PUBLICIDADE
Topo

Prima da samambaia, Asplênio é resistente e ideal para casa menos iluminada

Asplenium nidus, um dos tipos de Asplênio - Getty Images/iStockphoto
Asplenium nidus, um dos tipos de Asplênio Imagem: Getty Images/iStockphoto

Silvia Montico

Colaboração para Nossa

02/04/2022 04h00

Uma prima distante da samambaia, a Asplênio é uma planta inimiga do sol pleno e perfeita para ser cultivada em ambientes com luz indireta, o que pode ser muito bom para quem não tem uma casa super iluminada, mas faz questão de ter plantinhas.

De acordo com Alessandra Fernandes, engenheira agrônoma, doutora em Fitopatologia e criadora do canal Mundo Agro no YouTube, a Asplênio tem sido considerada inclusive como a "nova samambaia", sendo uma ótima opção para quem não abre mão dos clássicos da jardinagem, mas que adora novidades e inovação.

Existem várias espécies e híbridos da planta, mas as mais conhecidas e encontradas por aqui são:

  • Asplenium nidus; a mais comum e que possui folhas que lembram folhas de bananeira, com nervura principal das folhas mais escura ou até preta;
  • Asplenium crissie, que tem folhas lisas e rígidas, além de ramificações nas extremidades das folhas;
  • Asplenium antiquum, que também pode ser encontrada com o nome de asplênio crespo ou asplênio Osaka, justamente por possuir as folhas longas e crespas;
  • Asplenium australasicum, que tem folhas em formato de lança e com certa rugosidade no centro.

Onde e como cultivar

Asplenium australasicum - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Asplenium australasicum
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Geralmente, plantas que possuem um verde intenso e escuro, assim como a Asplênio, preferem ambientes sombreados e precisam de menos luz, como explica a engenheira agrônoma.

Essa planta não deve ser cultivada a pleno sol e sim com iluminação indireta. Mas é importante lembrar que nenhuma planta se desenvolve bem no escuro, no breu. Todas precisam de luz para realizar a fotossíntese plenamente".

Fã da umidade e calor, a Asplênio também não é muito indicada para regiões onde as temperaturas são muito baixas. "Ela precisa de regas frequentes para manter a terra úmida, mas é preciso evitar encharcar. Borrifar água nas folhas também é uma boa dica que vai ajudar a manter o clima mais fresco e deixar a asplênio mais bonita", orienta Alessandra.

Segundo ela, trata-se de uma planta de crescimento lento, que não é exigente em adubação.

Asplenium Nidus - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Asplenium Nidus
Imagem: Getty Images/iStockphoto

"Podem ser usados adubos específicos para samambaias ou para folhagens. Ou ainda, adubos orgânicos como húmus de minhoca ou farinha de osso", diz.

Na hora de adubar, é importante seguir as recomendações do fabricante e não exagerar na dose nem na frequência. "Como é uma planta que se desenvolve lentamente, a adubação pode ser feita de 1 a 2 vezes por ano", indica.

Planta resistente

Quem costuma matar as plantas acidentalmente pode encontra na Asplênio uma boa aliada para decorar a casa, pois ela é bem resiste.

Ela é pouco exigente e fácil de cuidar. Com seu crescimento lento, não ocupa muito espaço. Deixa ambientes internos mais aconchegantes, bonitos e com clima agradável", afirma a especialista.

Asplenium antiquum - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Asplenium antiquum
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Mas mesmo as plantas mais resistentes não estão livres de pragas e ácaros e cochonilhas também podem afetar a Asplênio. "Mas quando as infestações são descobertas logo no início, uma simples escova de dentes ou até um pano umedecido são suficientes para salvar a planta. Basta limpar a área afetada e ficar de olho para que os bichinhos não voltem", explica Alessandra.

Se essas pragas já tiverem se espalhado, a dica é borrifar uma solução de detergente neutro diluído em água ou usar inseticidas específicos que podem ser adquiridos em lojas de jardinagem. "É importante lembrar que uma planta nutrida e saudável é menos suscetível ao ataque de pragas e doenças. Por isso mantenha as adubações e cuidados em dia".

Asplenium crissie - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Asplenium crissie
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Para quem quer fazer mudas da planta, o mais indicado é através da separação das touceiras da planta mãe. Para isso, basta retirar a planta do vaso e separar em várias mudas menores.

"O Asplênio não produz sementes. Sua estrutura de reprodução é chamada de esporo: são pequenas bolinhas amarronzadas que surgem no verso das folhas, assim como nas samambaias. O plantio através dos esporos é mais difícil, pois a germinação é lenta e a planta demora se desenvolver", completa Alessandra.