PUBLICIDADE
Topo

Leonardo Rodrigues

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Quer comprar vinil agora sem se sentir enganado? Pergunte-me como

Getty images
Imagem: Getty images
Leonardo Rodrigues

Leonardo Rodrigues é jornalista do UOL, com passagem pela Folha de S.Paulo. Também é colecionador de LPs e luta para que, um dia, toca-disco deixe de ser confundido com vitrola.

Colunista do UOL

23/05/2021 04h00

Datilografei na última coluna sobre a inflação dos discos de vinil e como eles viraram fetiche na mão de millennials e passaram a custar pequenas fortunas no mercado.

E um dos pedidos que mais recebi com o texto —na verdade, desde antes dele— foi recomendar lojas e vendedores online que façam valer nosso cada vez menos rico dinheirinho e prestem bons serviços.

Desafio aceito. Mas, antes, quero abrir um parêntese

Se sua ideia é comprar usado, o que é sempre uma estratégia interessante, existe uma chance considerável de levar gato por lebre: receber LPs com aspecto deplorável vendidos como semi-novos ou ouvidos "uma ou duas vezes". É horrível quando isso acontece.

Mas tenho boa notícia: existe um sisteminha internacional que evita isso classificando o estado de conservação e que certamente irá te ajudar. Ele é baseado no visual e pode ser empregado em capas e outros itens de segunda mão.

Porque não há nada mais frustrante que se deparar na internet com descrições de anúncios tão vagas, evasivas e contraditórias quanto o depoimento do ex-ministro Pazuello à CPI da Covid.

Algo como:

Bom estado de conservação, com marcas comuns de uso que não interferem na audição.
Frases como esta me causam espécie e sentimentos pouco publicáveis, mesmo com a fortíssima concorrência do "Preço no inbox". Isso também te irrita?

Assim sendo, em qualquer compra online, procure por estas nomenclaturas

M (Mint): Disco novo, perfeito, provavelmente nunca foi usado e pode estar com embalagem lacrada.

NM (Near Mint): Quase perfeito, com pouquíssimas marcas de uso.

EX (Excelent): Apenas com algumas marcas e riscos que praticamente não interferem na audição.

VG+ (Very Good Plus): Há mais sinais e alguma interferência de ruídos na reprodução.

VG (Very Good): Você enxerga claramente arranhões, e os chiados vão começar a te incomodar.

G/G+ (Good/Good Plus): Aqui o disco já perdeu o brilho e os barulhos beiram o insuportável.

P (Poor): Pior cenário possível. Além de arranhado, ele está possivelmente empenado, o que fará sua agulha saltar. E não queremos isso.

Fixou? Então vamos às lojas.

a seleção abaixo é estritamente pessoal e sem qualquer "caráter científico". São lojas que gosto, cujos serviços já utilizei e, por isso, recomendo, não necessariamente as melhores ou mais baratas. Quase todas vendem por Instagram. E não se esqueça de clicar no nome para entrar na página.

Eric discos - Leticia Moreira/Folhapress, - Leticia Moreira/Folhapress,
Imagem: Leticia Moreira/Folhapress,
Discogs

Imagine um Mercado Livre mundial só com discos. Existe. Foi criado nos EUA e se chama Discogs. Dá para encontrar tecnicamente qualquer coisa de qualquer lugar do mundo. Um banco de dados inacreditável com preços cotados em dólar. Ou seja, a compra já foi mais vantajosa não muitos anos atrás. Ainda assim, altamente recomendável.

Mooca Discos

Se sua seara é o rock, dê uma espiada aqui. Esta loja virtual paulistana tem um belo acervo de usados e atende via Mercado Pago e Pix, com a vantagem de entregar via motoboy para clientes da capital paulista.

Vinil SP

Semelhante à Mooca Discos, ostenta fartura de títulos e promoções generosas de música brasileira. Um dos principais chamarizes: o frete é grátis para todo território nacional.

Locomotiva Discos

Provavelmente o melhor varejo de LPs novos do Brasil, com novidades, clássicos e os relançamentos em 180 g da Polysom. Também trabalha com usados e acessórios para incrementar seus discos e toca-disco.

Casarão do Vinil

A mais impressionante casa de usados do Brasil, que ocupa um imóvel inteiro de dois andares no bairro paulistano da Mooca. Vale pelo acervo gigantesco e a condição dos discos, classificados com exatidão.

Usados com Arte

A loja de BH conta com bom catálogo, incluindo CDs, e valores abaixo da média do mercado de usados. Uma dica: pergunte o estado do disco antes de comprar. Anúncios omitem essa informação.

Nipper Discos de Vinil

É especializada em música brasileira dos anos 1970 e 1980. Ótimos preços e várias formas de compra e pagamento: PicPay, Mercado Livre, Pix, Shopee. Também é preciso checar o estado dos produtos.

Lojinha dos Discos

Excelente e caprichada, a Lojinha é tocada por André Teixeira em Aracajú desde 2011 e traz discos básicos e raridades que vão te fazer querer voltar, principalmente se sua onda é a música brasileira.

Vinil Alternativo

Esta recifense é ideal para quem almeja só o "filé" e não se importa em pagar um pouco mais para garantir itens básicos de discografia. Peca pela falta de informações em anúncios, mas compensa pela simpatia do dono José Miranda.

Antikarius Collectibles

Especificações honestas e um site interessante. Ainda comercializa DVDs, Blu-rays, VHS e games. Valores variam, mas a média é bastante satisfatória, incluindo a do frete para o Brasil.