PUBLICIDADE
Topo

Heraldo Pereira analisa racismo no Brasil: 'Diferenças são inconcebíveis'

Heraldo Pereira é apresentador da GloboNews
Heraldo Pereira é apresentador da GloboNews
Reprodução

Marcela Ribeiro

De Splash, no Rio

09/09/2020 04h00

Há três meses, viveu um dos momentos mais emblemáticos como profissional e cidadão. O apresentador do "Jornal das 10", da GloboNews, debateu o racismo com colegas da profissão e se emocionou ao vivo. O detalhe? Uma discussão só com a presença de negros.

Continua depois da publicidade

Maju Coutinho, Zileide Silva, Aline Midlej, Flávia Oliveira e Lílian Ribeiro, juntas com Heraldo, falaram de suas experiências pessoais com o preconceito e debateram o assunto. E fizeram história.

O canal reconheceu a falha e realizou um debate, bastante elogiado pelo público.

Foi um programa incrível, que ao tocar na questão que é notícia e repercutir uma questão também de interesse da opinião pública, a partir de um referencial que tinha nos Estados Unidos, a gente também abordou algumas questões nossas individuais

Continua depois da publicidade

A representatividade do programa fez com que Heraldo cedesse, chorasse. E muitos de nós também.

Não sou muito difícil de me emocionar. Meu pai falava que eu era manteiga derretida.

Heraldo não falou apenas sobre o programa histórico. No bate-papo com Splash, ele também relembrou sua trajetória profissional, racismo e destacou o orgulho de ter ocupado a bancada do 'Jornal Nacional'

Continua depois da publicidade
Retrato George Floyd em protesto - SHANNON STAPLETON/REUTERS - SHANNON STAPLETON/REUTERS
Imagem: SHANNON STAPLETON/REUTERS

O jornalista vê como extremamente importante as manifestações que rolaram depois da morte brutal de George Floyd nos Estados Unidos. Mas acha que precisamos olhar mais para o que está diante de nós.

A gente precisa olhar as diferenças entre negros descendentes de africanos, realidade do Brasil, e outros descendentes que vieram de outras localidades. As diferenças no Brasil são inconcebíveis

Nós somos maioria no Brasil desde que o samba é samba, depois dos índios. Olha para o seu lado e veja quem é o seu vizinho, veja se as pessoas negras desse país estão inseridas no seu ambiente. Essa é a perversidade do racismo no Brasil

Continua depois da publicidade

E propõe uma reflexão...

Qual é a amiga negra que você tem? Qual é a negra que você convive? Todo mundo que é bacanudo progressista, quero ver qual é a convivência que você tem num país que o samba é a música, Nossa Senhora Aparecida é a padroeira e a feijoada é a comida.

Veja fotos da trajetória de Heraldo Pereira

Um dos trabalhos do qual Heraldo mais se orgulha é entrevista feita com o poeta Carlos de Assumpção para o documentário "Poeta da Resistência", disponível no Globoplay. A produção conta sobre a vida e poesia de protestos do escritor, descendente de escravos, nascido na cidade de Tietê, interior de São Paulo, em 1927. Maju Coutinho e Zileide fazem leituras dos poemas.

Continua depois da publicidade

Heraldo também fez história na bancada do "Jornal Nacional" em 2002. Foi o primeiro apresentador negro do telejornal e gosta de brincar com três coincidências da vida:

"Sou do dia 1º de setembro, o Jornal Nacional é do dia 1° setembro, e o Corinthians também é do mesmo dia."

Heraldo Pereira no 'Jornal Nacional' - Reprodução/Globo - Reprodução/Globo
Heraldo Pereira no 'Jornal Nacional'
Imagem: Reprodução/Globo

Via Jornal Nacional desde criança, sempre foi uma referência, tenho muito orgulho de poder participar do rodízio de apresentadores, por onde passaram profissionais dos mais emblemáticos que tivemos e ainda temos. Foi muito marcante, me honra poder ter estado lá