PUBLICIDADE
Topo

Humorista Marina Miranda faz 90 anos: 'A vida é boa, a gente que complica'

A humorista Marina Miranda
A humorista Marina Miranda
Arquivo pessoal

Waleska Borges

Colaboração para Splash, do Rio

20/10/2020 04h00

Primeira humorista negra a ganhar destaque na TV brasileira, Marina Miranda fez sucesso nos anos 1970 e 1980 e ficou famosa pela parceria com Tião Macalé (1926-1993). A comediante e cantora lírica completou 90 anos no dia 30 e foi homenageada com o livro "Marina Miranda - Além da Crioula Difícil".

Marina está afastada da TV desde o final de 2015. Depois de sofrer um derrame, tem tido dificuldades com a audição, mas está lúcida e considera sua carreira "maravilhosa" e "um sucesso".

Continua depois da publicidade

A vida é boa, a gente que complica. Deus sempre ajuda para eu espantar as pessoas do mal,

afirma Marina, quando questionada se sofreu discriminação racial.

"Sofri. Mas não gosto de falar de tristezas. Guardo para mim e vou em frente. Naquela época era muito difícil e hoje ainda deve ser um pouco."

Marina Miranda contracena com Tião Macalé  em programa da TV Globo na década de 1970 - Reprodução/Globo - Reprodução/Globo
Marina Miranda contracena com Tião Macalé em programa da TV Globo na década de 1970
Imagem: Reprodução/Globo

Marina atuou no programa "Balança Mas Não Cai", adaptado a partir do rádio pela TV Globo em 1968 e também participou de outros humorísticos, como "Os Trapalhões" e "Noites Cariocas" (TV Rio). Recentemente, atuou em novelas da Record, como "Prova de Amor" (2005) e a série "Os Mutantes".

"Sempre vai faltar aclamação para ela e tantos comediantes da época, que fizeram história na TV brasileira. Mas a vida segue com outros sabores. Marina tem consciência de que não dá para ficar com lamentações e mágoas"

Clóvis Corrêa, autor da biografia "Marina Miranda - Além da Crioula Difícil"

Humor caricato

Segundo o autor, apesar de ter feito cenas dramáticas, Marina ficou marcada pelo trabalho caricato. Nos anos 1980, gravou paródias para uma série de comerciais de um mercado com Tião Macalé. Neles, ambos usavam perucas loiras e davam vida a personagens conhecidos como She-Ra e He Man.

Continua depois da publicidade
Marina Miranda e Tião Macalé partipavam de paródias em comerciais do Supermercado Disco - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Marina Miranda e Tião Macalé partipavam de paródias em comerciais do Supermercado Disco
Imagem: Arquivo pessoal

Em 1982, em um dos quadros do "Balança Mas Não Cai", Tião Macalé pergunta a Marina: "Tem comida para bicho aí?". "Só para cachorro, gato e galinha. Você vai ter que comer em outro lugar", ela responde. "Ô crioula difícil", diz Macalé, rindo. "Por isso que não gosto de preto", emenda ele.

Em outro quadro, Marina e Tião interpretam Branca de Neve e o príncipe. "Deixa que seu príncipe encantado te dá um beijo para tirar o efeito da maçã", diz ele. "Sai pra lá, crioulo", ela afirma. "Ué, tu não comeu maçã envenenada?". Ela, soluçando, diz: "Que maçã que nada. Eu tomei foi muita cana".

"Alguns quadros a incomodavam, mas ela sabia da necessidade de sobrevivência e da ocupação do espaço, que já era pouco para o artista negro",

diz o biógrafo.

Continua depois da publicidade

Nascida em Paraíba do Sul, no sul fluminense, Marina foi adotada e passou a morar em Copacabana, na zona sul do Rio, desde os três anos de idade. Sua mãe adotiva sempre a incentivou a ter orgulho de sua pele e de seus cabelos.

"Ela cresceu com muita autoestima. Depois, já com sucesso, era convidada para festas e brilhava, tendo sempre uma resposta para quem ousasse destratá-la por ser negra. Durante muito tempo, usou roupas coloridas e cabelo black power, ostentando o poder da negritude por todo canto",

comenta Corrêa.

Sem arrependimentos

A atriz diz não ter arrependimentos, mas ressalta que não gosta de nada que faça alguém sofrer. "Só não entendo essa gente carregando tanta amargura no coração para maltratar o preto", comenta Marina.

Marina aprendeu com a mãe a valorizar a própria beleza e o cabelo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Marina aprendeu com a mãe a valorizar a própria beleza e o cabelo
Imagem: Arquivo pessoal

A jornalista Sylvia Miranda, 43 anos, filha de Marina, lembra que ela teve que retirar o útero aos 23 anos, mas sempre quis ser mãe e adotou três filhas. Além delas, pelo menos 12 pessoas foram abrigadas na casa de Marina em diferentes momentos. Ainda hoje ela vive em Copacabana, com duas filhas.

Continua depois da publicidade

Recentemente, Marina enfrentou um problema familiar. Uma das filhas que vivia com ela era acumuladora. A pedido de Sylvia, a Justiça entrou em cena e determinou a ida da atriz ao Retiro dos Artistas. O problema, no entanto, foi resolvido e Marina segue em casa. As filhas não comentaram o ocorrido.

Minha mãe é um poço de amor. Ela é doçura, carinho, alegria, piada. Não deixa a peteca cair, não fala negatividade. Nunca vai te colocar para baixo. Se você chega com um problema, ela te traz a solução.

Já Corrêa define Marina como uma pessoa divertida, capaz de despertar gargalhadas: "Marina é um grande circo! Com direito a palhaço, trapezista, domador, bailarina e tudo mais. Um grande circo popular brasileiro, carioquíssimo e colorido, com poderes transformadores da infância à idade adulta".

Capa da biografia de Marina Miranda - Reprodução - Reprodução
Capa da biografia de Marina Miranda, lançada em seu aniversário
Imagem: Reprodução

No último dia 30, seu aniversário, Marina se viu rodeada de amor. Ganhou flores, chocolate e o livro com a história da vida dela. Fã de reality shows, a atriz tem o sonho de conhecer comediantes da nova geração, como Fábio Porchat e Marcelo Adnet.

Eles têm que aproveitar o tempo, porque tudo passa.