PUBLICIDADE
Topo

"Parceiro de viagens mundo afora, chapéu marcou o melhor dia da minha vida"

Walter ganho o chapéu do avô, que faleceu anos depois, mas deixou uma lembrança e o acessório como companheiro para conhecer o mundo - Arquivo Pessoal
Walter ganho o chapéu do avô, que faleceu anos depois, mas deixou uma lembrança e o acessório como companheiro para conhecer o mundo Imagem: Arquivo Pessoal

Walter Paim em depoimento a Marilia Marasciulo

Colaboração para Nossa

31/01/2022 04h00

Walter de Souza Paim

Walter de Souza Paim

Profissão

Professor

Minha roupa com história

Chapéu fedora que foi um presente do meu avô

Esse chapéu é uma lembrança de um dos dias mais felizes da minha vida. Foi comprado no dia 5 de dezembro de 2018, na Bahia. Depois de muitos anos morando fora de lá, voltei para passar um tempo com meu avô, que sempre considerei quase como um pai.

Naquele dia, resolvi dar um dia de "pretty woman" para ele. Estilo Julia Roberts no filme clássico "Uma Linda Mulher", em que ela tem tudo do bom e do melhor em Los Angeles.

Walter Paim ao lado do avô - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Walter Paim ao lado do avô
Imagem: Arquivo Pessoal

Fomos ao cinema, almoçamos e jantamos em lugares muito bons, e fizemos compras. Eu queria muito comprar um chapéu, porque sempre tive esse desejo. Fomos a uma loja de fast fashion e me encantei por esse modelo, que é um estilo meio boho e num tom caramelo. Bem curinga, vai com tudo.

E, se o dia todo havia sido um presente para o meu avô, no fim quem ganhou o presente fui eu: ele comprou o chapéu para mim.

Virou meu fiel escudeiro, passei a usá-lo muito, especialmente em viagens mundo afora. Ele conheceu muitos países — e quase quis ficar em um deles".

Em uma viagem a Estrasburgo, na França, fui almoçar em um restaurante nepalês. Coloquei meu chapéu no chapeleiro e esqueci de buscar na saída. Só fui me lembrar à noite. Voltei correndo para o restaurante, mas já estavam fechados. Fiquei frustradíssimo: voltaria para a Alemanha no dia seguinte, sem planos de ir para a França tão cedo, então dei o chapéu como perdido.

Duas semanas depois, um amigo foi me visitar, e tivemos a ideia de voltar para Estrasburgo. Imediatamente, planejei o resgate do meu chapéu. Liguei para o restaurante e, mesmo o dono não falando muito bem francês, demos um jeito. Ele concordou em guardar e esperar que eu fosse buscar. Quando o resgatei, estava intacto.

Walkter com o chapéu em uma de suas viagens - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Walkter com o chapéu em uma de suas viagens
Imagem: Arquivo Pessoal
Presente do avô, acessório acompanhou o jovem pelo mundo - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Presente do avô, acessório acompanhou o jovem pelo mundo
Imagem: Arquivo Pessoal

Desde então, continuei usando e colecionando memórias com o chapéu — ainda que a mais marcante sempre tenha sido a do dia com meu agora falecido avô. Hoje ele já está um pouco detonado, então acabou virando peça de decoração na minha casa. Mas pretendo mantê-lo sempre comigo.

Como usar

Veraneio

Aproveite o verão para se jogar nos chapéus. Além de deixarem os looks estilosos, protegem contra o Sol. Os de cor neutra — bege, branco ou preto — são curinga.

"Pretty Woman"

Desperte a Julia Roberts que existe em você apostando em chapéus para arrematar as produções mais elegantes.