PUBLICIDADE
Topo

Johnny Depp faz 59 anos e tem o que comemorar, mas qual futuro o aguarda?

A chegada de Johnny Depp em tribunal de Virginia, EUA - Cliff Owen/Getty Images
A chegada de Johnny Depp em tribunal de Virginia, EUA Imagem: Cliff Owen/Getty Images

Juliana Almirante

Colaboração para o UOL

09/06/2022 11h17

O ator norte-americano Johnny Depp completa 59 anos nesta quinta-feira (9) e tem o que comemorar. O aniversário acontece pouco depois de vencer a ex Amber Heard no tribunal e conquistar uma virada na sua reputação com parte da opinião pública. Após quase dois meses de julgamento, o júri considerou como difamação Heard chamá-lo de "abusador sexual".

Famoso por papéis como o do capitão Jack Sparrow, na série de filmes "Piratas do Caribe", o ator foi acusado de agressão doméstica pela atriz em 2018 e, desde então, alega que perdeu trabalhos, inclusive o contrato para interpretar o irreverente pirata na franquia da Disney.

Isso teria causado um prejuízo de US$ 50 milhões, mas ao final do processo ficou determinado que Depp teria direito a receber uma indenização de US$ 8,35 milhões (R$ 40,2 milhões). O retorno de Depp a grandes produções de Hollywood também é incerto.

Inicialmente, a expectativa é de que ele se dedique à carreira musical e a produções independentes.

Johnny Depp em cena de 'Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald' - IMDB - IMDB
Johnny Depp em cena de 'Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald'
Imagem: IMDB

Efeito do processo judicial nas carreiras

O último papel de Depp foi no longa "Minamata", que estreou no Festival de Cinema de Berlim, em 2020. No entanto, o lançamento do filme nos EUA chegou a ser adiado, e o ator reclamou de um suposto boicote em Hollywood. O diretor Andrew Levitas também disse que a produção foi "enterrada" por conta da acusação contra o ator.

Já a saída de Depp da franquia "Animais Fantásticos" foi anunciada em 2020. A Warner Bros requisitou que ele ficasse fora da produção, na qual interpretava o vilão Gellert Grindelwald.

Heard também alegou, em depoimento durante o julgamento, que teve a sua carreira prejudicada com ações orquestradas por seu ex-marido. Segundo ela, a sua participação na continuação do filme "Aquaman" teria sido reduzida por conta disso, com o corte de cenas importantes.

Próximos passos de Depp

O ator deve voltar aos cinemas com o filme francês "Jeanne Du Barry", que está em fase de pré-produção. Depp vai interpretar o rei Luís 15, no longa que será inspirado na vida de Jeanne Bécu, amante do monarca da França.

Depp deve se dedicar também a projetos autorais tanto no cinema quanto na TV e seguir com a carreira musical, de acordo com o tabloide britânico The Daily Mail. Ele lançará um álbum ainda neste ano com o músico Jeff Beck, com quem se apresentou recentemente no Reino Unido.

Famoso pelo seu trabalho nas telonas, Depp também já colaborou com músicas de Marilyn Manson e Iggy Pop. O desejo de participação em projetos independentes já foi manifestado pelo ator em uma entrevista ao podcast do jornalista Jason Solomons em 2020.

depp - Reprodução/Instagram @johnnydepp - Reprodução/Instagram @johnnydepp
Johnny Depp em show de Jeff Bec
Imagem: Reprodução/Instagram @johnnydepp

Retorno do ator a Piratas do Caribe

Um ex-executivo da Disney disse acreditar que Depp deve retomar o papel de Jack Sparrow em "Piratas do Caribe" após a vitória judicial. De acordo com a revista People, a fonte diz que o personagem tem "muito potencial de bilheteria", por ser "amado" e estar "enraizado na cultura da Disney".

"Tenho convicção de que, após o resultado do júri, 'Piratas do Caribe' está preparado para reiniciar com Johnny como o 'capitão Jack' de volta a bordo", declarou. O ator participou dos cinco primeiros filmes da franquia.

Por outro lado, antes do veredicto, o produtor envolvido no filme, Jerry Bruckheimer, disse em entrevista ao The Sunday Times que Depp não estaria no próximo longa da franquia. Em 2020, foi anunciado que a atriz Margot Robbie seria a protagonista na sequência cinematográfica.

O próprio Depp chegou a afirmar durante o julgamento que não voltaria para a produção da Disney por nenhum acordo, segundo a revista Variety. "Se a Disney chegasse a você com US$ 300 milhões e um milhão de alpacas, nada neste mundo o faria voltar e trabalhar com a Disney em um filme de Piratas do Caribe? Correto?", questionou o advogado de Heard, Ben Rottenborn. "Isso é verdade", respondeu o ator.

Fama do ator e opinião pública

A fama e o carisma de Depp contribuíram para manter a opinião pública a seu favor durante o julgamento. Vídeos relacionados ao termo "Justice for Johnny Depp" (em português, Justiça para Johnny Depp) alcançaram mais de 20 bilhões de visualizações no Tik Tok. Já aqueles ligados à expressão "Justiça para Amber Heard" não chegaram a 80 milhões.

Uma petição feita por fãs de "Animais Fantásticos" pedia que o ator voltasse a interpretar o vilão da franquia, reunindo quase 300 mil assinaturas. Depp foi substituído na série de filmes pelo ator Mads Mikkelsen.

Os fãs do ator também se mobilizaram para reunir 3 milhões de assinaturas em uma petição para que Heard fosse retirada do elenco de "Aquaman 2", cujo lançamento está previsto para 2023.

Depp comemorou a decisão judicial com uma publicação no Instagram. Ele se referiu às acusações da ex-mulher como "falsas e muito sérias" e disse estar em paz com o resultado.

"Seis anos depois, o júri me devolveu minha vida", declarou o ator. Para ele, o julgamento indica que uma fase diferente está a caminho. "O melhor ainda está por vir e um novo capítulo finalmente começou. A verdade nunca perece", publicou.

E o dinheiro?

A atriz Amber Heard durante depoimento contra o seu ex-marido, Johnny Depp, em tribunal de Fairfax, na Virginia - Michael REYNOLDS/POOL/AFP - Michael REYNOLDS/POOL/AFP
A atriz Amber Heard durante depoimento contra o seu ex-marido, Johnny Depp; ela diz que vai recorrer da decisão
Imagem: Michael REYNOLDS/POOL/AFP

Após a decisão do júri, a atriz publicou uma nota nas redes sociais em que afirma estar decepcionada. "Estou triste por perder este caso. Mas estou ainda mais triste por parecer ter perdido um direito que pensava ter, enquanto americana: o de falar livre e abertamente", postou.

Além disso, a defesa dela informou que vai recorrer. A atriz alega que não tem condições de pagar o valor de US$ 8,35 milhões. Ela pode decretar falência por isso, inclusive.

Depp, no entanto, pode abrir mão da indenização. Benjamin Chew e Camille Vasquez, advogados do ator, disseram em entrevista ao "Good Morning America" (ABC) que a questão nunca foi dinheiro para o ator.

"Como o Sr. Depp testemunhou, nunca foi sobre dinheiro para ele. Tratava-se de restaurar sua reputação", disse Chew. O advogado declarou ainda que o cliente estava "na lua" com o veredito. "Era como se o peso do mundo tivesse sido tirado de seus ombros."