, Rachel Sheherazade vai deixar a emissora. E não por vontade própria.

A jornalista e âncora do "SBT Brasil" foi avisada pela emissora que seu contrato, que vence no próximo dia 31 de outubro, não vai ser renovado.

Rachel foi avisada oficialmente ontem. A coluna confirmou a informação junto a fontes no SBT.

Embora os rumores do fim do contrato fossem persistentes nos últimos meses, até ontem ainda havia pessoas esperançosas de que a emissora mudasse de ideia.

Um dos problemas para a renovação, porém, era o salário elevado. Ninguém sabe ao certo, já que nem emissora nem jornalista jamais falaram a respeito, mas especula-se no meio que o salário de Sheherazade supere os R$ 200 mil mensais.

Rachel chegou ao SBT em 2011 vinda da afiliada da rede na Paraíba, a TV Tambaú, onde estava desde o início dos anos 2000.

Segundo a coluna apurou, ela tem sido sondada por várias emissoras abertas e fechadas.

Declaração de amor

Solteira desde o ano passado, Rachel e seus fãs foram surpreendidos anteontem por uma postagem do tabelião Matheus Faria Carneiro, no Instagram.

Eles namoraram até 2018.

"Descrevê-la seria reduzir seu tamanho, sua grandeza, sua magnanimidade", derreteu-se o ex, numa longa mensagem carinhosa e amorosa.

"Você tem o dom das palavras e o dom de decifrar minha alma", respondeu calorosamente a ex nos comentários da rede.

A coluna procurou o SBT, que não se manifestou a respeito.

Também tentou localizar Rachel, mas ela não respondeu até o momento da publicação deste texto.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL