PUBLICIDADE
Topo

Balanço na decoração é ideia lúdica que leva graça a qualquer espaço

Balanços da estilista Larissa Fernandes e do fotógrafo Fred Vianna - Fred Vianna
Balanços da estilista Larissa Fernandes e do fotógrafo Fred Vianna Imagem: Fred Vianna

Claudia Dias

Colaboração para Nossa

07/03/2020 04h00

Se você é da turma que não pode ver um balanço pela frente que já se arrisca no vaivém do brinquedo suspenso, certamente já sonhou em ter uma peça dessas para chamar de sua. Que tal instalar um dentro de casa?

A estilista Larissa Fernandes e o fotógrafo Fred Vianna, de Belo Horizonte (MG), têm dois. "Foram nossos primeiros móveis", lembra a moradora. Cinco anos atrás, quando começaram a montar a casinha lúdica em que vivem - e compartilham no perfil @decor29 -, eles compraram os balanços na feira de artesanato que acontece todo domingo na capital.

À época, prenderam com ganchos de rede, direto na laje. Ajustaram mais ou menos na altura de uma cadeira e deixaram espaço ao redor para que pudessem ser usados sem obstáculos. Agora, servem como "divisória" entre as duas salas. "Além de poder balançar para os dois lados, não obstruem a visão. Fica mais fluída a decoração, dentro do conceito aberto da nossa casa", avalia Larissa.

É preciso avaliar a estrutura do imóvel

Espaço pensado por Mara Liz Ferrentini, da Zina Arquitetura, para um jovem casal - Raul Fonseca - Raul Fonseca
Espaço pensado por Mara Liz Ferrentini, da Zina Arquitetura, para um jovem casal
Imagem: Raul Fonseca

Se no lar mineiro a instalação foi fácil, em alguns lugares é preciso reforçar a estrutura. A arquiteta Mara Liz Ferrentini, da Zina Arquitetura, teve de instalar uma viga metálica extra para suportar o peso do balanço destinado à leitura e relaxamento, no garden de um jovem casal.

"Qualquer lugar pode receber um balanço, mas depende sempre da estrutura do imóvel. É necessário conhecer a carga que a laje suporta para definir o que precisa ser feito", pontua.

Respeite o limite de peso

A arquiteta e urbanista Gabriela Mendes observa que a maioria dos balanços intermediários disponíveis no mercado sustentam de 150 a 200 quilos, considerando a soma do peso da peça mais o da pessoa.

Caso o ambiente tenha um forro de gesso, é importante elaborar reforço estrutural metálico ou usar suportes especiais fixados com chumbadores (parabolts) na laje para a instalação dos ganchos e suportes.

Já existem no mercado peças especiais para intermediar a laje e o forro de gesso, segundo as arquitetas Tatiana Kfouri e Gabby Matos, da Matos Kfouri Arquitetura & Interiores.

Quase na altura de uma cadeira

Para definir a altura do balanço, faça a associação com uma cadeira. Deve ainda ser confortável para sentar e levantar, mas também ter um espaço livre para os pés não tocarem o chão ao balançar. Como a altura padrão de uma cadeira é 45 centímetros, considere instalar o balanço de 50 a 60 centímetros do piso.

Em relação ao entorno, as arquitetas da Matos Kfouri Arquitetura & Interiores ressaltam a importância de ponderar sobre o uso que o balanço terá: se for similar a um sofá, não precisa de muita área livre ao redor, mas se for para balançar, deve estar mais afastado de paredes e objetos, evitando eventuais acidentes.

Entretanto, respeitar um raio de dois metros é o mínimo recomendado por profissionais.

Quanto à escolha do balanço, vai do gosto do freguês. Há inúmeras opções, com propostas, formatos e materiais diferentes. Só as peças para ambientes externos é que pedem uma recomendação extra: opte por materiais resistentes à água e que não desbotam com a incidência do sol. "Um tecido de fácil limpeza e impermeável é uma ótima pedida", finaliza Gabriela Mendes.

Inspire-se

  • Luiz Vaz

    Sala de jantar

    Nesta sala de jantar, projetada pela arquiteta Cris Nunes para a Casa Cor Alagoas, a poltrona Regg faz as vezes de assento junto à mesa, resgatando, na decoração da casa, um elemento tão marcante da cultura local quanto a rede.

  • Eduardo Pozella

    Quarto de adolescente

    Para a garota de 15 anos que queria um espaço moderno com toques românticos, a arquiteta Karina Korn apostou na icônica bubble chair, instalada ao lado da cama. É o cantinho particular para a adolescente ler, pensar e até tirar um cochilo.

  • Matos Kfouri Arquitetura & Interiores

    Ponto central

    O balanço também pode ter formato de namoradeira, como na varanda gourmet com churrasqueirade um jovem casal que ama receber amigos. O ambiente foi projetado pelas arquitetas Tatiana Kfouri e Gabby Matos, da Matos Kfouri Arquitetura & Interiores.

  • Denilson Machado

    Estrela do ambiente

    O arquiteto Léo Shehtman posicionou a poltrona-balanço em lugar de destaque. É praticamente uma obra de arte! "Além de dar um toque despojado e moderno à decoração, por sua estrutura pendente, traz bastante conforto. A cor azul turquesa no ambiente neutro dá um charme a mais", comenta

  • Adriana Zucatelli

    Espaço de diversão

    Ao reformar uma área externa, a arquiteta e urbanista Gabriela Mendes evidenciou o balanço de fibra sintética e tecido impermeável para as filhas do casal brincarem, no espaço coberto. Como fica bem em frente à piscina e é passagem, respeitou-se um raio de 2,5 metros.