PUBLICIDADE
Topo

"Vestido sobreviveu a tragédia em Floripa e me trouxe força para recomeçar"

Vestido de Teresa sobreviveu a uma tragédia ambiental em Florianópolis e se transformou em ferramenta de autoestima para a aposentada - Arquivo Pessoal
Vestido de Teresa sobreviveu a uma tragédia ambiental em Florianópolis e se transformou em ferramenta de autoestima para a aposentada Imagem: Arquivo Pessoal

Marilia Marasciulo

Colaboração para Nossa

16/08/2021 04h00

Teresa Bruggemann

Teresa Bruggemann

Profissão

Bibliotecária aposentada

Minha roupa com história

Vestido que sobreviveu à maior tragédia ambiental de Florianópolis

Na manhã do dia 25 de janeiro de 2021, acordei submersa em esgoto. Parecia um pesadelo, mas era real: uma estação de tratamento rompeu no bairro onde eu morava, a Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Foram mais de 130 milhões de litros de matéria orgânica descendo morro abaixo, levando tudo o que tinha pela frente, no que acabou sendo o maior desastre ambiental da história do município.

Por sorte, eu e meu marido conseguimos escapar nadando. Mas nossa casa, não. Foi completamente destruída. Dias depois, quando a água secou e só restou lama, pudemos ir ver o que tinha sobrado. E não fiquei surpresa ao ver que 80% das minhas roupas de verão não sobreviveram. As de inverno, por sorte, estavam embaladas em sacos a vácuo e armazenadas dentro de um baú protegido.

Sempre gostei muito de moda, principalmente vestidos, então tinha muitas peças. Perder 80% significa muita coisa. Mas, no meio do caos, vimos que um cabideiro tinha ficado intacto. Aquilo foi surpreendente! Entre as únicas cinco ou seis peças que ficaram de pé, uma era esse vestido. Lembro ter ficado muito feliz e comemorado com minha irmã "esse é um dos que eu mais gosto!". Tinha salvação.

Teresa com o vestido - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
A blbliotecária aposentada com o vestido
Imagem: Arquivo Pessoal

Comprei o vestido há quase dois anos, me encantei pela delicadeza da cor, lavanda, e o tecido, um crepe de seda. Foi antes da pandemia, por isso consegui passear bastante com ele, ir a teatros, aniversários. Mas ainda queria usar mais. Depois de muito lavar, ele ficou perfeito, sem manchas, como novo. Não deu para acreditar.

E aí a peça ganhou um novo significado. Se antes era só um vestido de que eu gostava por achar bonito, depois da tragédia ele se tornou importante para a minha autoestima".

Fiquei muito abalada tanto emocionalmente quanto fisicamente. Estava machucada, meu cabelo ficou muito feio por ter entrado com a água imunda (até hoje, meses depois, ele ainda não se recuperou totalmente) e me sentia feia.

Vestido se transformou em símbolo de autoestima durante a pandemia - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Vestido se transformou em símbolo de autoestima durante a pandemia
Imagem: Arquivo Pessoal

Em plena pandemia, não tinha disposição para passear e espairecer ou ir comprar roupas novas. Estava sempre de short e camiseta, porque passei semanas fazendo faxina tentando recuperar o que dava. Foi um período muito difícil.

O vestido me ajudou. Comecei a colocá-lo para tentar me sentir bonita — brincava com minhas amigas que iria vestir uma roupa bonita nem que fosse para atender o carteiro. Quando eu usava esse vestido, parecia que a vida voltava ao normal. Sei que minha vida nunca mais será como a que eu tinha antes, mas hoje também sei que uma roupa aparentemente simples pode carregar consigo a força de que precisamos para seguir em frente e recomeçar.

Como usar

Babado

Para garantir um vestido em camadas com babados que nunca sai de moda, opte por estampas atemporais, como poá, listras ou vichy. Para um look mais moderno, invista em recortes assimétricos e cores vibrantes.

Verão no campo

Tons claros, estampas delicadas, babados e fluidez são a cara de dias ensolarados no campo. Combine o vestido com sandálias ou botas de salto baixo para garantir conforto e charme nos passeios campestres.