PUBLICIDADE
Topo

Ranking: Os 5 piores programas da TV por assinatura

"Estrelas" do deplorável e fantasioso programa "Monstros da Montanha", do Discovery Theater - Reprodução/YouTube
"Estrelas" do deplorável e fantasioso programa "Monstros da Montanha", do Discovery Theater Imagem: Reprodução/YouTube
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

22/06/2020 12h24

Nos últimos cinco anos a TV por assinatura perdeu cerca de 1 em cada 4 clientes. No final de 2014 havia cerca de 20 milhões de assinantes. Hoje há pouco mais de 15 milhões.

Há muitas queixas envolvendo o serviço e justificativas para tamanha fuga de clientes.

A saber: pacotes caros, canais inúteis impostos na marra, intervalos intermináveis, atrações que chegam a ser reprisadas até quatro vezes por dia, mas ainda há a cereja (podre) do bolo do mau gosto: programas ruins. Ah, e como tem programa ruim na TV paga!

Desde os desnecessários e dedicados a nichos minúsculos —se é que existem— até as mais completas idiotices.

Esses também são grandes campeões de desinteresse e certamente são uma das causas para que tanta gente cancele o serviço.

A coluna listou hoje cinco programas idiotas, inúteis, apelativos, sensacionalistas quando não simplesmente farsescos. Vejam nossa lista

"Ataque Animal" (History)

Um biólogo e um cuidador de animais —ambos curiosos imbecis— dedicam suas vidas a serem picados e mordidos por animais e insetos peçonhentos com um único objetivo: "completar" uma escala de dor desenvolvida por um entomologista chamado Justin Schmidt, 80 —que teve a "honra" de ganhar o prêmio Ig Nóbil —dedicado às pesquisas e pesquisadores mais sem noção do mundo. Merecido.

"Quilos Mortais" (Discovery Channel)

Não há a menor dúvida de que a obesidade mórbida é uma doença perigosíssima e que deve ser combatida com força de vontade da vítima, conhecimento e apoio da família e amigos. Dito isso, expor pobre infelizes de 300 quilos ou mais em rede, humilhá-los e acompanhar segundo a segundo seu sofrimento e sua depressão profunda não me parece decente e condizente com um canal educativo. É um programa deplorável.

"Chegou Honey Boo-Boo ((canal TLC)

Inacreditável que esse programa ainda seja exibido. A menina cresceu, mas continua com péssimos hábitos alimentares e de comportamento. Sua mãe não é nenhum exemplo de maternidade responsável e as pessoas que estão à sua volta parecem ser apenas parasitas interessados no pior tipo de fama que possa existir: a fama deplorável.

"Pequenas Misses" (canal TLC)

Outra aberração que só mesmo mães doentias podem se esforçar para expor as filhas. As crianças são tão maquiadas, emperequetadas, provocadas, ensinadas na arte do mais asqueroso do egocentrismo que certamente bons seres humanos não vão sair dali. Pudera, com o tipo de mãe que essas crianças têm seria impossível mesmo qualquer coisa boa. Um programa literalmente revoltante. Lixo.

"Monstros da Montanha" (Discovery Theater)

Um punhado de ignorantes caipiras do sul dos Estados Unidos, armados até os dentes e mais assustados que saracuras passam as madrugadas vasculhando pântanos da Louisiana atrás de monstros inexistentes que só existem na cabecinha oca deles. Se apavoram com qualquer galho quebrado. Nunca nem sequer viram um pobre texugo. Está na cara que mais cedo ou mais tarde alguém desesperado vai dar um tiro no meio da fuça de um companheiro igualmente retardado e, aí sim, o programa se tornará famoso mundialmente. Idiotas.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL